A Medicina Tradicional Chinesa

Huang Di Nei Jing

Foi publicada no passado dia 9 de Fevereiro, em Diário da República, a Portaria nº 45/2018, que “regula os requisitos gerais que devem ser satisfeitos pelo ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado em Medicina Tradicional Chinesa”.

Esta é uma medida muito positiva e importante – talvez uma das mais importantes que este governo tomou – que abre a possibilidade de introduzir no sistema de saúde português, de modo regulado, a prática de uma Medicina cujas vantagens são de grande significado e expressão. Sendo uma Medicina preventiva e profilática, a Medicina Tradicional Chinesa é também curativa, sendo que se baseia em conceitos que, uma vez apreendidos e convenientemente aplicados, podem suscitar importantes alterações no quadro da prestação de cuidados de saúde à população e até na viabilidade do Serviço Nacional de Saúde.

O que se afigura fundamental, a partir de agora, é que a Medicina Tradicional Chinesa seja de facto colocada ao serviço daqueles que, até aqui, a ela não podiam aceder, por motivos de ordem económica. A sua democratização trará significativos benefícios não apenas no quadro estrito dos cuidados de saúde, mas na própria ordem social, que não deixará de sentir os efeitos de uma transformação profunda, que se deseja, no conceito de Saúde.

Parabéns ao Governo por este passo decisivo e, reconheça-se, corajoso.

Comments


  1. Na China os ricos e poderosos recorrem à medicina científica ocidental, deixando a tradicional para os pobres que não têm acesso a outra. Parece que afinal não é boa só para os chineses pobres, mas também para os ocidentais tansos e dados a modas.


  2. E a Ordem dos Médicos já estrebuchou…


    • ….claro que estrebuchou, monopólios da indústria da saúde não admitem concorrência !!
      …e a Indústria farmacêutica sua sucursal vai estrebuchar também !

  3. Rui Naldinho says:

    De pouco vale aos profissionais da medicina tradicional chinesa, o seu reconhecimento como técnicos de saúde, médicos ou não, e as qualidades terapêuticas dos seus tratamentos, mais paliativos do que cirúrgicos, diga-se, mas ainda assim a não menosprezar, o importante é não serem nenhuns charlatães, se depois esses profissionais não podem prescrever receitas médicas com direito à comparticipação dos subsistemas por parte dos pacientes, ou se uma consulta é paga na totalidade pelo seu doente, sem que este tenha direito a ser ressarcido dos 17,0€, que por exemplo, a ADSE paga pelo ato clínico dos médicos das nossas faculdades de medicina.
    Por exemplo, um podologista também é um licenciado. Mas alguém que necessite de um tratamento aos pés, por qualquer motivo, paga rigorosamente tudo sem ter direito a qualquer comparticipação dos subsistemas.
    Porquê? Apenas e só porque o poder político tem medo de que a seguir se “manicure” a profissão. E isso é uma chatice. Havia doentes todas as semanas.
    Podem dizer-me que este é o primeiro passo, o reconhecimento da Medicina Tradicional Chinesa. Mas eu, desculpem-me, não acredito. Não, na medicina. Mas na boa fé do governo.
    Isto é como a história da escola pública e a escola privada.
    O que o poder político quer é exercer pressão sobre os profissionais de saúde, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, etc, neste caso, talvez mais os do privado, e a indústria farmacêutica, para condicionar subvenções, comparticipações, preços e ordenados.
    Com este políticos “à Lá Tuga”, quando a esmola é grande o pobre desconfia.

  4. Carlos Almeida says:

    Os da mula ruça, já estão aos coices. Eles, não a mula !


  5. E que tal aproveitar a onda e criar também uma licenciatura em Tarot?

    • Analfabeto Político says:

      Com aulas dadas pelos professores Catedráticos, Bambo e Paulo Cardoso, sob a regência da Maya.
      isto tudo nos estúdios do Correio da Manhã.

      • Bácoro tresmalhado says:

        E o professor farsola coelho! talvez na “universidade” lusíada! podem juntar a “professora” maria swaps.


      • Não são os médicos contra os “tarologos” como os distintos senhores chamam a estes profissionais. São os médicos contra a própria OMS. Antes de vomitarem bilis informem-se.


  6. a medicina tradicional chinesa tem um impacte ambiental brutal, responsável pela quase extinção de muitas espécies. Espero que em Portugal se saibam controlar.

  7. ZE LOPES says:

    Um dos que vai dar aulas de medicina tradicional chinesa é o Jg Menos. É especialista em problemas da mama, que trata com extratos de corno. Tudo produtos naturais, obtidos lá em casa.

  8. Antonio Medeiros says:

    Bruno Santos, gosto deste assunto em Portugal que trará muito benefício para muitas pessoas.Eu não acreditaria na eficácia desta Medicina por ter uma desconfiança de métodos milagrosos que abundam no Brasil.Porém, como um amigo é acupunturista e tive acesso a um dos fundamentais livros desta ciéncia, o Princípios de Medicina Interna do IMPERADOR AMARELO,pude tomar conhecimento que há realmente verdade nos procedimentos utilizados para a eliminação de doenças. Estes conhecimentos relatados neste livro consideram que os seres humanos também estão sob as influéncias das quatro estações e e as anomalias do corpo estão muito ligadas principalmente aos maus costumes alimentares e vícios.Este assunto é por demais extenso, mas o exame do corpo pede apenas a medição de pulso principalmente, e nada tem com advinhações e suposições infundadas, muito comum por aqui.Infelizmente, os custos da Medicina ocidental são muito maiores e muitas pessoas procuram se curar através desta Medicina e obtém resultados. Será muito bom que estes conhecimentos possam levar à todos aqueles que assim recorrerem o alívio de suas dores.

Deixar uma resposta