Darth Vader e o Estado Laico

A “ponte”.

Ainda se sentem as vibrações do grande terramoto de indignação que causou, entre os convictos defensores da Laicidade do Estado, a atribuição do nome de um Bispo – caso único em todo o país – a uma “ponte” de luz sobre o Rio Douro.

Comments

  1. Fernando Manuel Rodrigues says:

    A sério. Eu aqui não senti nada…


  2. Se houve ou não terramoto, não faço ideia, porque não ando pelas redes sociais para apalpar os movimentos de indignação.
    Eu fiquei chocado.
    Apresenta-se um projeto público, pago com dinheiro de todos nós, para ser inaugurado daqui por quatro anos e já com nome pré-definido e tudo? Não há discussão pública, nada. As pessoas afinal só servem para pagar?
    E ainda por cima um nome de alguém que nem sei quem é e mais grave ainda, que vem da igreja???

    Não haveria nenhum outro nome portuense ou outro qualquer português, ligado à cultura ou ciência mais apropriado? Já alguém se lembrou, por exemplo de Edgar Cardozo?

    Enfim.


  3. E em Coimbra puseram o nome de um convento de Freiras construído em leito de cheia, numa demonstração que chico espertice saloia e conto do vigário j+a vem de longe na tugalândia. O problema da nome nem é nome, é tão coimbrão ligar somente a isso, é que a ponte não vai servir para nada, apenas para promover a construção numa zona de Gaia bonira, destruindo-a e nada contribuindo para o desenvolvimento económico.


  4. Ser caso inédito não deve ser critério para não atribuição, e ser bispo não tira o mérito a ninguém para merecer ter o seu nome dado a uma ponte. Da mesma forma só pelo facto de ser bispo também não é suficiente, como parecer ser o caso. Quando ouvi falar no bispo do Porto pensei em António Ferreira Gomes, que tem mérito como figura da nossa comunidade para merecer essa honra, independentemente do facto de também ter sido bispo.

    • Luís Neves says:

      Isto é um desatino. O nome e a ponte. Não foi pensado pela cabeça de cima. O de Gaia bebe demais. Vê-se pelas fotografias…
      Porque querem fechar o tabuleiro inferior da ponte Luís I ao trânsito automóvel? E a alternativa é esta? Não sei se isto chega a ser um projecto de especulação imobiliária…

  5. Luís Neves says:

    Porque será que até agora ainda ninguém se tinha lembrado de fazer uma ponte neste local? O que mudou?

Deixar uma resposta