A voz do dono e os eufemismos do DN

Diário de Notícias, 14 de Maio de 2018

 

O Diário de Notícias, assim como uma grande parte da comunicação social portuguesa, fala em “confrontos” entre palestinianos e o exército israelita. “Confronto” seria se o embate se desse entre dois exércitos, ou entre dois grupos militares com o mesmo poder de fogo. Mas não é disso que se trata. Trata-se de mais um massacre, um acto bárbaro que fecha com chave de ouro o Festival da Canção. O director do Diário de Notícias costumava ser mais incisivo – e verdadeiro – com as palavras.

 

Imagem: The Guardian

Comments

  1. Bento Caeiro says:

    Atitude da comunicação social, da ONU do Guterres, também de pessoas, que – provavelmente por falta de informação – continuam a defender a ocupação de territórios e a morte dos seus legítimos donos, os palestinianos, por parte de um povo, o judeu, que se tem por superior a todos os outros povos e nações, a quem despreza e apenas lhes reconhece o papel de utilidade que poderão assumir para os seus objectivos – idiotas úteis, “justos”, como os sionistas dizem.


  2. Saúdo mais um comentário seu inteligente e atento que a poucos interessa como devia, Bruno Santos.

    …”Trata-se de mais um massacre, um acto bárbaro que fecha com chave de ouro o Festival da Canção”

    / certeiro e incisivo !!!

  3. Nascimento says:

    Aquela merda não é a Venezuela?Que chatice… eufemismos.
    o Putedo Jornaleiro é tão giro.
    Questão sempre de “POSIÇÃO” …. anda tudo a comer na Horizontal!Né?Ai a vidinha está pela hora da morte!Kredo.Muda pra Bola!

  4. Antonio Medeiros says:

    Muito bem,Isabela, é um ato bárbaro, criminoso ao extremo e admirado pelo The Donald.

Deixar uma resposta