Relatório de organismo da UNESCO arrasa câmaras de Gaia e Porto por causa do Centro Histórico/Património Mundial

Demolições em massa no Centro Histórico de Gaia

 

O ICOMOS (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios), uma organização não governamental global associada à UNESCO, acaba de publicar um Relatório Técnico de Avaliação sobre o Estado de Conservação do Bem inscrito na Lista do Património Mundial: Centro Histórico do Porto, Ponte de D. Luíz I e Serra do Pilar.

Este documento, que cita três artigos* sobre as Caves de Vinho do Porto oportunamente publicados aqui, no Aventar, tece gravíssimas considerações sobre a actuação das autoridades públicas portuguesas, no que respeita à defesa da integridade do Património do Centro Histórico de Gaia e Porto.

*Artigos citados pelo relatório do organismo da UNESCO:

A ler:

Clique para aceder

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Há uma parte do Partido Socialista que nunca leu, não lê, e recusa-se a ler os Relatórios do “ICOMOS” (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios).
    Só lêem “O Dom Profano – Considerações sobre o carisma”, ainda que às escondidas..

  2. Paulo Marques says:

    Portanto, a culpa é tua, se tivesses calado… 😛


  3. de fato estavam com fortes sintomas de abstinência da droga de construir em Gaia, toca a construir, a lei é para meninos…


  4. Parabéns pela satisfação de se ver recompensado pelo seu empenho em valente cidadania interventiva, Bruno Santos . Valeu ! embora a ver vamos o resultado real,
    que vai custar ” tirar ao cão o osso da bocarra” !

    • Bruno Santos says:

      Cara Isabela, agir de acordo com o que proclama é a única recompensa que deve esperar quem é súbdito da sua Consciência. A tradução desse dever em cidadania interventiva, como lhe chama, só é possível graças à existência de pequenos nichos de liberdade cívica, como é o caso do Aventar. De qualquer modo, muito obrigado pelo seu estímulo.

  5. maria celeste ramsos says:

    Os mehores exemplos vêm de cima ??

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.