Não há dinheiro

A nova “Praça do Atendimento” de Gaia

O Primeiro-Ministro vai a Gaia na véspera de S. João, comer umas sardinhas e inaugurar uma “Praça Municipal” que custou mais de dois milhões de euros e servirá, segundo a autarquia, para concentrar os serviços de atendimento ao público de duas empresas municipais. Esta “praça” foi construída nas traseiras do edifício principal da Câmara, numa zona que ainda há poucos anos tinha sido objecto de uma intervenção urbanística de envergadura e investimento muito consideráveis. Trata-se, pelos vistos, da tradução prática do lema “não há dinheiro”.

O Dr. António Costa não perderá, certamente, nesta oportuna visita de conforto, a oportunidade de explicar os méritos de mais um elefante branco para “atendimento ao munícipe”, evidentemente sob a égide ideológica da Agência para a Modernização Administrativa, da WebSummit, do Simplex e da desmaterialização dos canais de comunicação entre a Administração Pública e os cidadãos, avanços tecnológicos bem patentes na impressionante volumetria e no não menos extravagante preço de mais um edifício de betão armado, destinado ao “tire a senha e aguarde a sua vez”. Com calma.

A “ponte” Darth Vader

É possível que o senhor Primeiro-Ministro aproveite a ocasião para acertar os detalhes da inauguração da tão anunciada, baptizada e benzida nova ponte entre Gaia e Porto – uma das mais originais do mundo, uma vez que não vai dar a lado nenhum -, onde o até há pouco pré-falido município gaiense irá enterrar mais 6 milhões – dizem – em cimento. Não há fome que não dê em fartura, nem há tempo para tudo. Nem há dinheiro, bem sabemos. Mas se o senhor Primeiro-Ministro tiver um minuto, entre duas sardinhas, para dar um salto ao Hospital de São João, talvez possa ver o que se passa com essa tal infestação de moscas que, pelos vistos, obrigou a fechar o bloco de pediatria.

De resto, votos de um excelente São João, lá por Gaia. Será certamente melhor do que o de 2015, quando os mesmos que agora o carregam em ombros o deixaram a falar sozinho e a olhar para o balão. Coisas da política.

Comments


  1. A ponte é para justificar o desenvolvimento imobiliário junto ao Areirinho, há especuladores e construtores tão necessitados, se há dinheiro temos de ajudar bancos e empreiteiros primeiro, o tuga corno manso normal nem se importa. E vamos destruir uma zona bonita porque querem construir e mostrar obra, mesmo que não sirva para nada.

  2. Bruno Santos says:

    Não há ponte nenhuma.

  3. César Sousa says:

    Nome : ” PONTE DA PAZ CELESTIAL “

  4. JgMenos says:

    Política = treta e cimento!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: