May ou a City?

Espera-se que Portugal esteja a trabalhar convenientemente um acordo bilateral pós-Brexit. No caso de este vir a acontecer.

Comments

  1. manuel.m says:

    Seria bom que o autor do post soubesse que Portugal, (ou qualquer outro dos, por enquanto, 28 membros da UE), não pode establecer acordos comerciais, os chamados FTA’s, com países terceiros,

  2. Tito Adriano says:

    Caro Manuel.M,
    Não é bem assim. Como diplomata posso dizer isto. Bruno Santos tem a sua razão. Quanto ao nosso MNE, o Augusto Santos Silva, deixa e muito a desejar. Foi um contraponto de António Costa para mostrar à UE que embarcamos no mesmo barco, tendo em conta o que a criatura, o A.S.S, pensa e diz (por exemplo, “malhar na oposição”, etc), ou seja, para apaziguar e dar garantias apos rapazes da Comissão Europeia.
    Boa noite!
    Tito Adiano

    • manuel.m says:

      É totalmente assim. Por isso o RU só pode iniciar conversações formais com países fora da UE depois da sua saída a 29 de Março de 2019. Portugal negoceia, (como agora o deploravel Juncker fez com o não menos deplorável Trump) sempre através das instituições comunitárias. Isto claro no que toca ao comércio, Acordos culturais são possiveis, entre outros.
      As suas criticas ao MNE estão, parece-me, fora do contexto do post e falham no principal: Que garantias terão os quase 200.000 emigrantes portugueses residents na Grã-Bretanha quando cessar a protecção do TEJ ? Quem acredita nas promessas do governo de Theresa May deve clicar em “Generation Windrush”. Ficarão esclarecidos.
      Bons dias !!
      Manuel.m

  3. ZE LOPES says:

    Aposto no o City. Tem um grande treinador. O May não tem hipóteses. Se conseguir não descer de divisão já é muito.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.