Uma imprensa livre e independente

O cidadão mais informado e menos sujeito às tão famosas “fake news”, poderá perguntar-se, olhando para a fotografia que ilustra esta página do Jornal de Notícias – edição impressa de 10 de Novembro de 2018 -, sobre o que fará o director de um jornal numa alegre confraternização com uma ministra do governo e um presidente de Câmara, gente sobre a qual ele normalmente tem que dar notícias. Ora, o que ele faz – ou, pelo menos, diz fazer -, é Filantropia.

O Jornal de Notícias, que, como o próprio nome indica, vive de fazer notícias, decidiu participar numa iniciativa de carácter “social” da Câmara de Gaia, com o projecto “JN Todos”, também conhecido por “JN Solidário” que, segundo as palavras do seu director, “visa juntar jovens e idosos para partilha de saberes, desde usar um telemóvel a cultivar uma horta” e “promove ainda encontros semanais para discussão de notícias do JN dos últimos dias”. Além disso, o espírito filantrópico do maior jornal do Norte resultará também numa grande “festa que terá lugar no Parque da Lavandeira – em Gaia – para juntar diferentes gerações”. Não explica se haverá febras e vinho. Nem explica quem pagará a festa, embora não seja difícil adivinhar. Só entre os anos de 2016 e 2018, o Município de Gaia pagou ao grupo do Jornal de Notícias, que vive de dar notícias, mais de 450 mil euros em serviços.

Como se escreveu no início deste texto, esta cerimónia filantrópica teve lugar no dia 10 de Novembro de 2018, ou seja, três dias depois de o Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia ter condenado o presidente do município gaiense e da Área Metropolitana do Porto. Curiosamente, o Jornal de Notícias, que vive de fazer notícias, não escreveu uma linha sobre o assunto. Nem uma.

Comments

  1. Miguel Bessa says:

    Claro que os jornalistas andam assustados com as “fake news” afinal da lhes jeito o monopólio sobre receber para pintar a realidade.
    Se as pessoas podem ser confrontadas na NET com a verdade, o fake e “all in between”. O que sobra para os manipuladores profissionais? Acaba a doutrinação?

    • ZE LOPES says:

      Bessa! Bessa! Bessa! Desde que essa cabeçorra de “liberal” começou a Bolsonar que V. Exa. não atina. O que é agrvado por outros consumos! Quantas caipirinhas já bebeu hoje?

      Além do mais, tenha cuidado: V. Exa. ainda vai passar por blasfemo! A verdade na “NET”? Então não é na Bíblia? Ou, finalmente confessa, a nova Bíblia é a “NET”? Deve ser, já que, devotamente, a coloca em maiúsculas!

      Na “NET” ninguém “pinta a realidade”, pois não? Ah! Ahhhhh! Ahhhhh! Ai que o Bessa é tão cómico! Ai que nem posso!

      Já não me ria assim desde o discurso de vitória do Bolsonaro!

      A propósito: V. Exa. ainda cá está? Porquê?

      (Deixe lá, são perguntas retóricas, eu sei a resposta, é só para ver se V. Exa “lá chega”).

      • fakenews_procar**** says:

        Uma pergunta estúpida de um desatento:
        O Sr Bessa é “gaçadeu” ?

        Disfarça bem !

    • ZE LOPES says:

      Bessa, agora a sério. Acabo de ler um artigo de um jornalista lá da sua terra que termina assim: “dizem que a cachaça é água, cachaça não é água não”. Desconfio que isto é doutrinação! Por favor procure na NET a verdade! V. Exa. poderá estar em perigo!

  2. dariosilva says:

    Em Braga chamam-lhes Diário do Minho e Correio do Minho. A ambos, o autarca Ricardo Rio já agraciou com subsídios. Há que manter as bocas fechadas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.