Avante camaradas Jerónimo e Bernardino…

Não está em causa a existência de qualquer ilegalidade na questão da contratação por ajuste directo do genro de Jerónimo de Sousa pela autarquia de Loures, presidida por Bernardino Soares. Mas uma vez mais assistimos que os políticos cuidam dos que lhes são próximos, querem melhor exemplo que a família de Carlos César estar toda empregada no Estado? A única novidade aqui é que o PCP sempre se arrogou numa superioridade moral, que o distinguia dos demais, segundo os próprios, ao contrário dos militantes dos outros partidos, quem ingressa no PCP fá-lo por defesa das convicções, apenas para servir o partido e o país.

Uma mentira mil vezes propagada não se transforma em verdade, BE e PCP são partidos iguais aos outros, onde existe sempre quem se sirva quando tem o poder à mão de semear, assistimos à perda da virgindade no “caso Robles”, agora “este episódio Jorge Bernardino” está aí para o provar. Se um episódio destes acontecesse num qualquer município dirigido por um partido mais à direita, onde acontecem e também não são poucos os favorecimentos, teríamos Jerónimo de Sousa ou alguém por ele a dizer que o PCP tem uma tradição autárquica bem diferente. É caso para dizer, olha para que digo, mas não para o que faço…

Comments

  1. ZE LOPES says:

    Então, então? Não é verdade que num regime liberteiro os gestores têm liberdade para contratar quem lhes apetece? Queria o Estado a regulamentar mais uma liberdade? Oh, Almeida!

    Então pronto! É tudo igual, não é? Venha a ditadura…liberteira! No regime de Pinochet nada disto acontecia! E bem fez o Hayeck em escrever ao Salazar a avisá-lo para os excessos de democracia.

    A propósito: o caso Robles, resolvido como pôde ser, está transformado num pecado pior que o original, que persegue toda a Humanidade há séculos. Com uma diferença: a Eva nem sequer se demitiu! É por essas e por outras que as religiões, para mim, são todas iguais! Aliás, entre o Daesh e o Vaticano não se vê diferença nenhuma. A Guarda Suíça está um pouco menos operacional, é a única diferença!

    • ZE LOPES says:

      Até porque ou há ditadura liberteira ou corremos o sério risco de a Auto-Europa se ir embora! A greve de oito dias no Natal, comandada pelo Jerónimo e Bernardino pode ter sido fatal! Temo que só estejam a entreter a malta a apertar uns parafusos para disfarçarem a estratégia de empacotar as linhas de montagem e mandá-las para as Filipinas, onde um presidente liberal não vai em abébias. Não há cá greves ou é tudo corrido a tiro! O resultado? Em manila T-Rocs é mato!

  2. Rui Naldinho says:

    A ideia de que um português, por simpatizar com o PCP ou o BE é menos corrompivel do que um outro, simpatizante do PS, PSD ou CDS, é ingénua. O homem é um ser frágil. Ganancioso por natureza. E não é a simpatia política ou o cartão de militante, que o imuniza de ser tentado a cometer os “sete pecados capitais da santa madre igreja”.
    Agora, eu não confundo um “ladrão de pipocas, com um ladrão de bancos”. Nem confundo o contrato para fazer limpeza nas paragens do BUS, muito menos numa autarquia suburbana de Lisboa, com as PPP’s rodoviárias. Ou pior ainda, com a bela cagada que foi a privatização dos CTT. Isto para não falarmos na EDP e da ANA.
    A direita, por estar sentada num vasto conjunto de rendas e interesses económicos, é muito mais corrompivel do que qualquer outro grupo social. Os números associados a políticos e dirigentes dos partidos como o PS, PSD e CDS, metidos em escândalos de corrupção e tráfico de influências, falam por si.
    Enfim, o António quer demonstrar que os trocos, mesmo sendo moedas, também são dinheiro. E são, de facto. Mas são precisas muitas para comprar um maço de tabaco.
    A mim preocupa-me mais as malas cheias de maços de notas!

    • Antonio Rodrigues says:

      Rui Naldinho faz as extrapolações correctas, na minha opinião.Na humanidade nada funciona em moldes absolutos. Tudo tem que ser relativizado.. Quando vou comprar fruta a uma loja, por vezes tiro (roubo) um bago de uva e provo para me deleitar e inteirar do seu conteúdo, e posteriormente compro ou não compro. Tem a lei o direito de ter um polícia dentro do estabelecimento para me dar um tiro pelo roubo de um bago de uma. Quem pode legislar estas situações.? A moral, o direito internacional,.quem? Então acabemos com a civilização porque o homem actual é exactamente o mesmo do da Idade da Pedra
      Rui Naldinho pôs o problema com carrada de razão

      • Paulo Marques says:

        «Quando vou comprar fruta a uma loja, por vezes tiro (roubo) um bago de uva e provo para me deleitar e inteirar do seu conteúdo»

        Por acaso, o caso que refere era legal, provar fruta era um direito protegido por lei, por estranho que pareça. E digo era só porque não tenho a certeza que não mudou na era da ASAE.

    • JgMenos says:

      «eu não confundo um “ladrão de pipocas, com um ladrão de bancos»
      O das pipocas é um coitadinho, é ladrão, mas coitadinho…mas é ladrão…mas coitadinho…

      • Paulo Marques says:

        Coitadinhos são os pobrezinhos que compram os serviços do Menos para pôr o capital a salvo.

      • João Pires da Cruz - Carcavelos says:

        João Pires da Cruz é o meu nome. Sou sócio gerente da empresa “Closer”, cuja tradução literal é “mais perto”. Sou uma espécie de “partner”, cuja tradução é “parceiro”. Modernices!
        Trabalho para o sistema financeiro, mas também para um vasto mercado ligado à venda de produtos com algum valor acrescentado. Antecipo tendências do mercado. Uma espécie de “Maya”, da economia.
        Assino JgMenos, cujo “g” minúsculo, representa o símbolo y (gama). Sou uma espécie de fotão, se quiserem “fóton”, porque só consegui entrar na Universidade de Lisboa, para o curso de Física. Como ser Físico não dava para ter uma vida decente, agarrei-me a este negócio. Vivo bem, ainda que seja de facto alimentado pelos trafulhas do costume, em especial os do sistema financeiro. Sinais dos tempos. Tenho de os defender, pois são eles que me pagam.
        Escolhi ser JgMenos, para me proteger. Respaldar-me nesta espécie de oráculo, poder dar os meus palpites, mesmo escrevendo com erros de ortografia, por vezes, para não resvalar ladeira abaixo, na minha incoerência.
        Nós, somos assim. Habituem-se.

        • ZE LOPES says:

          O quê? Não me diga que nas celebrações dominicais da Igreja Universal do Reino da Coelha agora há strip-tease! Bem, é uma estratégia para manter os fiéis.As beatas estão todas excitadas! E alguns beatos também estão entusiasmados!

      • ZE LOPES says:

        Moral da história:

        O das pipocas é ladrão coitadinho. O dos bancos (com entrada pelos gabinetes, não pelo balcão) é um ladrinho coitadão. Assim tipo Espírito Santo.

      • José Peralta says:

        João Pires da Cruz, dito “JgMenos”

        A ser verdade esta sua súbita “confissão de identidade”, tão cheia de pormenores para, no fim, justificar o anonimato para se defender… DE QUÊ OU DE QUEM ?

        Dos tais trafulhas que lhe pagam ? Então agora já não precisa dessa defesa ?

        E sobre esta passagem do seu post :

        “Como ser Físico não dava para ter uma vida decente, agarrei-me a este negócio. Vivo bem, ainda que seja de facto alimentado pelos trafulhas do costume, em especial os do sistema financeiro. Sinais dos tempos. Tenho de os defender, pois são eles que me pagam”.

        Isto não pode ser conotado com…”a mais velha profissão do Mundo” ?

  3. Nascimento says:

    Oh meu e se fosses badamerda? Olha meu e se fosses mais honesto? Porque é que não explicas onde está o favorecimento?Tres propostas’ Qual a mais barata? Por ajuste directo era ANTERIORMENTE. Sabes, mas OMITES! Porquê?Eu inté não pertenço aos “Engolidores de Sapos” …mas, de cada vez que vejo um filho da puta, armado em lindinho ” justiceiro” ( quando ,se formos a ver nada há a apontar) dá-me asco, nojo.
    São uns merdas e pensam que por rabiscarem e armarem-se em putas ” hoinestas” , daquelas que adoram ir ás missas sem lá porem os pés( pois são cobardes e não querem ser ” vistos”),esses cães miseráveis como os Almeidas … são seres rastejantes. E perigosos para a Democracia. Salazaristas disfarçados. Prontinhos para abraçarem qualquer Sidónio merdoso que apareça.

  4. Carlos Vila Verde says:

    Pois é .. Os “comunas” passam a vida a deitar e a denegrir tudo e todos… mas quando são eles a “levar”, têm reacções neuróticas, próprias da sua cegueira estalinista…

  5. ZE LOPES says:

    Só mais um comentário: em matéria de superioridade moraleira há por aí quem nada deva, e até dê cartas. Em matéria de vesguice política – que se apressa a apontar aos demais- idem.

    Aqui há dias andou por aqui um post, de cuja autoria não me lembro, a louvar a revolta dos coleteiros amarelados – em França – como uma revolta liberteira contra a opressão do Estado, particularmente do excesso de impostos. Pelo meio umas lágrimas de reptil de boca larga a demarcar-se das “desordens”.

    Por vesguice tal autor – de cujo nome não me recordo – “esqueceu” as outras reivindicações de tal movimento: aumento dos salários, das pensões, proteção da indústria francesa, aumento dos impostos sobre as multinacionais…

    Pois. O facto é que nesse fim-de-semana os coleteiros provocaram mais prejuízos ao erário público que milhares de ajustes diretos. Continuo a não me lembrar de quem foi o autor. O que é certo é que esqueceu o assunto.

  6. adelinoferreira45 says:

    Ó almeida, ispilica lá onde residem as tuas angústias e insinuações (prática corrente da escumalha que condena à miséria cerca de 2.000.000 de portugueses)

    http://www.cm-loures.pt/Conteudo.aspx?DisplayId=5876&fbclid=IwAR1ZGF_1DW-hbcVEbN4-O4qvTJ-TmOu05c0J7E2T_e68hD2Dmcl50CBhZvo

    • Ana A. says:

      Agradeço o link!

      Estamos numa era tramada, pois com o pretexto de fazer subir as audiências, as tv’s e em particular a nódoa da tvi, também vão interferindo politicamente, com notícias falsas.

      Nota: não vi a reportagem nem tenciono ver qualquer outra que provenha da TVI/Ana Leal).

  7. Julio Rolo Santos says:

    Não concordo com esta epreciacão porque entendo que todos têm o direito de fazerem pela vida independentemente dos seus laços familiares com qualquer partido político desde que a sua seleção obedeça a critérios gerais de recrutamento. Se assim não for contesta-se mas não vale a pena associar o eventual beneficiário a este ou aquele partido político porque, nesta matéria, nenhum partido político esta isento de culpa.

  8. Carla Couto says:

    A sorte do pcp é que raramente são escrutinados pele imprensa fazendo se passar por boa gente. O pcp hoje é um lamaçal de gente bafienta que cuida dos seus interesses, somente. Aqueles que combateram o fascismo já desapareceram e com eles a honra e a dignidade que estas familias que assaltaram o pcp não têm. Quem lá esteve sabe muito bem quem eles são, tudo menos honestos, trabalhadores e transparentes.

  9. adelinoferreira45 says:

    Quem te paga?

Responder a Nascimento Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.