Bagunça na Área Metropolitana do Porto

A Área Metropolitana do Porto, onde pontificam alguns daqueles que com mais violência se insurgiram contra o acordo de Descentralização proposto por este governo, está a implodir. As desinteligências são diárias, com acusações recíprocas na comunicação social, ameaças de demissão, atitudes prepotentes e um clima generalizado de desconfiança. O problema, para já, parece estar relacionado com a gestão dos transportes, mas cedo se perceberá que são bem mais fundas as divergências. A realidade é que há muitas ambições pessoais em jogo, que não passam pela estrita luta política, mas se estendem, como a seu tempo se verá, à guerra de sucessão na presidência do Futebol Clube do Porto, a maior autarquia da região.

Neste quadro, resulta evidente que as reivindicações de “descentralização” e “regionalização” em que permanentemente investem estes vice-reis, não almejam outra coisa que não seja a constituição de um governo paralelo, munido de estruturas tentaculares de influência e poder, cujo fim último é a satisfação de ambições e projectos pessoais e não, como propagandeiam hipocritamente, a defesa dos interesses legítimos das populações.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.