O “crowdfunding” dos enfermeiros

Diz-se que a ASAE terá sido chamada a investigar a recolha de fundos da greve dos enfermeiros. Bizarra, esta competência da polícia alimentar.

Da próxima vez que alguém receber um convite para jantar rotário, ou sessão branca de alguma guilda de carpinteiros de limpos, ou tertúlia dançante de picheleiros, que traga a informação do custo do repasto convertida em “15 Rosas”, ou “10 Estrelas”, ou “12 Miminhos”, faça o favor de chamar imediatamente a polícia. Mas uma Polícia que esteja disposta a perceber com detalhe forense o modo com se financiam não apenas os sindicatos, ou as confrarias dos melões e da broa, ou as grandes lojas do rapé, as comissões de festas, o santuário de Fátima ou a Obra do Escrivá. Uma que também explique, tim tim por tim tim,  como se financiam os partidos políticos.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    A polícia das bolas de berlim ficou assim conhecida por cumprir as regras que fazem do país um bom aluno… mas não me admirava se ao investigar a origem dos fundos da greve encontra-se os fundos de partidos políticos.

  2. Luís Lavoura says:

    A ASAE não é somente uma polícia alimentar. Também policia as atividades económicas. Isso está no nome dela. E a recolha de fundos é uma atividade económica. E remunerada.

  3. Mr José Oliveira Oliveira says:

    Se a ASAE fosse polícia económica já há muito que andava a investigar o financiamento dos bancos, das fundações, dos fundos de investimento, das imobiliárias e outros pilares da fina-flor tuga, em vez de andar a atazanar a ciganagem que vende T-shirts e Kelvin Klein a preços de saldo.


  4. ! fixe, Bruno Santos, subscrevo.

    ( essa da Obra do Escrivá é bem pertinente e pouco sabida, coisas da Opus Dei ….do mal amen )

  5. Julio Rolo Santos says:

    Essa de serem os enfermeiros a financiarem a própria greve da classe não lembra ao 😈 uma vez que os sindicalistas dos respectivos sindicatos queixam-se de que a classe está mal paga e que a maioria ganha pouco mais do que o salário mínimo Se a ASAE anda a investigar a origem dos donativos acho muito bem pode ser que se confirmem as desconfianças da sua origem. 700 mil euros angariados, como dizem, é muita roupa para tão pouco pano.

  6. chagas e pato says:

    Sempre a questão dos tabacos,sempre xabregas.

  7. Daniel says:

    ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.