A moção de censura do CDS

A moção de censura prometida pelo CDS e antecipadamente chumbada pela maioria do Parlamento é um acto político característico de um partido que quando não é irrelevante é desagradavelmente inútil. E quando calha de ter responsabilidades governativas é pernicioso. Nada disso, porém, lhe retira o direito de apresentar todas as moções que entender e que a Lei preveja. Mas tão desagradável e pernicioso como o CDS pode ser um Primeiro-Ministro que parece contaminado por uma certa vulgaridade no uso da palavra, quando se refere à iniciativa centrista como “um nado-morto”. 

Quer esteja na Assembleia da República, à saída de um Hotel ou sentado à mesa do café, um Primeiro-Ministro não pode esquecer-se que a sua função exige uma meticulosa avaliação do discurso, o qual todos – ou quase – os portugueses tomam como paradigma da autoridade, do siso e do comedimento.

Comments


  1. certa vulgaridade no uso da palavra, quando se refere à iniciativa centrista como “um nado-morto”.

    Ài que sensível que eu estou…
    Se bem calha você prefere que pariram um aborto !

  2. Nina Santos says:

    Muito gosta certa gente da politica cinzenta do fatinho e gravata.
    Só falta exigir os colarinhos altos e engomados, porque parece que obrigam a espinha dorsal a andar sempre erecta.
    Quer se goste, ou não, da postura do PM, não compreendo como a expressão nado-morto possa ser vulgar e desrespeitosa quando se adapta perfeitamente à situação.

    • Julio Rolo Santos says:

      Cristas só quer protagonismo que não tem. Ainda não será desta que o Zé lhe dará razão.

  3. JgMenos says:

    Pôr um grunho com bons modos é tarefa hercúlea.

    • Rui Naldinho says:

      “Pôr um grunho com bons modos é tarefa hercúlea.”

      Basta ler-te!

      • ZE LOPES says:

        É o Décimo Terceiro Trabalho de Hércules que ainda está em curso! Via ter de lutar contra sete mamas gigantes que habitam uma caverna guardada por doze coirões de grandes cornos que usam artimanhas treteiras para adormecer esquerdalhos! No fundo da caverna habita Menos montado no seu unicórnio que lança pragas letais! Contudo Hércules destrai o -o com uma foto de Salazar, captura-o e obriga-o a dizer bom-dia. Parece pouco mas, daqui a uns milhares de anos toda a gente vai falar disto!

    • José Peralta says:

      Ó “menos” !

      A propósito de “nados-mortos”, e em relação à “tua” adorada cristas, espero que as investigações sobre a negociata da venda do Pavilhão Atlântico em que ela TAMBÉM está envolvida, não sejam um nado-morto…

      Quanto à “tarefa hercúlea” de pôr um grunho com bons modos, pelos dejectos que por aqui vais produzindo, além de precisares de um espelho, precisas ainda mais de…um valente clister !

  4. Rui Naldinho says:

    Desde a troca de palavras com a líder do CDS a propósito dos incidentes no bairro da “Jamaica”, o PM anda com a “memória à flor da pele”.
    A expressão “nado morto”, não sendo grotesca, não é também ela uma resposta com sentido de Estado.
    Podia perfeitamente afirmar que esta moção do CDS não era ao governo, mas sim ao comportamento do PSD como Oposição.
    O CDS anda nervoso. Interiorizou o discurso de Pedro Passos Coelho, mas não tirou dividendos disso. As sondagens não revelam crescimento à custa do PSD. Nem catalisou os votos descontentes da direita. Percebe-se que pode vir aí um novo Bloco Central, com o CDS de fora.

  5. JgMenos says:

    É sempre um gosto ver a esquerdalhada a sublimar a azia da sua condição de tadinhos a darem-se ares de ideólogos.

    Enquanto não vir a Cristas a dizer-se de Direita e a invocar os princípios porque o seja, terá o meu tradicional voto no CDS em suspenso.

    Atacar a grunhara esquerdalha não dá créditos a ninguém e por mim só o faço por mero entretenimento.

    • Paulo Marques says:

      Ui, a Cristas treme de medo só com a ameaça, como se o betinho fosse capaz de votar noutro partido.

    • ZE LOPES says:

      “Enquanto não vir a Cristas a dizer-se de Direita e a invocar os princípios porque o seja, terá o meu tradicional voto no CDS em suspenso”.

      Este comentário, foi produzido depois de uma lauta refeição que incluiu sopa de chifre de unicórnio, bifes de centauro e pudim de gambozinos.

    • José Peralta says:

      Ó “menos”

      “Enquanto não vires a Cristas a dizer-se de Direita e a invocar os princípios porque o seja, terá o teu tradicional voto no CDS em suspenso” ?

      Por favor, pela tua rica saúdinha, não cumpras a ameaça…

      Então, ainda tens dúvidas de que ela é de direita ?

      Ah ! Percebo ! Queres que ela assine de cruz uma confissão, como fazia com os “pedidos” da mentira loura albuquerque…

      Repensa, “menos” ! Dá lá o teu valioso e tradicional voto à pequena !

      Não sejas um obstáculo à sua vertiginosa ascensão a “primeira-ministra” deste país…


  6. Atacar a grunhara esquerdalha não dá créditos a ninguém e por mim só o faço por mero entretenimento.

    òh Menos ! Porque não te entretens a brincar com a pilinha ?

  7. aires says:

    Quanto a direita e à extrema-direita eles sempre estiveram unidos. A confusão, é porque será que gente que se diz de esquerda!? Janta (para não dizer outro nome por exemplo; exploradores), com direita e extrema-direita reacionária !!!

  8. Pedro says:

    Vejo mais grave a demagogia, o logro, do (dito) politicamente correcto de se eufemistizar “aborto” com a generalista expressão “interrupção” (conceito que, maioritariamente, admite “retoma”, coisa que um aborto não admite), do que usar uma metáfora consagrada nestas lides — algo ser um nado-morto, sinónimo de iniciativa inútil, condenada à nascença — e na qual não vejo “vulgaridade” (nem sequer no sentido inócuo da palavra!).
    Discordo, portanto, da tese do artigo, como discordo da que acho aparentada iniciativa do PAN, relativa aos provérbios…
    Ainda sobre “vulgaridade”, uma anedota “parva”:
    — Seu ordinário! Seu anormal!
    — Ó menina, decida-se!
    (de facto, “ordinário” e “anormal” são antónimos. É só para realçar o relativo das “cargas pejorativas” mal ponderadas…)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.