A desigualdade salarial entre homens e mulheres

Fiquei tão escandalizado com a desigualdade salarial que existe em Portugal entre homens e mulheres – parece que, em média, são 157 euros por mês -, que até me esqueci da desigualdade salarial que existe entre as mulheres que vivem no Bairro da Jamaica e as que vivem na Quinta da Marinha.

Comments

  1. JgMenos says:

    Se te preocupasses em saber o que seja trabalho igual…

    • ZE LOPES says:

      Atenção, atenção! Acaba de ser divulgado pelo génio Menos um novo tempo verbal! Trata-se do CondiMenoscional. Conjuga-se mais ou menos assim:

      Se te preocupasses em jogar o que seja marcar golos…

      Se te preocupasses em apaparicar o que seja um fascista…

      Se te preocupasses em alimentar o que seja um unicórniol…

      Se te preocupasses em afagar o que seja a estátua de Salazar…

      Se te preocupasses em saber o que seja um contabilisteiro liberalote…

      • Pedro says:

        Não houve qualquer “novo tempo verbal”, e foi (formalmente) bem dito, assim como as suas “réplicas”, se bem que só a última é “sem maneirismo/muleta”, e sendo que a 1ª é mesmo calinada (“jogar marcar”).

        Quanto aos respectivos conteúdos… A ironia e as “bicadas” fazem sorrir, sem dúvida, podendo ter mais ou menos outros méritos, não sei… cheguei agora.
        Mas a consideração sobre o que seja trabalho igual é pertinentérrima e vem sendo bastas vezes escamoteada, sim.

        • ZE LOPES says:

          Não me diga, Pedro! Lá se vai o Nobel da Conjugação Verbal para o JgMenos!. O Rei da Suécia vai ficar desolado! Era uma oportunidade por que ansiava desde criança: ao Menos conhecer o Menos.

    • Paulo Marques says:

      E mandar o capital para as Berlengas é igual a quê?

  2. Ana A. says:

    Acho muita piada a este “avanço” !

    Perguntem aos jovens (e não só), como é que eles pretendem pagar uma renda de casa, nos dias que correm.

    E isto já para não falar da violência que é a maioria das pessoas “ter” que fazer uma parceria para dividir a renda. Porque viver só e independente está fora de hipótese! (Dantes chamavam-lhe casamento e teve muita adesão).

    • JgMenos says:

      Todo o salário deve permitir ao trabalhador, ainda que jovem em início de carreira, viver por si, bem e em casa que não partilhe.
      Alugar um quarto é um rebaixamento inadmissível.

      Cozinhar em cozinha comum e dormir numa camarata é uma indignidade, a não ser que o espírito solidário esteja alicerçado numa gloriosa sociedade socialista.

      • ZE LOPES says:

        Ora nem mais! Nem Menos!

        Aliás, é público que V. Exa. passou por isso tudo! Até teve de dormir com o unicórnio num colchão de sumaúma e comer, dias a fio, gambozinos de conserva!

      • Paulo Marques says:

        Quando o início de carreira vai até aos quarenta anos, alguma coisa está errada.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.