AMP: Estudo de implementação do Passe Único feito em menos de 2 meses

Acta da reunião de 24 de janeiro de 2019

Há apenas dois meses atrás, precisamente a 24 de Janeiro de 2019, o Conselho Metropolitano do Porto não fazia, aparentemente, a mínima ideia sobre como iria implementar o Passe Único na Área Metropolitana. É isso que se pode concluir da leitura da Acta da 25ª Reunião Ordinária da Comissão Executiva Metropolitana do Porto, realizada nesse dia do passado mês de Janeiro. Há menos de sessenta dias atrás, portanto.

O ponto 8 da Ordem de Trabalhos consistiu na “Proposta de Adjudicação, por Ajuste Directo, da aquisição de serviços para a realização de um Estudo para a implementação de um Passe Único, nos transportes na AMP”.

Nessa reunião, o Primeiro-Secretário da Comissão Executiva Metropolitana do Porto, de acordo com o que consta da respectiva Acta, “afirmou que era necessário estudarem como a AMP iria implementar o Passe Único, para uso em todo o território da AMP, sobretudo ao nível da compatibilização dos diferentes sistemas de bilhética actualmente existentes, dado que o ANDANTE não era, ainda, usado pela totalidade dos operadores privados de transporte público.”

Por ora, três dúvidas subsistem:

  1. Como é que se implementa uma medida desta complexidade e importância – o Passe Único – com base num “estudo” que há dois meses atrás não estava sequer encomendado?
  2. Onde está esse “estudo”?
  3. Quais as suas conclusões?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.