A malta do gasol

Uns, finos, enchem o depósito na bomba secreta. Outros, mais justos, metem só até meio. Pensam no próximo, no que também precisa. É claro que vão ficar na estrada, mas é a vida.

Comments

  1. ZE LOPES says:

    A minha tese é que por detrás desta greve estão os poderosos lobbies das trotinetes! Não se admirem se, sexta-feira as autoestradas estiverem cheias delas a caminho do Algarve!


    • …..BOA !!! não tinha pensado nisso !

      : ))

    • Bruno Santos says:

      Fui à bomba meter gasoil
      Koje é dia da Rosette.
      Tava seca, sem pitroil,
      tive quir de trotinete.

      Cheguei lá arrebentado,
      Estava a Rosette àspirar.
      – Não m’atestas nesse estado,
      põe-te já daqui a andar.

      Apontei prá trotinete
      – Tou sem gota, meu amor!
      Malvada, essa Rosette,
      bateu-me co aspirador.

      • ZE LOPES says:

        Ora aí está! Eu sempre disse que esta coisa da falta de gásoil iria potenciar situações dramáticas de violência doméstica. Pelos vistos não estava enganado. As televisões não dizem nada mas, segundo um tuiter que vi instagramado no facebuque, por todo o país há aspiradores em riste!

        • ZE LOPES says:

          Última hora! Pelso vistos a foto do buraco negro afinal foi tirada ao tanque do gasóleo do Intermarché de Oeiras!Tá tudo tuitado no instagrame! Em Bruxelas já se pede a demissão do Moedas!

      • ZE LOPES says:

        Cenas do próximo capítulo:

        Atirei co aspirador
        E atestei-a co’agulheta!
        A Rosette não sabia
        Qu’eu tinha uma bomba secreta!

        • Bruno Santos says:

          Comecei então a bombar
          Co’a mangueira que escondia
          A Rosete ficou sem ar
          Sua ogiva agora ardia

          • Ah malandro Belzebu
            Que me incendeias a catedral
            Que mangueira trazes tu
            Que deita fogo afinal?

          • : )

            …...quero mais !!!!!

          • ZE LOPES says:

            Eu só tenho uma coisa acrescentar: a Rosette está cada vez mais tola! E mais satânica! Qual era a música no pick-up? Não seria do Marilino Manso?

          • ZE LOPES says:

            Eis que Belzebu responde:
            A mangueira at’é bem fina!
            E o fogo em que ardes,
            Nã é do Inferno! É teu menina!

  2. Julio Rolo Santos says:

    Por detrás desta greve estão 0s gestores dos transportes que querem salários iguais ao do Sr. Mexia & Ca. Os trabalhadores destas empresas que recebem salários de miséria que continuem
    com esses salários e ainda paguem a crise. Solidariedade com estes e todos os trabalhadores vergados por estes abutres.

  3. Rui Naldinho says:

    É isso, Bruno!

    “Uns, finos, enchem o depósito na bomba secreta. Outros, mais justos, metem só até meio. Pensam no próximo, no que também precisa. É claro que vão ficar na estrada, mas é a vida.”

    Outros riem-se com este Portugal que nunca nos surpreende pela positiva, sempre as manhas do costume, com salários pagos aos camionistas, Fifty/50%, parte dentro da legalidade, outro tanto por baixo da mesa. Assim um gajo cala e vai para casa contente, até descobrir que, com um ordenado declarado de 650,00€ mês, mesmo ganhando uns trocos por fora, no dia em que se reformar, levará com alguma sorte, pouco mais de 500,00€ de pensão.
    É isto que nos diferencia de outros, e é por isso que nunca passaremos da cepa torta. Afinal o país sempre foi gerido, pelo pensamento intrínseco, da “malta do gasol”.

    • Paulo Marques says:

      Trump é presidente Americano e o país gira à volta de Wall Street: May é May num país onde o capital quer Brexit sem Brexit; Merkel gosta muito da concorrência, menos quando lhe tocam nos carros; Macron é Macron e a França é a França; e por aí adiante. Porque raio é que temos sempre que achar que a relva é mais verde lá fora?

      • Rui Naldinho says:

        Andar dez anos a discutir a localização do aeroporto, na capital, dentro da chamada Europa Ocidental, só deve ser possível em Portugal.

        • Paulo Marques says:

          Isso comparado com o processo do Brexit, que o poder político e o capital nunca quiseram, mas também não querem dizer que não querem, é coisa de meninos. Ou com Bruxelas a produzir papel sobre reformas económicas que não têm a mínima intenção de realizar pelo menos desde o início do Euro.