João Ferreira

João Ferreira, cabeça de lista do PCP às eleições europeias.

 

Quem tenha assistido ao último debate televisivo entre João Ferreira (PCP) e Paulo Rangel (PSD), não pode ter deixado de reparar na impressionante qualidade do candidato comunista. Totalmente imune às permanentes tentativas de sabotagem do seu discurso, João Ferreira deu mostras de uma invulgar clareza de pensamento e de uma extraordinária capacidade para o verbalizar. Com convicção e com grande honestidade. Portugal precisa de homens como João Ferreira.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Por isso é que o mandam para um sítio onde vai ser completamente irrelevante.
    Ainda tenho que o ouvir no Perguntar Não Ofende.

    • Paulo Marques says:

      Vou a meio, este homem é um senhor, carago. É o único chefe de lista com uma visão consequente da eurolândia.

  2. JgMenos says:

    Ponham-no na CGD durante dois anos e logo veremos se nos faz falta.

    • ZE LOPES says:

      Compreendo. O seu problema é ter comprado o unicórnio a crédito. Por ser um banco público, ninguém lá na CGD compreende que é um bem de amortização de rapidez acentuada. Em breve os seu valor venal não passará da ponta de um corno!

  3. Rui Naldinho says:

    Aliás, a saída extemporânea de Paulo Rangel é sintomática. Não há nada como a azia para deixar um gajo mal disposto!

  4. Nuno M. P. Abreu says:

    os Estatutos do PCP:
    “O Partido Comunista Português, partido político da classe operária e de todos os trabalhadores, inteiramente ao serviço do povo português e de Portugal, tem como objectivos supremos a construção ..do Comunismo
    Como partido tem como base teórica o marxismo-leninismo.
    …A adesão de Portugal à CEE, contra a qual o PCP justamente lutou –”

    Escrevia, há dias, Francisco Melo, membro do Comité Central,no Militante :
    “Defendemos hoje o marxismo-leninismo com o mesmo espírito com que, no seu tempo, Lénine defendia o marxismo”

    Dizem os Estatutos do PCP:
    “São princípios essenciais de uma democracia:
    – o sufrágio universal directo, secreto e periódico;
    – a capacidade activa e passiva a partir dos 18 anos;
    – o recenseamento único para todas as eleições, controlado pelos cidadãos e pelos partidos políticos, obrigatório para os eleitores residentes no território nacional;
    – o acesso aos meios de comunicação social e a todas as outras formas de contacto e esclarecimento dos eleitores em condições de igualdade e efectiva liberdade;
    – a fiscalização livre e eficaz das eleições.”

    Diz Jerónimo de Sousa:
    A Coreia do Norte não é uma democracia?
    Primeiro temos de saber o que é uma democracia!

    Mais palavras para quê? A coerência na sua plenitude.

    Responder
    Deixar uma resposta

    • Paulo Marques says:

      E a visão confusa de Jerónimo sobre a Coreia do Norte, grande aliado da maior potência mundial, tem o quê a ver com as eleições europeias?

      • JgMenos says:

        Tem a ver com as ‘formas superiores de democracia’ que só a comunada sabe o que seja, mas onde seguramente não te poderia dizer que te estás a armar em parvo

        • Paulo Marques says:

          Pensei que a forma superior de democracia era a que a grande coligação levou ao Iraque.

  5. Fernando Manuel Rodrigues says:

    Convivi e trabalhei com vários membros do PCP. Em termos de verticalidade e dehonestidade intelectual, pouco ou nada tenho a apontar-lhes.

    Agora, no que toca à inflexibilidade ideológica e ao pensamento acrítico e completamente enfeudado à idelogia oficial do partido, tenho tudo a apontar-lhes.

    • Rui Naldinho says:

      Nesse domínio o PCP é de uma intolerância fora do comum.
      Mas já os nossos antepassados, com uma verticalidade e honestidade intelectual muito superior à nossa, e aqui falo em termos geracionais, como é óbvio, também o eram, face à nossas geração. Intransigentes com todos os outros que não tinham as suas visões do mundo.
      Não foi por acaso que Salazar e Cunhal sempre foram vistos como gente detestável, mas impoluta.
      O problema do PCP é precisamente esse. Agararrou-se aos seus dogmas, e dali nunca sairá. O PCP ainda vive nas lutas operárias do século XX.
      Por outro lado, constata-se que a chamada social democracia, uma espécie de terceira via entre o comunismo e o capitalismo puro, ela própria não passa de um embuste, onde qualquer alma travestida de libertário na adolescência, acaba na maturidade, como o pior neo liberal que possamos imaginar. Um personagem destes, vIsto pelos olhos dos nossos antepassados, seria logo rotulado de oportunista, ou vira casacas.
      Será que terá de ser sempre assim? Ou a coerência perde-se com os anos?
      Diga-me se se no seu subconsciente, e isto serve para todos nós, aqui no blogue, se a imagem que tem dos partidos do nosso centrão político, PS e PSD, em especial, não lhe ocorre por vezes a ideia de que aquela gente não passa de facto de um bando de oportunistas?

      • Paulo Marques says:

        «O PCP ainda vive nas lutas operárias do século XX.»
        Tem razão, está atrasado, tem que voltar às do século XIX – o trabalho à jorna, as 40 horas, a segurança no trabalho e por aí adiante.

      • José Peralta says:

        Rui Naldinho

        Concordo consigo, (e não é a primeira vez…) e com Paulo Marques, no que toca à intolerância do PCP, ao seu dogmatismo sem discussão e contraditório, à sua fidelidade`aos “mandamentos” da “bíblia”, da vulgata comunista, antiquada, desactualizada e ultrapassada, no fundamentalismo dos conceitos da Revolução Soviética de 1917, que fazem dele, o único partido comunista europeu, sobrevivente ao desmoronar do “muro” !

        Quanto ao Salazar “impoluto”, depois do “patrocínio” da pide que, em seu nome torturou, assassinou, violou, destruiu as famílias de tantos dos nossos concidadãos, depois de uma guerra colonial que exauriu o país, que matou tantos de nós (e os dos países colonizados), deixou milhares de jovens, traumatizados, amputados, aniquilados, a quem no 10 de Junho (o “dia da “RAÇA” !) a quem, hipocritamente, era imposta, ou aos seu pobres pais, filhos, mães, mulheres ou namoradas, uma “medalhinha” e depois, abandonados à sua sorte ?

        Já sobre Álvaro Cunhal, intelectualmente superior sim, foi detestado por muita gente, mas por motivos diferentes, as suas opções ideológicas que pagou bem caro com a prisão e a tortura, e também pelos seus erros políticos, tornando-se à sua maneira “a voz do dono” do país que o acolheu, concordando (certamente por fidelidade ao tal “dogmatismo”…) às selváticas invasões da Hungria (1956) e Checoeslovàquia (Primavera de Praga -1956) pelos exércitos soviéticos !

        Factos que motivaram a debandada de muitos militantes exilados nesses países e que, revoltados, testemunharam “in loco” essas invasões.

        • José Peralta says:

          Em tempo : Primavera de Praga-1968

        • Rui Naldinho says:

          Ê óbvio que Salazar era um déspota, em toda a linha. Mas não se lhe pode imputar benefícios materiais próprios, ainda que tenha ajudado alguns amigos a fazer fortuna como os Melos e a família Espírito Santo, por exemplo.

          • José Peralta says:

            Rui Naldinho

            Tudo bem ! Mas essa estória do “pobrete”, nunca me deixou…”alegrete” !

            E aqueloutra estória de que, ao morrer, “deixou os cofres do Banco de Portugal cheios de ouro”, (tão proclamada pelos direitólas…e que “os do 25 de Abril delapidaram”…)) só se foi o ouro nazi (roubado às vítimas do holocausto, e que Portugal recolheu e nunca devolveu !

            E aquela famosa foto, da sola da bota com um remendo…uma náusea !

        • Paulo Marques says:

          Dogmatismo sem pragmatismo só dá tirania; aí nem discordo do Sr. Abreu. Mas o exemplo das relações laborais é o pior possível, o pragmatismo originado nos anos 70 só tem causado o lento descalabro da economia e da qualidade de vida.

  6. Nuno M. P. Abreu says:

    Um pensamento completamente enfeudado a uma ideologia poderá ser intelectualmente honesto?

    • Paulo Marques says:

      Um pensamento completamente à venda de promessas de reformas que nunca resolvem os problemas das pessoas (sem falar da economia) poderá ser intelectualmente honesto?

      • Nascimento says:

        É vero ! Um pensamento,uma posição Ideológica, de Poder, face às Mulheres por parte de uma Igreja (católica) por exemplo , será ” intelectualmente honesto “? etc, etc…
        Demagogia?Fácil,nã é?

  7. Nuno M. P. Abreu says:

    Será que no Parlamento de uma Europa democrática caberão representantes de partidos cuja ideologia é avessa à democracia e os seus máximos dirigentes, embora a tenha inscrito nos seus estatutos, não sabem bem o que significa?

    • Paulo Marques says:

      https://en.wikipedia.org/wiki/Law_and_Justice
      https://en.wikipedia.org/wiki/Fidesz

      Sem falar no historial colonial dos países fundadores e das intervenções externas militares desde então.

      • Paulo Marques says:

        Quanto às últimas, podemos só ficar pela venda de material militar para proteger multi-nacionais do país e pelas intervenções na Ucránia e Iraque, que resultaram tão bem.

    • José Peralta says:

      A direita envergonhada que não se assume !

      A Europa “democrática” tem no seu seio estes “democratas”…

      https://www.dn.pt/lusa/interior/migracoes-hungria-e-polonia-veem-cada-vez-mais-paises-contra-a-imigracao-9022038.html

      E o que eu tenho visto, é João Ferreira !

      E vejo Marisa Matias, e até Ana Gomes, a defenderem com energia e veemência, os interesses do seu País e a defesa dos Direitos Humanos em outros países onde eles são violados.

      Ao contrário dos rangéis e do VOX nuno melo, que desde os tempos da p(M)áfia, sempre fizeram côro com o shäuble, nas sanções a Portugal e à Grécia, pois, para eles, “quanto pior, melhor”, a asfixia dos dois países

      E continuam, os estupores !

      • José Peralta says:

        E o que eu tenho visto, é João Ferreira, (esse “perigoso comunista” !) exemplar na defesa de Portugal !


        • VERDADE, José Peralta ! na defesa de Portugal e não só !

          • Nuno M. P. Abreu says:

            Defesa de Portugal? E não só ? E de quem mais ? O representante de um partido ideologicamente cavernicula poderá defender algo que não seja a redução intelectual do homem a portador de uma bandeira onde está inscrito um slogan?
            A dignidade humana não se pode tornar refém de alguém que não sabe sequer o que é uma democracia.

          • Nascimento says:

            Ai a ” dignidade” carissima Isabel! não sabe?É sempre ” refém” de demagogos. Ora bora lá saltar, bater palminhas , e, já agora gritar ( de preferencia antes do refogado e do tinto) : VIVA A DIGNIDADE …HUMANA! eheheheh ganda democrata pá! Eu é que xõ o Plesidente…MAI NADA!

          • Paulo Marques says:

            O representante de um partido ideologicamente nulo poderá defender algo que não seja a redução intelectual do homem a pagador de impostos para alimentar as contas certas?


          • Nascimento, estou confusa com esta “caríssima Isabel” a que responde sem jeito e com a dignidade às avessas ?
            Por acaso não baralhou o nome de uma qualquer isabel, que não a Isabela deste comentário,? !
            Não percebi patavina,
            …… ou fez o comentário ” depois do tinto ” ?

          • Nascimento says:

            Foi a ” caríssima” quem rabiscou a palavrinha
            ” dignidade”? Vai um desenho para entender? mesmo sem tinto?Livra…ressaca ?

  8. xico says:

    Como é que um homem brilhante como ele, e que não usa cassete como nos acostumou o PCP, ainda está neste partido é que me admira.

    • Nuno M. P. Abreu says:

      Generalizar não é analisar.
      Vivo num regime que me permitir pensar, opinar e votar. Quem me representa é quem escolhi. Se escolhi mal foi porque me não informei ou não tinha por onde escolher. Se não tenho por onde escolher é porque fiz pouco ou nada fiz pela educação das minhas gentes e das gentes que me rodeiam.

  9. Lu Pisarro says:

    Se o povo português o escolher para um cargo relevante, Portugal o merece.

    Comunismo. Desde quando foi bom?

    Ainda bem que meu pai (do Porto) não está vivo para ler semelhante ultraje.

    Este senhor pode ser culto, articulado e o que for, mas o que ele representa é um mal para a humanidade.

    Tenho pena de pessoas como Bruno Santos.

    Coitado do querido povo português.

  10. Nuno M. P. Abreu says:

    A defesa dos interesses de Portugal por João Ferreira na UE

    “A vitória da saída da União Europeia no referendo realizado no Reino Unido constitui um acontecimento de enorme magnitude política para o povo do Reino Unido e também para os povos da Europa.
    Representa uma alteração de fundo no processo de integração capitalista na Europa e um novo patamar de luta daqueles que se BATEM HÁ DÉCADAS CONTRA A UNIÃO EUROPEIA do grande capital e das grandes potências, e por uma Europa dos trabalhadores e dos povos.
    O PCP saúda em particular os comunistas britânicos e outras forças de esquerda que – rejeitando falsas dicotomias e combatendo discursos reaccionários e xenófobos – assumiram e afirmaram no referendo a voz defensora dos valores da democracia, dos direitos laborais e sociais, do progresso, da tolerância, da solidariedade e da cooperação entre os povos.
    A todos aqueles que agora propagam irresponsavelmente a ideia de que estes resultados constituem um desenvolvimento negativo, o PCP afirma que o exercício de direitos democráticos e de soberania de um povo não pode ser visto como um problema.

    Pelo contrário, o referendo britânico é o reflexo de sérios e profundos problemas que já existem há muito e que resultam de um processo de integração corroído de contradições, visivelmente esgotado e cada vez mais em conflito com os interesses e justas aspirações dos trabalhadores e dos povos.
    O referendo britânico deve, assim, ser encarado como uma oportunidade para se enfrentarem e resolverem os reais problemas dos povos, questionando todo o processo de integração capitalista da União Europeia e abrindo um novo e diferente caminho de cooperação na Europa, de progresso social e de paz.
    Em particular, o PCP realça a urgência e a necessidade de Portugal se preparar e estar preparado para se libertar da submissão ao Euro, que tantos prejuízos tem trazido ao País, de modo a garantir os direitos, o emprego, a produção, o desenvolvimento e a soberania.


    • …e não é que concordo com João Ferreira ? !!

      e não pertenço ao PCP ! ( nem a qq. outro, não “engagée” ! )

      • Nuno M. P. Abreu says:

        “Guiamo-nos pela ideia de que nenhum defeito é mais grave do que o apego teimoso a ideias feitas , contra a verdade dos factos, e nenhum cuidado mais necessário do que corrigir francamente pontos de vista quando estes se mostram menos corretos!”
        Prefácio de Álvaro Cunhal ao seu livro “ A questão Agrária em Portugal”, escrito em 1966 , em Praga.

        Moi aussi !
        Je n’ai jamais engagée.


        • É sempre bom sabermos de outras opiniões idóneas e afins quanto à nossa forma de pensar.

          com permissão do blogue Ladróes de Bicicletas e do autor :

          http://ladroesdebicicletas.blogspot.com/2019/05/de-facto-nao-e-europa.html

          • Nuno M. P. Abreu says:

            Não a vou tratar por cara porque não sei até que ponto tal tratamento possa ser para si constrangedora. Mas entenda que, de coração, tenho muita consideração por si, independentemente de podermos estar em plena discordância ideológica.
            Penso que , em Portugal, o PCP não pretende melhorar a democracia que eles definem como burguesa. Eles não dialogam no sentido de procurar encontrar soluções. Eles levantam problemas para tentarem provar que esta democracia não é sua, não representa o seu centralismo democrático de partido único.
            Na Europa, João Ferreira procede da mesma maneira. Do próprio título do livro que pouco mais é que uma reposição de um conjunto de anteriores intervenções suas, se constata isso mesmo.
            Constitui uma afirmação inútil dizer-se que a “A União não é a Europa”. Todos sabem que são cerca de 46 os países que constituem a Europa e cerca de 28 os que constituem a UE.
            O que penso, certo ou errado, é que João Ferreira “trabalha” para destruir a EU organização que, até hoje, impediu que os extremismos de esquerda, o comunismo, e os extremismos da direita, o fascismo, se implementassem nos países que a ela aderiram.
            O PCP professa uma ideologia que o tempo tornou caduca. E tal ideologia tem na sua matriz a aplicação universal dos seus princípios, que nada tem a ver com nacionalidade ou povos.

          • José Peralta says:

            Escreve o “escrevinhador” da Direita envergonhada :

            “Um pensamento completamente enfeudado a uma ideologia poderá ser intelectualmente honesto?”

            Um pensamento completamente enfeudado a uma ideologia DE DIREITA poderá ser intelectualmente honesto?

            Ah ! Claro ! Se for de Direita, mesmo que envergonhado, então… JÁ PODE !

          • Nuno M. P. Abreu says:

            Uma – artigo INDEFINIDO
            Uma ideologia – Qualquer ideologia
            Conclusão DEFINITIVA do Sr Peralta: Se for de direita já pode.

            Diz Oscar Wilde:
            “Nunca estamos mais de acordo connosco mesmos do que quando somos inconsequentes.”

            O Sr. Peralta em toda a sua plenitude !!!

  11. Nuno M. P. Abreu says:

    Nota:

    Na Grã-Bretanha existem dois partidos comunistas: o PCB -partido comunista britânico; e o PCGB – partido comunista da Grâ-Bretanha.
    Nas eleições de 2015, o PCB teve 1.229 votos em 30 milhões de votos expressos: = 0,004096667 %

    O PCGB não concorreu.

    • Paulo Marques says:

      O João Ferreira excedeu-se a exaltar apenas os comunistas, mas é fácil verificar que não faltam pessoas que votaram a favor do Brexit para acções como as que estão no plano de Corbyn serem legais. Uma parte cada vez maior tem tomado conhecimento de MMT e da armadilha que é o mercado único.
      O argumento contrário é dizer que não porque não há alternativa ao Hotel Califórnia, que não é tão mau por ser um projecto de solidariedade e de combate às multinacionais, apesar de não ser verdade.


    • ” Não a vou tratar por cara porque não sei até que ponto tal tratamento possa ser para si constrangedor. Mas entenda que, de coração, tenho muita consideração por si, independentemente de podermos estar em plena discordância ideológica.”

      Claro que sim, que é assim a convivência saudável que aprecio de valer a pena, Nuno Abreu .

      …fico sempre constrangida é com discussões “dialéticas estéreis” e incompreensões “ideológicas” como insiste em chamar a princípios e opções de ordem pessoal,
      e que não levam a que se altere a opinião de cada um.
      Por isso não ser este tipo de assuntares politiqueiros que mais me apraz, mas sim um conversar variado sobre o que cada um de nós traz de diferente e positivo que possa enriquecer o chão da nossa convivência democrática e solidária …mesmo discordando ou com risco de não se encontrar empatia que compense o convívio…virtual que seja .

      Fico por aqui, que esta não é a minha praia favorita e há tanto mar, e vou evitar fazer certos comentários que me deixam num vazio de tempo perdido.

      Saudações cordiais, companheiros de boas vontades.

  12. Nascimento says:

    “Demagogia feita á maneira é como queijo numa ratoeira”… Primeiro posta ” históriazinhas de vida e a lamuriazinhas” de merda, (como se nós tivéssemos que ver aqui com os estados de alma do animal)… ele é tão “bonito”, não é? Inteligente? ui, ui…
    Tem é a mania que é espertalhaço, mas, não passa de um palhaço, o qual, assim que começa a rabiscar percebe~se logo ao que vem.Um sacana é sempre um sacana.
    Depois, é só ler as pérolas como estas acima publicadas e o ” integro” e ” inteléeectual ” da Treta, mostra o rabo de maneira a ver-se o buraquinho.

  13. Nuno M. P. Abreu says:

    Nascimento é nascimento. Ninguém é responsável pelo seu próprio nascimento. Há que respeitar! Mesmo quando dá vontade de vomitar.

    • Nascimento says:

      Podes vomitar á vontade que a partir de agora vais levar com o Nascimento. Tenho estado a ” apreciar” o teu jogo. Ui, ui…. E meu treta; Estados de Alma? Mas o Aventar é algum confessionário? Missa?Se o ridículo matasse já estavas para lá há tempo infinito. Nem reparas que o pessoal está-se cagando para quem eras tu ou o que comias e comes ,lias e lês , andaste ou andas a fazer , os teus cursinhos? se a família era ou é assim ou assado … nem enxergas. Lol

  14. Nuno M. P. Abreu says:

    “ O tolo possui uma grande vantagem sobre o homem de espírito: está sempre contente consigo mesmo”
    Napoleão Bonaparte

    “Eu larguei o Reed College depois de um semestre, mas continuei assistindo a algumas aulas por mais 18 meses, antes de desistir de vez. Por que eu desisti?Tudo começou antes de eu nascer. Minha mãe biológica era jovem e não era casada; estava fazendo o doutorado, e decidiu que me ofereceria para adoção. Ela estava determinada a encontrar pais adotivos que tivessem educação superior, e por isso, quando nasci, as coisas estavam armadas de forma a que eu fosse adotado por um advogado e sua mulher. Mas eles terminaram por decidir que preferiam uma menina. Assim, meus pais, que estavam em uma lista de espera, receberam um telefonema em plena madrugada dizendo “temos um menino inesperado aqui; vocês o querem?” Os dois responderam “claro que sim”. Minha mãe biológica descobriu mais tarde que minha mãe adotiva não tinha diploma universitário e que meu pai nem mesmo tinha diploma de segundo grau. Por isso, se recusou a assinar o documento final de adoção durante alguns meses, e só mudou de idéia quando eles prometeram que eu faria um curso superior.
    Assim, 17 anos mais tarde, foi o que fiz. Mas ingenuamente escolhi uma faculdade quase tão cara quanto Stanford, e por isso todas as economias dos meus pais, que não eram ricos, foram gastas para pagar meus estudos. Passados seis meses, eu não via valor em nada do que aprendia. Não sabia o que queria fazer da minha vida e não entendia como uma faculdade poderia me ajudar quanto a isso. E lá estava eu, gastando as economias de uma vida inteira. Por isso decidi desistir, confiando em que as coisas se ajeitariam. Admito que fiquei assustado, mas em retrospectiva foi uma de minhas melhores decisões. “

    Steve Jobs, presidente-executivo da Apple, em 12 de Junho de 2005, em discurso aos formandos da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

    • abaixoapadralhada says:

      Já la dizia o “reizinho” que gostava de caçar elefantes

      Porque não te calas ?

    • Paulo Marques says:

      Os pais deles não eram ricos, claro que não. Nem os dele nem os do concorrente.
      Alguém que se suicida como ele se suicidou não é exemplo de vida para ninguém.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.