Rui Rio

Rui Rio tem três problemas fundamentais, sendo que nenhum deles resulta de defeito seu particularmente grave. A saber:

  • É do Porto.
  • É conservador nos costumes.
  • Não voa, mas usa vassoura.

Nenhum destes problemas tem, aparentemente, solução favorável. Rui Rio não vai deixar de ser do Porto, cidade para a qual transferiu o centro simbólico do poder do seu partido. Também não vai deixar de ser conservador nos costumes, pois essa é uma marca fundamental da sua identidade política, muito embora esteja em total contra-ciclo com a dinâmica social vigente. Finalmente, não é expectável que desista a meio do processo de reconfiguração interna que iniciou, uma vez que foi precisamente para o executar que foi eleito presidente do PSD.

Assim, conseguindo chegar às eleições legislativas – nem que seja montado numa só perna -, Rio terá, com grande probabilidade, um fraco resultado eleitoral, mas não terá uma derrota. Conseguirá três objectivos fundamentais da sua estratégia. A saber:

  • Transferir para o Porto uma parte significativa do poder simbólico dos seu partido e do próprio regime, fazendo pela descentralização muito mais do que os demagogos de serviço.
  • Travar, na medida em que para tal tiver poder, a degradação dos costumes, a qual conduziu a sociedade portuguesa a um patamar inédito de indigência e insalubridade.
  • Partir o velho Bloco Central, criando um novo.

A isto juntar-se-iam duas ou três observações sobre o seu recente percurso como líder do PSD, sendo a primeira das quais que não é comum um líder partidário ter uma tão pronta, ampla, determinada e insistente oposição interna. Se a isto se acrescentar a unanimidade da comunicação social no combate à sua liderança e a conspiração parlamentar de que foi vítima no caso dos professores, temos, eventualmente, reunidas as condições necessárias ao ressurgimento de um factor essencial a qualquer regime democrático, mesmo o português: uma Oposição.

Comments


  1. Rui Rio tem três problemas:

    Mário Centeno “o melhor ministro das Finanças da Europa”
    Grupo parlamento que não escolheu e lhe anda a fazer a folha

    e mais grave ainda:

    A coligação Comunista fez um pacto com Satanás

  2. Fernando Manuel Rodrigues says:

    O principal problema de Rio é a sua crónica falta de (pre)visão política, e a sua proverbial “casmurrice”. Foi isso que o levou a enterrar-se numa guerra que não era sua (a questão do contagem do tempo de serviço dos professores), que teve como consequência o enorme “trambolhão” que sofreu nas europeias.

    Não sei de quem foi a ideia, mas tenho a certeza que teve luz verde da parte dele. Pensou (ou convenceram-no) que estava a ser mais esperto do que o Costa – lixou-se.

    • Rui Naldinho says:

      Rui Rio ganhou 3 eleições autárquicas no Porto, mesmo com a natural antipatia dos simpatizantes do FC do Porto à sua pessoa, mesmo com a casmurrice que sempre o acompanhou antes e agora, e nem por isso deixou de estar 12 anos no Poder.
      Mais tarde, Rui Rio contribuiu decididamente para a primeira eleição do actual Presidente da Invicta, Rui Moreira, desapoiando Luís Filipe Menezes, e nem por isso deixou de alcançar os seus objectivos.
      Não é necessário ser politólogo para se perceber as razões da sua vitória no Porto e do seu sucessor. Quem se lembrar do percurso politico sinuoso de Fernando Gomes, onde as negociatas proliferavam como o CC Dalas, CC Cidade do Porto, os prédios na Avenida da Boavista, aprovados em cima da VCI, e, “culminado com a sua saída para Barrancos”, na vã tentativa de parar os toiros de morte, só podia imaginar o regresso de Fernando Gomes à autarquia, tentando recuperar o velho tacho, como desastroso.
      O PS ao longo desta legislatura fartou-se de fazer asneiras, de cometer gafes, e nem por isso deixou de ganhar umas eleições autárquicas em 2017, com um score eleitoral dramático para o PSD, que perdeu autarquias de referência, como Lamego e Chaves, por exemplo. Já tinha perdido Vila Real e Covilhã, no tempo de Passos Coelho. E estou a falar da Província. Se entramos pelas grandes urbes, com excepção de Braga, então a coisa piora.
      O PS ganhou estas europeias, e ganhará todas as outras eleições enquanto o PSD se enfrascar naquele discurso temerário do Diabo atrás da porta. Isto num país de salário mínimo de 600,00€. Isto num país onde a culpa é sempre do despesismo dos funcionários públicos e a irresponsabilidade dos sindicatos, que deviam fazer greve só ao domingo, da meia-noite às oito da manhã. Entretanto vão falindo Bancos. Locais esses, onde o PSD nidifica desde o tempo das privatizações, como os coelhos numa coelheira. Entretanto vão-se fazendo ou concluindo algumas privatizações e novas PPP’s, locais esses, onde o PSD faz daquilo um asilo.
      É bom não nos esquecer que a EDP teve um Conselho Superior composto por Eduardo Catroga, Celeste Cardona, Paulo Teixeira Pinto, Rocha Vieira e Braga de Macedo. Com excepção de Celeste Cardona, do CDS, aquilo era tudo gente afecta ao PSD. Deve ser difícil de encontrar pior.
      Carlos César, do PS, é apontado como agente de empregos para os seus familiares. Se de facto ele se torna num personagem ridículo e sem vergonha, aquilo que o PSD fez na EDP, na ANA, no CTT, foi a todos os níveis um verdadeiro assalto, que aos consumidores custou muitos milhões de euros. Os familiares de Carlos César todos juntos não vão auferir nem metade daquilo que Eduardo Catroga já auferiu e continuará a auferir. Um Eduardo Catroga que faltou a metade das reuniões do Conselho Superior da EDP. Caricato!
      Para mim o PS é o partido da pequena e média corrupção. Muita dela assente no aparelho de Estado. Sócrates terá sido uma excepção à regra, agigantando-se perante os seus pares. Por sua vez, o PSD é o partido dos maiores esquemas fraudulentos na economia portuguesa, sempre com aquele ar respeitável que estamos dinamizar a economia, para falir mais à frente, com os portugueses a pagar a factura.


      • Lamego autarquia de referência, uauuuuuu… Tirando esta e outras excitações, e resto está correcto.

        • Rui Naldinho says:

          Sabe lá você o que é que Lamego representa na História deste país?
          Acontece que Lamego é uma autarquia de referência para o PSD, não pela sua dimensão, mas porque sempre um feudo dos sociais democratas. Só por isso. Tal como Viseu e Tondela. Já não tenho a certeza no caso de Chaves, mas penso que também esta, foi sempre uma autarquia laranja

      • Fernando Manuel Rodrigues says:

        Você deu a resposta à sua própria exposição. Não foi Rui Rio que ganhou, foi Fernando Gomes que perdeu. E perdeu porque foi demasiado ambicioso, e abandonou a cidade depius de ter dito que nunca o faria. Os portuenses não esquecem.

        Contra Fernando Gomes, o PSD tinha ganho até com a mulher da limpeza, ou com uo cantoneiro (sem qualquer intenção de desrespeitar ou menosprezar as referidas profissões, pelas quais até tenho grande consideração).

        Quanto à cidade, Rui Rio geriu-a da mesma maneira que que um merceeiro gere a sua mercearia – muito certinho, pagou as contas, mas a cidade definhou a todos os níveis. Olhe-se para a situação actual, e compare-se com a situação em que Rui Rio a deixou.

        Se chegasse a PM, teríamos um país a definhar da mesma maneira. Ele não passa de um amanuense.

        • Rui Naldinho says:

          “Contra Fernando Gomes, o PSD tinha ganho até com a mulher da limpeza, ou com o cantoneiro”

          É verdade. Tal como contra Fernando Gomes, o PSD teria ganho até com a mulher da limpeza, passe o exagero, também Costa ganhou estas Europeias, como aquele “Totò”, do Pedro Marques. Não foi por acaso que o PM a certa altura, passou ele a ser o protagonista da campanha, deixando a Pedro marques o papel de “mulher da limpeza”, que o de cantoneiro, já só é para Maçon.
          Você escreveu muito bem. Não se ganham eleições. Perdem-se!

          • José Peralta says:

            Rui Naldinho

            Concordo com a completa análise do seu texto inicial. Descritivo, objectivo e… demolidor !

  3. Luís Lavoura says:

    Rui Rio é conservador nos costumes?! O que é que isso quer dizer, precisamente? Ele é a favor do suicídio assistido. Então ele é contra o quê? Que outras questões de “costumes” se colocam atualmente e nas quais ele manifeste o seu conservadorismo?

  4. José Peralta says:

    “Há imagens que não se esquecem e que definem as pessoas. Uma delas é a de Rui Rio num barco, no Rio Douro, a abrir uma garrafa de champanhe com os seus convivas enquanto assiste à demolição de uma das torres do Bairro do Aleixo”.

    https://www.esquerda.net/opiniao/como-se-faz-um-canalha/53323?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook


  5. Se Rui Rio fosse de Coimbra, e professor Catedrático, tudo o.k estou a ver…


  6. Não me lembro de ler um artigo tão disparatado quanto este. Isto foi a sério?
    Conseguir esses três objectivos levando o partido à insignificância política é bom? Uma derrota é apenas isso, uma derrota. Rio não tem uma ideia consequentemente para o país, não tem carisma, não tem feitio, não tem quadros e está acompanhado pelo pior que o partido tem, Malheiro à cabeça.
    Ah alegrem-se hoje os ignorantes, Rio propõe redução dos deputados na lógica do voto nulo e branco. Deus nos ajude…

  7. JgMenos says:

    O verdadeiro erro do Rio é não caracterizar o PS por aquilo que é:
    – uma classe dirigente que configura uma matilha que sem pejo faz tudo o que tem por necessário a manter o poder.
    – uma organização clientelar em que as vozes livres e de caracter são tão raras e de tão curta duração que institucionalizam um pântano de personalidades.

    • José Peralta says:

      Pois !

      “O verdadeiro erro do Rio é não caracterizar o PSD por aquilo que é:
      – uma classe dirigente que configura uma matilha que sem pejo faz tudo o que tem por necessário a manter o poder.
      – uma organização clientelar em que as vozes livres e de caracter são tão raras e de tão curta duração que institucionalizam um pântano de personalidades”.

      E em quatro anos e meio de destruição do país, (2011-2015)
      uma “letrinha” apenas, chega para repôr a VERDADE, sobre a matilha, desta vez de hienas, que, de “ponta e mola” em riste, espera a cada esquina, a oportunidade para esfaquear o “pobre” rio…

      “Coitadinho” do rio !

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.