Deputados aprovam nova audição de Vítor Constâncio

O Dr. Vítor Constâncio tem direito à defesa do seu bom nome, pelo que já deveria ter sido constituído Arguido pelo Ministério Público.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O Dr. Victor Constâncio faz parte do problema. Nunca fará parte da solução. Desse modo, não contemos com ele para mais nada, que não a chicana política do costume.

  2. Julio Rolo Santos says:

    O Poder e a Banca há muito que andam de braço dado e as decisões do Poder continuam a ir nesse sentido e os contribuintes a assistirem a tudo isto impávidos e serenos. Os supervisores do Banco de Portugal assistiram á derrocada da Banca recostados nas suas poltronas de veludo e nada fizeram para prevenir esses desmandos e agora dizem nada saberem ou que não se lembram do que se passou. Esta Corja, Poder e Banca, têm sido responsáveis pela situação económica do País que tem posto os contribuintes a pagar os prejuízos.

  3. Julio Rolo Santos says:

    Para quê nova audiência se ele vai continuar a negar tudo e a dizer que não se lembra de nada e o PS a encolher os ombros para proteger os seus? Nenhum regulador pode atirar-lhe pedras, porque todos fizeram o mesmo, todos fingiram que não viram e que tudo lhes passou ao lado. Prisão com eles todos e tudo fica resolvido de vez. Mas, como todos já nos habituamos a dizer, a presunção de inocência deve ser respeitada e assim, vamos cantando e rindo. Onde é que eu já ouvi isto?


  4. …qualquer semelhança com a coincidência…… : )

    ” Vítor Constâncio está a ser acusado de ter omitido uma informação relevante ao Parlamento, durante a sua audição, pois segundo as notícias mais recentes terá autorizado o empréstimo de 350 milhões a Joe Berardo.

    No Twitter, o antigo governador do Banco de Portugal já veio dizer que não se lembra, tentando assim poupar uma deslocação até ao Parlamento para dizê-lo de viva voz aos deputados. “Eu ia com gosto, mas agora que tiraram os bancos todos dos transportes públicos e também os do Parlamento, cansam-me as pernas”, explica.

    Certo é que o caso está a incomodar Constâncio, que até já mudou de nome para Turbulêncio. “Porque isto estas coisas, mesmo quando estamos de consciência tranquila ou pelo menos com uma grande amnésia, incomodam bastante”, admite Vítor Turbulêncio.

    “Se autorizei tal crédito”, acrescenta o até há pouco tempo vice-presidente do Banco Central Europeu, “foi para ele comprar budas em louça, porque na altura os budas decorativos estavam a disparar ”.

    Zé Pedro Silva / IF

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.