A questão do escroto

Um político que cruza a perna no confronto, mostra medo. Um homem que exibe o seu medo não está à altura da Soberania. César, que tem coragem, deve ser candidato a Presidente da República contra Marcelo.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Clubista por clubista, que vão para o raio que os parta os dois.

  2. JgMenos says:

    Um é o dono disto tudo, o outro nem por isso.

    • Paulo Marques says:

      Um é padrinho do dono disto tudo e consegue controlar a agenda mediática, o outro é uma roda da engrenagem partidária que pensa que tem mais influência do que o que tem.

  3. Rui Naldinho says:

    O escroto de Carlos César é uma mistura de “tomate com rama” e de “tomate chucha”. Os dois, numa simbiose perfeita, dão-nos a imagem aproximada do socialista dos tempos modernos. O instinto de sobrevivência assim o obriga. Um orador de mão cheia, mas com uns escrúpulos de oportunista.
    Já Marcelo, como alimentador de factos políticos, “presumo ter um escroto depilado, demonstrando assim toda a sua candura”.
    Entre os dois, eu escolhia o voto em branco.

  4. Nuno M. P. Abreu says:

    O debate politico em todo o seu esplendor. Se somos assim por que razão esperar que quem elegemos sejam assado!?

    • Paulo Marques says:

      O respeitinho não se dá de graça, só a fazer de conta.


  5. Brutal, pensava que estas questões da cultura tramontana, marialva, macho, e beirã tinham passado à história, mas continuam vivas, enfim, o passado “glorioso” a continuar a emperrar o futuro orgulhosamente sós.

    • José Peralta says:

      Nem mais, tripeiropreocupado !

      E só faltou, ao “escrotal machismo”, fazer referência à bela perna que, fugazmente, ali aparece…

      Que “imperdoável” distracção !