Debate “Acordo Ortográfico: Manter ou Revogar?” Feira do Livro de Lisboa 2019

As paupérrimas intervenções de Lúcia Vaz Pedro confirmam que só é possível defender o chamado acordo ortográfico desde que não se fale de ortografia. Defender o acordo ortográfico implica, ainda, não ser capaz de demonstrar a sua superioridade relativamente a outros instrumentos anteriores. Veja-se e ouça-se tudo, do princípio ao fim, e atente-se nos exemplos dados por Manuel Monteiro e nos argumentos aduzidos por Nuno Pacheco. Exemplos e argumentos.

Comments

  1. Julia Antonieta Buchet says:

    «Parece que os falantes fazem a língua» AFINAL A LÍngua
    É FEITA SÓ POR MEIA DÚZIA DE PALHAÇOS?

  2. Julia Antonieta Buchet says:

    CALEM ESSE ENERGÚMENO. ELA NÃO TEM ARGUMENTOS. PONHAM-NA NA RUA.

  3. Julia Antonieta Buchet says:

    ABAIXO A PORTO EDITORA

  4. motta says:

    Com a Dona Lúcia… afinal ainda há esperança para o tal de acordo. Não há por aí mais umas quantas Lúcia disponíveis?

  5. ML FA says:

    Lavagem de egos. Inócua.

Responder a ML FA Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.