O PS e o poder

O maior desafio que o poder coloca a um homem não é o de conquistá-lo, mas de dominá-lo quando o conquista. Para possuir poder basta, por vezes, deixar que ele se encaminhe até nós. O problema surge quando é necessário exercer domínio sobre o poder que o poder exerce sobre quem o possui. É aqui que se distinguem os verdadeiros homens de poder.

O PS não tem homens capazes de exercer o poder, uma vez que demonstrou não ter homens capazes de dominar o poder que possuem.
Todo o militante ou simpatizante do Partido Socialista deve levar isto em conta nas próximas eleições. Assim como deve levar em conta que acima da lealdade que deve ao seu partido está o respeito pelos valores que emanam da sua Declaração de Princípios. E que acima de tudo isto está Portugal.

Bruno Santos
Militante 149536 do Partido Socialista

Comments

  1. JgMenos says:

    Eis um pensamento de homem sério.

    • Ana A. says:

      JgMenos

      Deixo-lhe aqui o meu 1º like. Gostaria que não fosse o único…

      • José Peralta says:

        Ana A.

        Eu sou apoiante da Esquerda, mas não militante do PS. Pus um “gosto” no “post” de Bruno Santos, porque penso que “levar em conta que acima da lealdade que deve ao seu partido está o respeito pelos valores que emanam da sua Declaração de Princípios. E que acima de tudo isto está Portugal”, é uma prática que devia ser comum aos militantes, simpatizantes e votantes em qualquer partido!

        E não pus um “gosto” no comentário do “menos”, porque sei que o “elogio” de homem sério que ele faz a Bruno Santos, não passa de um cínico oportunismo de ocasião !

        Porque se o “post” em apreço, fosse a zurzir a direitalha, o “menos” viria logo a terreiro atacar a “esquerdalhada abrilesca”…

        É a sua prática corrente, que já não engana ninguém, aqui no AVENTAR.

        Aliás, o seu comentário, Ana A. , e o desejo de que “este seu 1.º “like” não fosse o único”, é subliminarmente…esclarecedor !

        • Ana A. says:

          José Peralta,

          Eu pus um like na afirmação do “Menos” não considerando a intenção que poderá (deverá?) estar subjacente!

          E, considerando, que todos nós nos encontramos “em processo”, prefiro dar o benefício da dúvida, e dar ao outro um sinal, de que não é saudável acantonar-mo-nos em trincheiras e disparar com toda a metralha que temos.

          Confesso, que os comentários do JgMenos me incomodam, “apenas”, porque são sempre um chorrilho de insultos a quem ele denomina de esquerdalhada (onde eu me incluo), daí que, quando ele em vez de “vociferar” escreveu uma frase com sentido, e com a qual eu concordo, decidi “festejar”!

          • abaixoapadralhada says:

            Por muitas boas intenções que tenhamos, nunca devemos em minha opinião, dar o ouro ao bandido.
            O salazarento menor não muda nunca

          • José Peralta says:

            Ana A.

            Com a frase, eu também concordo ! E também não tenho razões para duvidar da seriedade de Bruno Santos !

            Agora com a seriedade do “elogio” do “menos”…

    • Democrata_Cristão says:

      Um nazi confesso a apoiar quem se diz ser militante do Partido Socialista ?
      Hum……….?

      JgMenos. Só enganas os trouxas

      Os que falam mal agora do PS, não o conheceram, em 1975/76, quando angariava para si os informadores da Pide e outras prendas do Dr Mario Soares.

  2. Agostinho Lisboa says:

    Alguém que diz que foi e é do PS a 1000% mas não quer maioria absoluta do PS reconhece-se na questão colocada e sente-se dividido. Resta-lhe votar não pelo mal menor partidário mas pelo bem maior: a sociedade em que vive.

  3. Julio Rolo Santos says:

    Maiorias absolutas dão poder absoluto e, no atual contexto, uma provável maioria absoluta pode trazer a regressão de várias conquistas alcançadas obtidas com a chamada geringonça que, de outra forma, não seriam possíveis alcançar tendo em conta o histórico dos vários partidos com assento parlamentar. Estamos a tempo de evitar uma maioria absoluta. Normalmente alinho no PS mas, desta vez, o Bloco de Esquerda não me escapa.


  4. O “Henrique Neto” mais novo está de volta e é elogiado pelo Menos.
    Oh. homem, não tem vergonha de ainda se intitular filado no PS?
    Com a sua excepção, vai tudo com o passo trocado?

  5. antero seguro says:

    Também coloquei um “gosto” no “post” de Bruno Santos. Pois demonstra integridade. Infelizmente é uma excepção no PS que é dirigida por uma autêntica camarilha de oportunistas, autênticos vendilhões da pátria, que apenas vez no seu horizonte negócios ou então servir alarvemente os poderes instalados. Este comportamento já lhe trouxe dissabores no entanto o instinto serialkiller do PS nem se consegue aperceber que a tal maioria com que sonham, a acontecer, será um breve caminho para uma catástrofe anunciada que o PS, nessas mesmas condições. já criou em Portugal.


  6. Bruno Santos,
    Como pode constatar, a maioria dos comentários aqui expressos são de rapaziada que, se não tivesse havido 25 de Abril, teriam seguido as pisadas dos pais como fiéis adeptos do estado novo.
    Apesar de tudo, melhores que você pois, de certeza, não estão inscritos como militantes do PS de onde não não quer sair de maneira nenhuma.
    Ainda paga as quotas?

    • JgMenos says:

      Esta é a típica reacção de quem quando lhe falam em seriedade política logo se lembra do Estado Novo!

  7. Paulo Marques says:

    uma vez que demonstrou não ter homens capazes de dominar o poder que possuem.

    É qual foi o partido político ou outra entidade que o fez? Principalmente na zona dos subornos…perdão, fundos europeus?

  8. Carlos Almeida says:

    A roupa suja lava-se em casa e não na praça publica, por muita razão que nos assista.

    E quem não gosta põe na borda do prato, isto é demite-se do partido

  9. JgMenos says:

    Aos esquerdalhos, e às suas perplexidades, vou lembrar Camões:

    Que onde reina a malícia, está o receio
    Que a faz imaginar no peito alheio.

Responder a Agostinho Lisboa Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.