A derrota da Huawei

Huwaei Mate 30 Pro

Tal como se antecipava, as dificuldades da Huawei face ao bloqueio americano iriam fazer-se sentir mais ao nível dos serviços (Google Play e Google Apps) do que quanto ao acesso a materiais (processadores, sistema operativo, etc.). Chegou o momento da prova de fogo, com a Huawei a apresentar hoje o seu primeiro modelo (Mate 30 Pro) sem que, até agora, se tivesse sabido se este telemóvel terá acesso a aplicações como Gmail, Maps, demais software e serviços da Google.

Há semanas que se especulava sobre o desenrolar da novela. Como iria esta empresa reagir ao bloqueio americano, quando o mercado europeu não quer prescindir dos serviços da Google. Hoje, em Munique, a empresa chinesa apresentou os seus novos telemóveis. São bons equipamentos e isso de espiar os utilizadores é uma caça às bruxas, usando a linguagem de Trump. Não que os utilizadores não sejam espiados. São-no, isso sim, por todas as empresas que metam um dedo no equipamento ou nos serviços associados, desde o smartphone propriamente dito, passando pelo software que nele corre, até à operadora de telecomunicações.

Confirma-se que o novo modelo da Huawei não trará os serviços da Google. Quem quiser instalar o YouTube, Maps, Gmail, etc. terá que o fazer manualmente depois da compra. Isto se, no futuro, a Google não os bloquear para estes modelos. Em alternativa, o gigante chinês propõem o uso do seu próprio serviço de aplicações, semelhante ao Google Play, onde os utilizadores poderão instalar versões equivalentes, mas fornecidas pelos chineses.

É uma clara derrota para a Huawei e para os chineses, que assim vêem uma perna cortada na sua expansão galopante. Para os europeus, também não são boas notícias, dada a redução de oferta de alta qualidade. E mesmo para os americanos também não são notícias positivas, face ao actual duopólio Apple-Samsung que actualmente domina o seu mercado interno. Dinheiro, tudo se resume a dinheiro, pintado com uma capa de suposta protecção dos cidadãos.

Perdida a batalha, esperemos pelo desenrolar da guerra. Estas restrições vão ter impacto na geopolítica internacional e veremos daqui a uns 5 anos que transformações trarão para todos. Antecipa-se que os EUA sairão enfraquecidos do conflito. Quem confiará nas decisões erráticas de um presidente, que poderão colocar em causa a estratégia de quem use os serviços americanos?

Comments

  1. Lelo says:

    os utilizadores nao poderao instalar servicos google manualmente pois estarao barrados

    se isso fosse possível a huawei perdia em tribunal apos denuncia

    • j. manuel cordeiro says:

      Diria que está a tornar-se cada vez mais difícil.

      “Meizu previously released devices in Europe with the company’s own app store that included a “Google Installer” app that would sideload key Google services and the Play Store onto handsets. Google has been cracking down on these workarounds with new certification requirements, and it has even experimented with blocking non-certified devices from accessing its apps and services”

      https://www.theverge.com/2019/9/19/20873690/huawei-mate-30-series-phones-google-android-ban-apps-block

      Ainda há outro problema: a versão de Android usada pela Huawei é o Android Open Source (ASOP), o que coloca problemas nas actualizações de segurança.

      “The Mate 30 phones will instead be powered by open-source Android and run EMUI 10, Huawei’s user interface that approximates Google’s Android 10.

      This means Huawei will only be able to bring security updates to the Mate 30 phones when those updates hit open-source Android.”

      https://www.cnet.com/news/huawei-mate-30-pro-launches-with-4-cameras-0-google-apps/

  2. Mataari says:

    Não subestime uma potência emergente,em quase tudo menos em democracia.O rival deveria apresentar provas da acusação para sabermos como é que os dois de espreitam.Os dois,para sobreviverem.

Responder a Lelo Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.