Açores

Carlos César poderia ter chegado a Presidente da República, se além da inteligência conhecesse a virtude.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Tenho sérias dúvidas que Carlos César alguma vez chegasse a PR. Nem com um programa semanal na TVI.
    Mas isso sou eu que jogo no Totoloto e nunca acerto!

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Vamos com calma Bruno Santos.
    Para já Carlos César, para além das virtudes que refere – inteligência débil e virtude nula – tem outras virtudes como a ambição e a execução do poder pelo poder.

    Em suma, tem tudo o que é necessário para um “bom” presidente desta decrépita república.

    Mas tem mais: Tem uma máquina partidária constituída por muita, muita, muita gente que não pensa, mas agita a bandeira, seja ela encarnada com a mãozinha fechada (uma vergonha que é preciso esquecer), seja ela rosa (esta sim… adaptada).

    Assim, em começando a campanha e a máquina partidária comece a rolar, vai ver … sobretudo se do outro lado do Arco aparecer um concorrente como Passos Coelho

    Isto faz-me lembrar a famosa corrida presidencial entre Soares e Freitas do Amaral…
    É preciso dizer mais alguma coisa?

  3. antero seguro says:

    Estou dividido entre as brilhantes opiniões de Rui Naldinho e Ernesto Ribeiro. Afinal acabo por chegar à conclusão que concordo com as duas (!!!) embora reconheça que o eleitorado socialista e afim ainda que o candidato fosse o pato Donald, eles iam a correr votar nele.

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Caro Antero Seguro.
      Eu, no íntimo, também estou de acordo com o caro Rui Naldinho. Mas sabendo como funciona a política tuga e a politiquice do “status”, nunca se pode pôr de lado a hipótese que formulo.
      Há um princípio matemático que diz A=A qualquer que seja o ente A. Não é verdade, pois quando A = política ou Futebol, A, em 99,9% dos casos, é diferente de A 🙂

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.