O futuro do PS

Medina é apoiado pela corda Maçónica lisboeta, vendida e estrangeirada. É necessário derrotá-lo politicamente. Não estritamente por ser apoiado pela corda Maçónica lisboeta, vendida e estrangeirada, mas por ser nulo. Absolutamente nulo. E pernicioso por isso.

Medina não defenderá Portugal.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O futuro do PS está no “Filtro de Partículas”.

    Muito mais do que no Fernando Medina ou no Pedro Nuno Santos, o futuro do PS está mais na sua capacidade de auto regeneração, eliminando todos os gases e partículas poluentes, e são vários, que “corrompem” o motor da democracia, a Confiança. Confiança nas políticas preconizadas pelo governo. Confiança nas instituições e nos órgãos de soberania à qual o PS como partido tem acesso privilegiado.
    Já escrevi isto um montão de vezes, mas nem por isso me cansarei de o repetir:
    Quando o PS perceber de uma vez por todas que o seu lugar não é o de se substituir ao PSD; a cópia é sempre pior que o original, mas sim ao lado do Estado de Direito, defendendo as instituições públicas e sociais, criando verdadeiros mecanismos de regulação e controle do sistema capitalista, ou seja, da economia, mitigando os seus impactos negativos ao nível das desigualdades sociais e na destruição dos ecossistemas e clima em geral, e não, a palhaçada do costume, onde o Regulador umas vezes trabalha para o Estado, outras tantas para o “regulado”, então o PS será como o SPD de Olof Palme, que se sentou mais de vinte anos seguidos na cadeira do Poder, na Suécia.
    Até lá, venha quem vier, é só esperarmos pelo próximo trambolhão.
    A direita agradece.

  2. JgMenos says:

    Não estritamente …ainda contralam muitos empregos!

  3. Fernando Manuel Rodrigues says:

    A melhor maneira de o dorrotar politicamente é de fora para dentro, dando-lhe uma banhada numas eleições. Depois disso, ele desaparecerá para sempre.

    Derrotá-lo por dentro será muito mais difícil, até porque a democracia interna dos partidos é, como sabemos, “peculiar”.


    • Bem, não me parece que esse método tenha funcionado com o anterior representante da corda Maçónica lisboeta, vendida e estrangeirada – o actual primeiro-ministro, cargo a que ascendeu depois de levar uma banhada numas eleições.

  4. Anonimus says:

    Medina defenderá o PS, e os interesses dos seus. Tal como faz Costa.


  5. e quem defenderá os interesses de Portugal, o equiparado a catedrático e sus muchachos, com Bruno Maçães à frente?

  6. Observador says:

    O PS, há muito deixou de ser um partido orientado ideologicamente – lembram-se de quem meteu a ideologia na gaveta?
    Há muito tempo que este partido não é mais do que uma seita de malfeitores – sei do que falo, porque dele fiz parte.
    Sócrates, varas, galambas, costas, vieiras, linos, augustos, cabritas, ferros, victores, etc.; etc., é tudo feito da mesma massa de interesses.
    O nosso projecto de democracia foi completamente capturado por gangues que se vão alternando no saque da “coisa pública”. Depois admiram-se(?) dos venturas que vão aparecendo por aí!…
    Siga e como dizia JMB: “a coisa está a ficar muito feia”

  7. Julio Rolo Santos says:

    Pois que sejam tudo isso e muito mais, mas eles estão lá. E, quem queriam que lá estivesse? André Ventura está lá é isso incomoda? A muitos não.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.