Sábios e adivinhos

“O Homem tornar-se-á incomensuravelmente mais forte, mais sábio e mais subtil; o seu corpo tornar-se-á mais harmonioso, os movimentos mais rítmicos, a voz mais musical. O tipo humano médio elevar-se-á às alturas de um Aristóteles, de um Goethe, ou de um Marx. E acima deste cume novos picos se erguerão”.
Trotsky, 1925

Comments

  1. JgMenos says:

    Será que disse isso quando, na guerra civil, anunciou que quem recuasse era fuzilado?

    • Luís Martins says:

      Ouviu ou traduziu mal. Toda a gente sabe que na guerra quem recua deve ser condecorado.

    • POIS! says:

      Pois foi!

      Ao contrário de outros chefes militares, que chegaram aos mesmos resultados de forma muito mais humana.

      Salazar, por exemplo. Como se saba nos dias de hoje, várias vezes combateu incógnito na Guiné e nas Berlengas (ao contrário do que rezam as crónicas esquerdeiras que o dão sempre com os fundilhos colados a um sofá em S. Bento) e, por vezes, chorou lágrimas amargas por ficar sozinho nas frentes de batalha enquanto o resto do pessoal se desculpava dizendo estava a dar de comer a milhões de portugueses lá pelas tabancas.

      Mas onde se tornou mais evidente esse humanismo bélico foi na Índia. Depois de uma visita relâmpago às nossas tropas, que ninguém notou porque ficou encadeado, disse: “Portugueses, ficai-de aqui e combatei-de a meia-dúzia de indianos escuros que por aí andam. Não há batota! Ninguém recua! Eu agora vou para Lisboa porque amanhã é terça-feira e vou comprar material de guerra na Feira da Ladra. Até lá, mataide-vos e sereis grandes heróis. Deixo aqui o meu Vassalo a dar ordens.”.

      Quando soube que estava tudo vivo, embora com uma liberdade de movimentos um tanto restrita e a fazer uma cura de emagrecimento para se disfarçarem de indianos, ficou muito chateado. Mas logo os perdoou.

      Quando chegaram a Lisboa foram recebidos com abraços e beijos e encaminhados para diversos “resorts” para o merecido descanso onde eram diariamente homenageados. E, para que ninguém lhes fizesse mal, fez questão de enviar um agente da saudosa PIDE aos locais de trabalho, para os proteger, evidentemente. Estava tudo organizado!

      Salazar, lá no fundo, no mais profundo, era muito, mas mesmo muito, humano!