Forças israelitas assassinam jornalista da Al Jazeera na Cisjordânia

Fotografia: Al Jazeera/Lusa

A jornalista Shireen Abu Akleh, da Al Jazeera, que fazia a cobertura, do lado palestiniano, do apartheid imposto por Israel nos territórios da Palestina, foi assassinada com um tiro na cabeça pelas forças especiais israelitas.

Num acto desumano de desrespeito pelos mais básicos direitos fundamentais, Israel continua na sua jornada sangrenta, de ocupação e morte, de extermínio de um povo. A Ocidente, neste momento, silêncio. Muito silêncio. A provar que, no chamado “primeiro mundo”, estamos muito longe de termos “valores” que apregoamos como “ocidentais”. Se deixar à sua sorte palestinianos, sírios, afegãos ou iemenitas, enquanto apenas se salvam os loiros de olho azul (mesmo que se salvem estes também para serem explorados), é um “valor ocidental”, então o Ocidente não tem valores.

O corpo falecido da jornalista Shireen Abu Akleh, enquanto uma outra jornalista assiste, horrorizada.

A novidade, apenas uma: o Bloco de Esquerda fez aprovar, na Assembleia Municipal de Lisboa, uma recomendação ao Governo português para que condene as ocupações israelitas nos territórios da Palestina, assim como uma outra recomendação para que o Governo condene os ataques israelitas à mesquita de al-Aqsa durante o Ramadão. Agora, é esperar para ver que critérios usarão aqueles que têm dito que “temos de estar do lado do invadido”. O palco é vosso, campeões.

AML.

Ps. De realçar o facto de o exército israelita fazer operações, enquanto o russo faz invasões. Curioso ou sintomático?

Comments

  1. estevesayres says:

    Onde anda a comunicação social, será que está toda na Ucrânia , com os neonazistas!?

  2. POIS! says:

    Ainda sobre “operações” e “invasões”…

    Mal começou a invasão da Ucrânia (tinham passado uns dez dias) o primeiro-ministro Naftali Bennet foi a Moscovo.

    Foi, aliás, o primeiro dirigente estrangeiro a visitar a Rússia (se excetuarmos o primeiro-ministro do Paquistão, mas numa visita prevista já antes da invasão).

    Fosse ele um tipo de esquerda e seria crucificado sumariamente na praça pública. Estaria ali a prestar vassalagem a um inqualificável.

    Mas não sendo…Paulo Portas, na sua prédica dominical da TVI apressou-se a justificar a visita: “há judeus dos dois lados da guerra”.

    Ainda bem que isso só acontece com os judeus. Não há católicos dos dois lados da guerra, nem ortodoxos, nem islâmicos, nem padeiros, nem magarefes, nem ciclistas, nem crianças…

  3. JgMenos says:

    Estás à espera de aplausos e manifestações de alegria, como se faz na Palestina quando civis israelitas são vítimas de ataques terroristas?
    Vai-te catar mais a tua moralidade coxa.
    Foi morta a tiro; daí a assassinada é preciso que tenha sido um assassínio, que o mesmo seria dizer que os israelitas são tão estúpidos que já nem sabem cometer assassínios com já fizeram no passado.

    • João L Maio says:

      Ó… e tu estás à espera de aplausos e manifestações de alegria, como se fez na Ucrânia desde 2014 quando civis pró-russos eram vítimas de ataques terroristas?
      Vai-te catar mais a tua moralidade inexistente.
      Assertaram-lhe deliberadamente com um tiro; daí a assassinada é preciso que alguém lhe tenha assertado pelo menos 5x deliberadamente, uma não chega… só um tiro faz dos israelitas uns estúpidos!!!

      Menos, amigo, os psicólogos estão contigo!

      • João L Maio says:

        Digo *acertaram-lhe e acertado. Menos, tu és tão insciente que até pões os outros ao teu nível, irra!

      • JgMenos says:

        Sabes o que é um ‘civil ucraniano pró-russo´?
        É um qualquer Miguel de Vasconcelos lá do sítio.

        E já agora, define ataque terrorista, idiota, quando há gente armada ocupando territórios diferenciados.
        Estarás a falar de crimes de guerra, ou não te convém o tema?
        Aos órfãos soviéticos não esquece a cultura da Mãe Rússia de desinformação e falsidade.

        • João L Maio says:

          Assim concluímos que tens muito a ver com pró-russ… desculpa, com gente pró-Putin.

          Que há gente armada a ocupar diferentes territórios na Palestina sabemos nós. São os sionistas! Sim, estou a falar de crimes de guerra cometidos por Israel, meu paralelepípedo, aqueles de que a HRW e a Amnistia Internacional falam.

          Tu não és órfão soviético, mas és putinista envergonhado, o que faz de ti, neste momento, um filho da Putin com pena de o ser. Oremos, irmões.

        • POIS! says:

          Pois claro!

          O que vale é que o traidor Miguel de Vasconcelos foi o único responsável pela traidora Dinastia dos Filipes.

          O gajo sozinho, à traição, meteu o primeiro no poder e só parou já íamos no terceiro. Isto tudo em apenas oito meses. Ainda bem que, traiçoeiramente, caiu de uma cadeira no Terreiro do Paço, ou teríamos de gramar mais uns traidores filipes avulso.

          Por aqui se afere a importância e relevância das quedas da cadeira para as transições políticas em Portugal.

          Há quem inclua neste rol o Afonso de Portugal, mas esse caiu de uma égua. Não conta.

        • Paulo Marques says:

          Se calhar é um ucraniano habituado a levar com artilharia compatriota. Não se pode admitir estas coisas sem ser traidor, seja na Ucrânia, seja no Estado Novo, seja noutro qualquer querido regime “livre”.

    • POIS! says:

      Pois cá está!

      Depois de ontem ter defendido entusiasticamente a competência da PIDE (aqui: https://aventar.eu/2022/05/09/grato-aos-russos-aos-ucranianos-e-a-todos-os-sovieticos/#comments comentário das 20.45)…

      …vem agora JgMenos atestar a suprema inteligência dos assassinos israelitas.

      Sempre a exaltar os grandes exemplos da Humanidade!

      Obrigado, ao Menos!

    • Paulo Marques says:

      Portanto, alguém claramente identificado como jornalista fica com a cabeça desfeita, mas não é assassinato.
      Tá certo.

  4. Rui Naldinho says:

    Não é preciso dizer mais nada. Está aqui tudo dito:

    “Putin anuncia uma “operação especial”que é uma invasão. A NATO anuncia ajuda à “resistência” que é uma declaração de guerra. A jornalista fuzilada na Palestina aparece como morta em “operação israelita”, aqui nos media ocidentais. O cinismo é global. Estados e guerras, banhados em eufemismos, é o estado permanente do capitalismo. Também não é capitalismo, é “economia”.

    Raquel Varela

    • João L Maio says:

      Discordo quase sempre da Raquel Varela. Aqui, sou “obrigado” a concordar.

    • JgMenos says:

      O capitalismo é F*!
      É sinapismo para todo o indigente cérebro esquerdalho!

      • POIS! says:

        Pois não seja ciumento!

        Lá por Vosselência nunca ter experimentado um sinapismo isso não lhe dá direito a julgar os dos outros!

        Invejoso!

    • Teresa Palmira Hoffbauer says:

      Não sei quem é a Raquel Varela, mas estou com ela.

      Infelizmente, aqui 🇩🇪 também a comunicação social está toda na Ucrânia. Além disso, a Alemanha é incapaz de acusar a brutalidade do governo israelense. Restrições de um povo que continua sob a pata dos israelitas e dos Yankees.

      • João L Maio says:

        Como diz o Menos, “o capitalismo é f*”… calculo que o mesmo não queira dizer “fixe”, pois isso ainda o colocaria a gostar do Soares…

        Nunca pensei concordar com o Menos, mas é isso, Israel nunca será culpado de nada, porque “o capitalismo” é fixe!

      • Paulo Marques says:

        Ao menos a Alemanha dá gosto ser encornada por aquilo que andou a construir a achar que ia ficar sempre por cima.

  5. JgMenos says:

    Vivemos num desgraçado país em que é tolerada toda a incoerência e toda a falsidade desde que se diga de esquerda.
    Há 48 anos que todo o idiota e todo o ignorante se diz de esquerda para se colocar debaixo desta capa de misericórdia; é o Portugal de Abril!

    A nova onda é limpar a folha da mafia russa acenando com um conflito que dura há mais de 70 anos e que envolve um Estado -que é a única democracia política no Médio Oriente – e uns ajuntamentos de gente que nesse mesmo período nem uma junta de freguesia decente foi capaz de organizar!!!

    • POIS! says:

      Pois realmente!

      Quem não consegue organizar uma junta de freguesia não merece estar vivo.

      Siga! Fuzilamento geral dos palestinianos!

      PS. Soube agora mesmo que os americanos também nunca organizaram uma junta de freguesia!

      Quer que a malta os vá lá fuzilar ou Vosselência oferece-se para a missão? Veja lá! Se precisar de alguma ajudinha, arranjam-se aí uns mísseis em segunda mão. O Putin está precisado de dinheiro.

    • Paulo Marques says:

      Eu a pensar que se limpava a folha da máfia Rússia escancarado-lhes as lavandarias, mas o Menos lá sabe a competência do seu trabalho.
      Que salte daí para defender um regime corrupto ao tutano, que espia os aliados, e goste de limpezas étnicas, bom, é normal.

  6. luis barreiro says:

    A bala afinal não era dos israelitas, mas as usadas pelos terroristas, segundo a autópsia.

    • POIS! says:

      Ora pois! Mas como sabe?

      A autópsia foi feita na sala de jantar de V. Exa? Pode acontecer!

    • João L Maio says:

      Qual autópsia? Você fez uma autópsia? Mas como? Auto-autópsia? E não se magoou? Seu terrorista!

Leave a Reply to João L Maio Cancel reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.