Novo desenho táctico para resolver os problemas do FC Porto

porto

Depois de quatro empates a zero, a solução saltou do banco, chama-se Rui Pedro, tem 18 anos e é do Norte, carago!

Fonte: Tribuna Expresso

Efectivamente, os contatos são inadmissíveis

When Dante loses his way in the dark wood, he is “Nel mezzo del cammin di nostra vita” in keeping with the allotted biblical life span (Psalm 90).

— Adolph Prier (Countercurrents: On the Primacy of Texts in Literary Criticism)

***

Contudo, Ralph Hasenhüttl (sim, exactamente, com <ü>) não pensa assim. No sítio do costume? Nem por isso: no jornal da irresponsável resistência silenciosa.

a-bola-2122016

No sítio do costume, temos um clássico (ver página 7). De facto, já andamos nisto desde Janeiro de 2012.

dre2122016a

Desejo-vos um óptimo fim-de-semana.

Diz que é uma espécie de ortografia

Hoje, quarta-feira, dia 23 de Novembro de 2016, durante este invervalo do confronto entre o Glorioso e o colosso turco Beşiktaş [beˈʃiktaʃ], façamos um balanço sobre o que tem acontecido durante esta semana.

Por exemplo, na segunda-feira, aconteceu isto:
dre21112016a

Contudo, na terça-feira, foi isto que aconteceu:

dre22112016a

Já agora, o que estará a acontecer hoje? Hoje,  [Read more…]

Contatos? Pára! Pára!

There’s a lover in the story
But the story’s still the same

—Leonard Cohen, “You Want It Darker

***

Hoje, no sítio do costume, há contatos.

dre15112016

Também hoje, no Record (os meus agradecimentos ao nosso excelente leitor), voltamos a mergulhar na grafia Schweinstnegger: por um lado, quer a inadmissível grafia diretor, quer a incompreensível referência gráfica à selecção do Brasil, por outro, a triste notícia acerca da paragem do glorioso André Horta.
record-15112016

Continuação de uma óptima semana.

***

O capitão da selecção do Brasil farturou frente à Letónia?

Segundo A Bola (efectivamente: o resistente que se cala), o «capitão da Seleção […] fa[ɾ]tura frente à Letónia». Efectivamente: fartura e *seleção.

O jornal A Bola faz história

a-bola-5112016

Sometimes laws are intolerable, and need to be changed by organized legal protest if possible—but otherwise by actual resistance and civil disobedience.

Geoffrey K. Pullum, “The Great Eskimo Vocabulary Hoax and Other Irreverent Essays on the Study of Language” (foreword by James D. MacCawley)

***

Ontem, dia em que a Irlanda derrotou os All Blacks, o jornal da resistência silenciosa em tempos de liberdade (efectivamente, A Bola) deu-nos mais um exemplo quer da diferença entre crer e perceber, quer do espectáculo extremamente triste dado pelos desistentes que têm o distinto descaramento de optar pela resistência silenciosa, em tempos e lugares de liberdade de expressão. Cuidado. Muito cuidado.

Desejo-vos um óptimo domingo e votos de glorioso espectáculo, daqui a pouco, no Estádio do Dragão. Viva o Benfica. Viva!

Eduardo Vítor Rodrigues, uma escolha oportuna da SAD do FC Porto

evrpdc

Eu nem queria muito regressar ao tema do futebol, depois dos puxões de orelhas que levei no outro dia a propósito de uma brincadeira com um vídeo dos adeptos do Vasteras, clube sueco que exige 250 mil euros ao Benfica pela transferência do central Lindelöf, mas como desta vez o assunto até diz respeito ao meu clube, acho que consigo um desconto e talvez me safe de igual destino.

Com a saída Antero Henrique, abriu-se uma vaga no conselho de administração do Futebol Clube do Porto. E quem propôs a SAD para o lugar? Eduardo Vítor Rodrigues, o presidente da CM da Gaia que distinguiu o benemérito Marco António Costa. Parece-me uma escolha oportuna, até porque o meu clube até tem ali o seu centro de treinos, mas faz-me sempre alguma confusão ver a política misturar-se com o futebol a céu aberto. Que é feito da hipocrisia dissimulada, que nos fazia acreditar que estas coisas não passavam de conspirações orquestradas numa qualquer taberna de Carnide? [Read more…]

Paga o que deves, Benfica

Dizem os adeptos do Vasteras, que exigem ao Benfica o pagamento de uma dívida de 250 mil euros, referentes à compra do central Lindelöf. Vai daí, fizeram este vídeo, onde apelam aos encarnados que cumpram com os seus compromissos, o que, dada a recém-anunciada saúde financeira de ferro do clube, não deve ser muito difícil. Vá, paguem o que devem e deixem o Vasteras viver o sonho!

Le Tour de France

Rui Naldinho
Le Tour 2017

Le Tour 2017

Um evento digno de uma peregrinação!

Declaração de interesses: Sou um maluco pelo ciclismo. Se vejo na televisão como a maioria dos aficionados, por vezes adormeço. Mas aquilo é como as telenovelas. Dez minutos de sesta e toca a ver o resto da prova. Se estou na disposição de ir ver ao vivo, faço como todos os crentes. Torno-me numa espécie de peregrino, mochila às costas, e espero pacientemente que desfilem as minhas divindades.

No passado dia 18 de Outubro foi apresentado em Paris, no Palácio dos Congressos, o “LE TOUR 2017.” A Volta a França é o maior evento desportivo anual do mundo em termos de impacto mediático. Note-se que outras grandes competições como o Mundial de Futebol e os Jogos Olímpicos, não são anuais, mas sim quadrienais. Logo, não são comparáveis.
[Read more…]

Morreu um de Nós

Obrigado. Até ao Terceiro Anel.

“tenho dois amores: um é a Académica de Coimbra (…) o outro é o mesmo que o teu, Eusébio! É o BENFICA”

Será que como o outro, também vai ser retratado com a Tromba Rija?

Rui Patrício, o rapaz de Marrazes, vai ter estátua de bronze em Leiria

Habituados a vencer em nome da diferença e da integração

img_6528

A selecção nacional de parahóquei, campeã europeia em 2015, em Londres, foi à Bélgica, exemplarmente a Brasschaat, nos arredores de Antuérpia, e venceu a segunda Integration Cup, torneio desta feita organizado pelo KHC Dragons, uma equipa de referência no campeonato belga e que, nas últimas olimpíadas, cedeu seis atletas à sua selecção que, como se sabe, foi medalha de prata no Rio de Janeiro.

Os portugueses, como se esperava, puxaram dos galões, e venceram com distinção uma prova difícil, mas em que o orgulho nacional e o pundonor estiveram presentes desde o início até à festa de consagração. Começando com um simpático 2-0 sobre a Espanha, a nossa selecção gémea, o grupo liderado por Hugo Santos e Pedro Ávila img_6545impôs-se de seguida à Bélgica por 10-0. Seguiu-se a Itália, uma equipa muito física, muitas vezes para além do aceitável, e o empate a duas bolas abria de par em par as portas da final ao conjunto luso. [Read more…]

Coisas que não se dizem

Foto retirada do Expresso, um dos jornais de que J. V. foi Director.

Foto retirada do Expresso, um dos jornais de que J. V. foi Director.

É verdade, Sr. Joaquim Vieira, não se pode dizer ou escrever aquilo que o senhor escreveu na sua página do Facebook. Fica-lhe mal. Quer publicidade? Venda-se de forma honesta, não precisa de insultar ninguém para lograr os seus intentos. Lamentável!

Para quem não sabe do que se trata, deixo aqui o que Joaquim Vieira escreveu sobre os Jogos Paralímpicos. Propositadamente, não coloco link da página, para não lhe dar a publicidade de que o homem parece precisar tão desesperadamente. Ora aqui vai: [Read more…]

Aceitam um desafio para um TRAIL?

Na Serra de Negrelos, mais conhecida por Serra de Canelas?convite

 

Futebol: o campeão vai ser…

IMG_20160515_190227Agora que a janela de transferências (gosto muito destes chavões do mundo da bola) está mais fechada do que a porta da SAD AZUL, resolvi dar uma volta pela Google – sim, assim mesmo no feminino, porque se “ela” sabe tanta coisa só pode ser mulher (pancada no autor!)…

Escrevia eu, antes da fuga prá boca sexista, que fui procurar alguns dados que talvez possam ajudar a pensar as diferentes possibilidades para a nova época.

O site transfermarket dá uma notas (em euros) aos jogadores e aos clubes. Segundo eles, o plantel do SPORT LISBOA E BENFICA terá um valor a rondar os 184 milhões, mais cinco que os vizinhos da frente e mais 7 que a equipa do Porto. Os jogados mais valiosos do SPORT LISBOA E BENFICA são o Salvio, o Rafa e o Pizzi, no Sporting, o William, o Adrian e o Patrício, enquanto no Porto, o Brahimi, o Herrera e o Danilo são os que têm maior valor no mercado.

Diria que, a ver por este factor, teremos um trio de campeões. Curiosamente, no caso do tricampeão o sector mais valioso é o ataque, enquanto nos pretendentes ao trono a maior valia está no meio-campo. Mais longe do objectivo do jogo, portanto. [Read more…]

A vitória de Alexandre Pinto da Costa

Antero Henriques deixa SAD do FC Porto

A contratação, a contração e a contracção

DSC_0334

© F.M. Valada, 25/8/2016

There was a picture of Florence in Behavioral Science at Quantico, shown him as a curiosity. It was the same view he was seeing now, old Florence from the Belvedere, the best view there is.

— Thomas Harris, “Hannibal

***

Para legenda de fotografia com os excelentes Rui Vitória e José Mourinho, Hugo Gil e Benfica escreveu

Contração para adjunto

em vez de

Contratação para adjunto

hugo gil e benfica

Durante muitos minutos, os polegares esticados, os corações e os sorrisos feicebuquianos foram aparecendo — passados dezasseis comentários, alguém deu pela gralha:

Contração??? Estavam apertados???

Entretanto, Hugo Gil e Benfica [Read more…]

Medalhas

medalhas-olimpicas

Miguel Szymanski

Com nove anos fui viver para uma cidade alemã de média dimensão (400.000 habitantes). Andei sempre em escolas públicas até ao 13. ano (último do secundário). Quando cheguei à escola primária, comecei a ter duas vezes por semana aulas de natação. A escola tinha também um ginásio com todo o tipo de equipamento de ginástica e uma pista de corridas. No secundário começámos a ter uma vez por semana patinagem no gelo numa pista de gelo artificial que funcionava o ano inteiro. Depois, nos tempos livres, os meus colegas praticavam quase todos outras modalidades, futebol, ténis, esgrima, equitação ou atletismo nas inúmeras associações da cidade (eu cheguei a ligar para um clube de boxe, modalidade que me pareceu adequada a um candidato a escritor, mas ao longo da conversa telefónica percebi que era uma associação de criadores de boxers, cães, e, desmoralizado, desisti de uma carreira no ringue antes de a ter começado).
No Inverno faziamos esqui e organizávamos corridas de trenó atrás da escola.
Nunca liguei muito ao desporto – sempre me pareceu uma perda de tempo -, mas ao longo dos anos de escola fui recebendo alguns diplomas e medalhas em concursos e provas, em que era obrigatório participar, desde as provas de salva-vidas em natação ao atletismo. Ainda hoje sei quanto corria aos 100 aos 400 ou aos mil metros e nadava aos 50.
Acho que é preciso mais do que três canais com jogos em directo e mesas redondas sobre futebol ou de cinco jornais da bola para um país ganhar medalhas nas olimpíadas.
[fotofoto]

Rivalidades e hipocrisia

O Aventar não é terreno fértil para disputas futefoleiras, não porque elas não existam, mas porque, normalmente ficam para nós, na Bancada.

Mas, em função da agressividade latente nas redes sociais a propósito do desejo de um Diretor do SPORT LISBOA E BENFICA parece-me que vale a pena trazer a discussão para este estádio, quanto mais não seja para mandar umas bolas para o pinhal.

Vamos lá então à hipótese: é possível ser adepto de um GRANDE sem desejar que o outro perca?porto2

A resposta politicamente correcta será “lá fora, contra os estrangeiros” e tal… Mas, factos são factos – uma adepto do SPORT LISBOA E BENFICA quer que o Porto perca sempre e o inverso não deixa, nunca, de ser verdade. Poderia até apresentar um argumento básico – sem o dinheiro da champions, o Porto ficaria “mais fraco” o que deixaria em vantagem a concorrência, mas não creio que isto seja coisa para grandes racionalidades.

[Read more…]

Parabéns, Brasil


Campeão olímpico de futebol masculino.

Um dia diferente

E a razão é simples: Évora não conseguiu a medalha.

Contudo, quanto ao resto, tudo exactamente na mesma:

Na falta de oposição, presumem-se verdadeiros os fatos?

Efectivamente, presumem-se verdadeiros os fatos.

dre1682016

E o contacto é directo? Não, o contato é direto. Direto? Aliás, contato? Contato? Exactamente: contato.

dre1682016b

Como perguntou Barnardo, «who’s there?».

Melhor e actualizado, «is there anybody out there?»

Aparentemente, não.

«16,99 m Qualificação directa para a final!»

Efectivamente: directa. Parabéns, Nelson Évora.

«Nelson Évora entra hoje em Mação»?

Em Mação? Ah! Em acção! Efectivamente.

Jogos Olímpicos e Educação: lutar bem

desporto escolarO circo à volta do negócio dos jogos é algo que me incomoda e muito. Sou desde criança um seguidor fiel das transmissões da RTP (obrigado Serviço Público!) e, se calhar por isso, no ensino secundário fiz o curso de Desporto. Ali, na saudosa Escola do Cerco, na zona oriental do Porto vivi algumas das mais fantásticas experiências desportivas da minha vida. Para além da experimentação de quase todas as modalidades colectivas, tive ainda o prazer de conhecer melhor as diferentes disciplinas do atletismo e como elas são exigentes. Percebi, muito cedo, como os processos são cruciais, quase sempre mais importantes que os resultados.

Foi algo que me ficou para a vida.

Hoje, com um destino profissional que me afastou mais do Desporto do que eu pensava naquela altura, faço desta máxima uma forma de vida.

Quando li as palavras de Gustavo Pires no seu perfil do “livro de caras”, senti que alguém tinha encontrado as palavras certas para explicar o que me vai na alma. Se me permitem o abuso, trago parte significativa do texto, pedindo a devida autorização ao autor: [Read more…]

A menina-heroína da Equipa Olímpica de Refugiados

Foto retirada da Sala de Imprensa do Comité Olímpico Internacional

Foto retirada da Sala de Imprensa do Comité Olímpico Internacional

Yusra Mardini é uma miúda. Nasceu a 5 de Março de 1998. Em 2015, ela e a sua irmã Sarah fugiram do seu país, a Síria. Chegaram ao Líbano e posteriormente à Turquia de onde conseguiram fugir clandestinamente rumo à Grécia. As duas raparigas ocuparam o seu lugar entre os outros 18 refugiados num barco com capacidade para 6 ou 7 pessoas. Quando o motor do barco parou e este começou a meter água, 30 minutos depois de terem saído da Turquia, só havia uma solução: saltar para a água e puxá-lo até terra. Foi o que fizeram as únicas 4 pessoas que sabiam nadar: Yusra e a irmã e outros dois passageiros. Nadaram durante cerca de 3 horas e meia até finalmente chegarem à ilha de Lesbos, salvando-se a si e a todas as pessoas a bordo, muitas delas crianças.

Podem ver aqui (em Inglês) uma das reportagens sobre a história desta atleta olímpica.

A vitória da humildade e da abnegação

rui vinhas

As palavras menos simpáticas de Marco Chagas, comentador de ciclismo da RTP, para Gustavo Veloso, no final da Volta a Portugal em bicicleta, fazem-me recuar até 1981. Porque Marco Chagas sabe do que fala!

Tal como o galego, o homem de Pontével era unanimemente considerado o mais forte do pelotão, fruto de experiência no estrangeiro, Volta a França incluída. E também ele era o grande favorito a vencer, nesse ano, a Volta a Portugal, também ele era o chefe de fila da equipa de ponta do FC Porto, que já, por essa altura, dominava o pelotão.

Uma circunstância de corrida, daquelas que acontecem raramente, Manuel Zeferino viu-se com mais de 10 minutos de avanço, na frente (a seguir ao prólogo que Belmiro Silva, também do FCP, venceu), vestiu a camisola amarela em Vila Real de Santo António e não haveria de a despir mais até final. [Read more…]

EOR – Equipa Olímpica de Refugiados

A grande novidade dos Jogos Olímpicos Rio 2016 foi a EOR. Para mim, enquanto defensora dos mesmos direitos para todos, este é sem dúvida um grande feito. Irá ajudar a que o mundo veja os refugiados com outros olhos? Contribuirá para que sejam aceites pelas sociedades onde acabaram por ficar? Não o creio, mas não posso deixar de me congratular com este acto de selecção de uma equipa de atletas que luta não por uma bandeira, mas por todos os que perderam a sua bandeira, tal como se diz no filme lá em cima. Este foi o filme que a ONU produziu para apoiar a Equipa Olímpica de Refugiados (Refugee Olympic Team- ROT). Nele se diz que contra todas as probabilidades estes atletas chegaram aos Olímpicos do Rio de Janeiro. Que representam os mais de 65 milhões de refugiados.  [Read more…]

País futefoleiro, nada desportivo

anarentePortugal é em muitas coisas uma anedota e, não, não estou a pensar no Durão Barroso. De tempos a tempos, os tuguitas vão descobrindo que há desportistas por cá. Uma análise de elevado calibre científico feita pelo laboratório Crato & Medina Associados acaba de publicar que, depois de Atenas, os anos com um dia a mais – há quem se refira a tal fenómeno como bissexto – têm um acontecimento planetário que junta desportistas de todo o mundo. Ontem vi atletas que representavam Guam, território que, até então me era completamente desconhecido, gente da Europa, da Ásia, dos países mais desconhecidos até às potências desportivas do planeta: China e Estados Unidos.

Os Jogos Olímpicos, ainda por cima em Língua Portuguesa, têm que ser um acontecimento especial. Para mim são.

E, por isso, vejo com grande incómodo a forma estúpida como os futefoleiros se referem aos nossos atletas, alguns deles, ao nível dos melhores do mundo. Na nossa Equipa, PORTUGAL, temos o super mediático Nelson Évora e a Telma Monteiro, mas temos também os tenistas João Sousa e Gastão Elias. Ainda hoje entra em “campo” a Shao Jieni no Ténis de Mesa. Somos grandes candidatos na Canoagem ou no trampolim, mas há outras modalidades em que o desafio de cada um dos NOSSOS é superar hoje, o dia de ontem. Vão entrar na piscina ou na pista com o objectivo de melhorar as suas próprias marcas o que é, em si mesmo, um desafio fantástico. São gente que trabalha muito – a maioria, em quantidade e qualidade – todos os dias e quase sempre em complemente aos estudos ou a uma profissão. São desportistas de corpo inteiro que competem pelo prazer de competir. Procuram em cada treino superar a ignorância Lusa que mede o sucesso pelo número de medalhas que se conseguem. O sucesso dos nossos desportistas é muito maior que isso, é muito superior à ignorância dos nossos futefoleiros.

Das viagens

img_4148
Entre levar do gabinete para casa uma caixa de clipes e aproveitar a posição de primeiro ministro de Portugal para promover a invasão do Iraque, obtendo em troca o lugar de presidente da Comissão Europeia, vai toda uma longa escala de prevaricação e erro deontológico, ao longo da qual se vão também encontrar deputadas que passaram a trabalhar em regime de acumulação para empresas estrangeiras do ramo financeiro, cujo lucro advém do prejuízo de Portugal, com as quais, enquanto governantes, mantiveram relação próxima.
A lei, a ser aplicada com absoluto rigor, castiga quem leva os clipes e não toma conhecimento da ignóbil promoção à Goldman Sachs. O bom senso distinguirá o resto.

Rui Vitória alcança o tetra e garante colinho

Rui Vitória foi pai pela quarta vez.