Orquídeas XIII: Oncidium

Da América do Sul e do México chegam-nos a Orquídea Oncidium.

Oncidium
Orquídea, Oncidium (Manuel Lourenço, V.N.Gaia, Portugal)

Aos olhos dos mais novos, estas são aquelas “pequeninas e amarelinhas”. A descrição não é rigorosa, mas anda lá perto, pelo menos no que ao tamanho diz respeito – na cor, nem por isso. Conheça mais exemplares.

Orquídeas XII: Phalaenopsis

Parecidas com mariposas.

É este o significado do nome desta Orquídea que nos chega da Ásia.

Orquídea, Phalaenopsis

Phalaenopsis (Manuel Lourenço, V. N. Gaia, Portugal)

É uma planta com uma enorme diversidade, quer de tamanho, quer de cores.

Orquídeas XI: Catasetum

Brasil. Em dia de Carnaval, o destino não podia ser outro. Senhoras e senhores, a Catasetum:

catasetum

Catasetum (Manuel Lourenço, V.N. Gaia, Portugal)

 

Orquídeas X: Snow Queen

Ficamos por na última viagem. Antes tínhamos viajado pela América do Sul, pela Ásia e pela Austrália. Mostramos a Zygopetalum, depois da exposição ter começado pela Cattleya.

É ao ponto de partida que vamos regressar hoje. Uma Cattleya bem especial, que parece ter sido retirada da terra do Pai Natal.

Orquídea Cattleya
Orquídea Cattleya artic star, Snow Queen (Manuel Lourenço, V. N. Gaia, Portugal)

Orquídeas IX: Portuguesas

O Aventar fica por cá!

Orquídeas Silvestres Portuguesas

Orquídeas Silvestres Portuguesas (Manuel Lourenço, V. N. Gaia, Portugal)

Orquídeas VIII – Miltónia


Miltónia

Miltónia (Manuel Lourenço, V.N.Gaia, Portugal)

A viagem começa na América do Sul e percorrer os Andes e toda o território até ao México. As miltónias são uma orquídea relativamente fácil de cultivar e, também por isso, o Aventar até vos mostra dicas de cultivo.

A semelhança com os amores perfeitos é conhecida, mas não vos queremos deixar com dúvidas.

Orquídeas VII: dendrobium

Hoje vamos viajar até à Ásia.

dendrobium, orquídea

Dendrobium (Manuel Lourenço, V.N. Gaia, Portugal)

Esta Orquídea é epífita, isto é, vive sobre outra planta, mas não a parasitando. Daí o nome dendrobium: dendro (árvore) e bium (vida).

E, agora o serviço público Aventar lembra que amanhã é dia 14 de fevereiro. Aproveite o dia dos namorados e ofereça uma orquídea.

 

 

Orquídeas VI: zygopetalum de novo

Não resisto. Temos que voltar às Zygopetalum.

Zygopetalum

Zygopetalum (Manuel Lourenço, V.N.Gaia, Portugal)

Orquídeas V: Zygopetalum

Hoje vamos  sentir a Zygopetalum.

Zygopetalum, Orquídea

Zygopetalum (Manuel Lourenço, Vila Nova de Gaia, Portugal)

Sentir?

Sim, porque quando falamos de Orquídeas falamos de apelos aos sentidos, falamos de sentir, de sentimentos!

Esta Orquídea sul americana é muito especial, uma das minhas preferidas. A zygopetalum merece este clique.

Orquídeas IV: Cymbidium

Hoje vamos mostrar um Cymbidium.

Cymbidium, Orquídea
Cymbidium, Manuel Lourenço (Vila Nova de Gaia, Portugal)

Este género é hoje bastante comum nas varandas das nossas casas, mas começou por ser uma planta de outras paragens: das montanhas da Índia e da Ásia e também são muito frequentes na Austrália e na Califórnia.

Uma haste pode ter um número muito variado de flores, que têm também formas, cores e dimensões muito diversas.

E a ligação que sugerimos hoje remete para um site australiano. Espreite. Vai gostar.

Orquídeas III: Paphiopedilum

A viagem do Aventar pelo Universo das Orquídeas leva-nos hoje, depois das Cattleyas da América do Sul, até à Ásia.

Paphiopedilum

Paphiopedilum, Manuel Lourenço, Vila Nova de Gaia, Portugal

As Paphiopediluns estão distribuídas um pouco por toda a Ásia e aqui no cantinho que liga a Europa ao Atlântico chamamos a esta planta sapatinho, talvez pela forma do labelo central. Indo à origem latina da palavra Paphiopedilun encontramos uma referência à sandália de Vênus, que nos leva para um universo mais simbólico do que simplesmente sapatinho…

Cada planta entrega aos nossos olhos uma única flor de beleza singular que podemos observar em algumas das galerias disponíveis na web.

Orquídeas II: Cattleya II

Com um pretexto cinéfilo, abrimos o Aventar às Orquídeas. Continuamos nas Cattleyas.

A Wikipédia tem informação significativa e de qualidade sobre esta Orquídea.

cattleya2

Cattleya (Híbrido), uma planta de Manuel Lourenço (V. N, Gaia, Portugal)

De forma simplista corresponde a uma das orquídeas mais familiares aos nossos olhos, nomeadamente pela forma e até pelas cores, mas esta flor representa algo que é marcante no universo das orquídeas nos dias que correm – é um híbrido.

A origem da palavra leva-nos a algo menos simpático (latim: contrário às leis da natureza), mas numa lógica mais otimista podemos pensar neste conceito como algo que resulta do cruzamento de duas espécies ou de dois géneros.

Na cattleya hoje apresentada podemos ver um híbrido que resulta do cruzamento de três géneros: Brassavola x Cattleya x Laelia.

Atreva-se! Este fim-de-semana vá conhecer melhor as Orquídeas.

Orquídeas I: Cattleya

Há tempos tive oportunidade de ver um filme que não sendo fabuloso, é um bom filme: Colombiana, de Olivier Megaton.

Colombiana

E, entre outras coisas, neste filme marcou-me a presença de uma Orquídea, a Cattleya.

Orquídeas

Orquídeas

As Orquídeas são plantas hoje muito presentes nas nossas casas, mas continuam a gerar surpresa e admiração, quer junto dos mais conhecedores, quer junto do público em geral.

A Cattleya é uma orquídea originária da América do Sul e o seu nome pretende homenagear um orquidófilo inglês, William Cattley. São orquídeas, como se podem ver nestas imagens, com dimensões significativas e com uma diversidade espantosa – são sedutoras.