Pod do Dia – Há racismo n’Os Maias

Sim, há racismo n’Os Maias.

Leituras aconselhadas:

As passagens racistas em Os Maias justificam nota pedagógica — defende investigadora

Os Maias, o racismo ou a visão estreita das coisas   – a opinião de António Carlos Cortez

Aventar Podcast
Aventar Podcast
Pod do Dia - Há racismo n'Os Maias
/

Comments

  1. JgMenos says:

    A falta de capacidade em definir valores que consolidem o presente e assegurem o futuro, leva esta camarilha a ocupar-se em denunciar o passado, não justificando-o nos valores do seu tempo, mas denunciando-os em termos que os fazem actuais.

    Ele é o fascismo, o racismo, o patriarcado, o império, o colonialismo, tudo fantasmas para fazer esquecer um presente referido a valores inexplicados ou inexplicáveis e com uma mediocridade funcional cujas causas se querem ocultar.

    Em corrupção, desleixo, auto-indulgência, iliteracia, oportunismo, em tudo que sejam vícios de carácter do presente e de sempre, é o silêncio total – todos vítimas de sociedades passadas….e da actual por herança que não por acção dos actores em cena.

    E quanto a virtudes, há que usar a maior discrição, não vá alguém sentir-se discriminado e ofendido!

    • António Fernando Nabais says:

      Ó patetinha santacombadense, a inexistência ou existência residual de uma coisa parecida com racismo n’Os Maias não significa que não existam racismo, sexismo, exploração e uma relação doentia com o passado. Sempre a fazer confusão, este nosso fascistazinho de estimação!

  2. JgMenos says:

    O corretês é a praia em que banhas a tua mediocridade!
    Bom proveito.

  3. JgMenos says:

    «Já se sabe que não há raças humanas….»!

    O negacionismo, instrumento maior da imbecilidade militante.
    Como se uma origem comum negasse o evolucionismo.
    Como se de sementes com uma mesma origem não adviessem variados frutos.

    • António Fernando Nabais says:

      Sim, riquezas arianas da sua avó judia!

    • POIS! says:

      Pois temos de ser compreensivos.

      Com aqueles que, olhando para JgMenos, comecem a ter fundadas dúvidas sobre o evolucionismo. E mesmo sobre a origem comum.

  4. Elvimonte says:

    Mais um post sobre a etimologia do nabo, cuja raíz é a mesma dos nabais onde é produzido.

    • António Fernando Nabais says:

      Grande Elvas, que trocadilho espectacular! Foste o primeiro a pensar nisso: nabais, logo nabo!
      Aproveita e vai ao dicionário: “raiz” não tem acento. Quem é amigo, quem é?

  5. Pedro Nabais says:

    Muito bom, humor inteligente, bem construído. Não se pode pedir mais.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.