A tragédia de Borba e um Governo sem-vergonha

Acabo de ouvir o ministro Pedro Marques a dizer que até havia uma estrada alternativa à que ruiu.
Era de esperar. Afinal, a culpa é de quem morreu. Não fosse por ali.
A desfaçatez e a falta de vergonha deste ministro já tinha batido no fundo com a CP. Mas ele ainda conseguiu escavar mais.
Numa altura em que nunca ninguém tem culpa de nada, é sintomático que a primeira declaração dele seja para culpar os mortos.
O que é preciso para se demitir? Um emprego na Mota-Engil?