Diálogo possível em 2019

– Está sim, muito bom dia, fala o senhor João Filipe Silva?

– É o próprio.

– Olhe, é da parte da Segurança Social. Estivemos a analisar o seu processo e chegámos à conclusão que lhe foi diagnosticado um cancro terminal há três anos.

– Exactamente.

– Em 2016 não foi?

– Sim senhora.

– Pois e então de acordo com a legislação o senhor já devia ter falecido.

– Ah é?

– Sim, sim. E neste situação, como ainda não faleceu, vamos ter de lhe retirar a pensão de invalidez.

– Mas olhe que eu estou mesmo, mesmo a falecer.

– Mas quem é que me garante que isso é verdade? Disse o mesmo há três anos. E se durar mais três? Ou mesmo seis? São os contribuintes que pagam? Não, não, isto não é o da Joana.

– Ah pronto, então nesse caso, se calhar, o melhor é tentar falecer já.

– Pois, é precisamente isso que eu ia sugerir. É tentar esticar agora o pernil. Veja lá isso, está bem? Se não for do cancro, olhe, atravesse a rua sem ser nas passadeiras, até pode ser que seja atropelado. E com sorte pode ser que seja por um autocarro da CARRIS, assim era certinho.

– Tem toda a razão, a última coisa que eu quero é roubar dinheiro ao Estado.

– Está a ver? Pronto, resolva lá isso que para o próximo mês já deixa de ter a pensão de invalidez.

– OK, obrigadíssimo por ter ligado.

– Obrigado eu, com licença.