Cavaco, o eloquente

O homem que conseguiu ser eleito sem, praticamente, se lhe ouvir uma palavra e que passou o mandato anterior em silenciosa cooperação institucional, não pára de mandar bitaites para o ar. Descobriu agora que tem voz ou procura demarcar-se do que a História virá a dizer deste período? É bom não esquecer quem criou o monstro, esse mesmo que ele disse, em 2000, não ser possível dominar «sem dor».

Por vezes até duvido sobre quem governa.

Comments

  1. maria celeste d'oliveira ramos says:

    que desgraça tamanha aconteceu no paí no cavaquismo e em que ninguém “põe-amão” senão para a aproveitar para cada vez menos cidadãos ou, de onde vem a semente que deu árore exótica (há quem também denomine de daninha)

  2. Jorge Ralha says:

    TARDE PIOU…. ou vai piando….

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.