Liberdades? Sim, claro, quando me dá jeito.

Na Assembleia, o deputado único do CHEGA teve uma declaração em que disse que lá por ser do Benfica, não tinha o direito de acabar com alguns adversários. Claro que a frase dele teve bastante impacto por se referir a clubes de futebol, mas nem é isso o que me impressiona na frase. André Ventura defende, e bem, que cada pessoa tenha a liberdade de ser do clube que quer e que essa liberdade acaba quando interfere na do outro.
Onde está André Ventura, o grande defensor das liberdades, quando defende que não deve ser ensinada a ideologia de género, tirando assim uma opção às escolas e aos pais? Onde está o sentimento de liberdade, quando defende um isolamento especial para uma etnia? Onde está o respeito pelas opiniões dos outros, quando se  promete acabar com a bandalheira que vai para o Twitter?

Ignorando o assunto que estava em questão na Assembleia, André Ventura percebeu, que para defender uma ideia, é preciso pensar como podemos tornar as pessoas mais livres. Mas tal como outros de direita e a maioria de esquerda, apenas proclama liberdade quando dá para defender os dele e aquilo que os dele gostam.

O problema é que André Ventura ainda não entendeu que não podemos defender apenas a liberdade quando é algo que nos toca. Temos defendê-la sempre. Alguém que lute verdadeiramente por pessoas livres, luta até por aqueles que não gosta.

Lisboa a ser vítima de Lisboa

Lisboa continua a ter imensos casos de Covid-19, enquanto o Porto, por exemplo, não tem casos há mais de 20 dias. Julgo que pela primeira vez na História, Lisboa foi vítima daqueles que fazem da capital algo superior, como se fossem diferentes dos comuns mortais.

Atualmente, Lisboa tem a larga maioria dos novos casos. Esta é a mesma cidade na qual a classe política achou boa ideia fazer celebrações do 25 de Abril, celebrações do Dia do Trabalhador, manifestações da esquerda à direita e, pasme-se, celebrou-se o facto de Portugal receber a Liga dos Campeões. Os populistas da esquerda à direita e os que usam Lisboa para centralizar os seus poderes foram os culpados desta situação. Talvez tenham confiado demasiado na sua população que não é menos educada, nem mais pobre, nem mais velha. [Read more…]

96 Campeões

O Liverpool sagrou-se campeão inglês. Mesmo depois de ter sofrido 11 golos em dois anos contra essa equipa, tentarei abordar o assunto sem roer as unhas.

Já todos falaram de Klopp, de Mo Salah e muitos outros. Eu vou falar dos 96. Dos 96 adeptos dos Reds que perderam a vida em 1989 na famosa Tragédia de Hillsborough. O Estádio degradado e a falta de organização contribuiu para o desastre. O Governo inglês fez acreditar que a culpa era dos adeptos, alegando que estes se encontravam alterados devido ao álcool. No entanto, as famílias das vítimas não desistiram e lutaram por que se fizesse justiça. [Read more…]

Isto é sobre a TAP, mas podia ser sobre outra coisa qualquer

Uma vez na Grécia, um estudante a quem eu disse – depois de saber que não se pagam propinas naquele país – que era privilegiado, respondeu-me o óbvio (que na verdade eu sabia, porque óbvio desde sempre para mim, mas usei mal a palavra) – «não é um privilégio, é um direito».

Mais nada! É só isto. Aplicado a tanta coisa, não apenas à educação. Ao trabalho e aos direitos dos trabalhadores. Aos serviços e aos direitos dos consumidores. À saúde e aos direitos de todos nós a ela. E por aí fora. [Read more…]

Bom S. João!

Ó meu rico S. João
Sabes o que era sensacional?
O Porto Campeão
E um Portugal mais liberal

Mesmo sem gente na rua
Esta noite será sempre tua
Não há festas para as multidões
Mas temos a Liga dos Campeões

Mania das Grandezas

Portugal, tal como o resto do mundo, está a atravessar uma pandemia. Devido à mesma, teremos enormes consequências na vida das pessoas, principalmente pelo abalo que a economia levou. Talvez algumas pessoas agora percebam que não é a economia que mata. Durante os últimos meses, os profissionais de saúde têm sido bastante elogiados pelo combate ao vírus. Chega a ser comovente a entrega destes profissionais que têm vidas humanas nas suas mãos. Em França, o Governo garantiu dar até 1500 euros de bónus a profissionais de saúde. Na Alemanha, vai ser aumentado o salário aos mesmos. [Read more…]

Bolsonaristas feministas

Brasil é cheio de sinhazinhas que usam o discurso do feminismo para manter privilégios , conforto e perpetrar o ódio. Os castigos ,dado até as crianças negras e indigenas no Brasil colonial, é um tema indigesto. As mulheres negras eram mutiladas depois de serem estupradas pelos senhores, a mando das sinhás.

Conheci várias descendentes. Evocam uma luta por conveniência. Dão escândalo e promovem grande caça-a-bruxas nas redes mas na hora H  são capazes de dar crianças a cães ou jogar no elevador.

Um dos episódios recentes foi a prisão de uma delas, defensora ferrenha do bolsonarismo e ideias de supremacia branca. Ridícula e perigosa.

Muito cuidado com elas meus queridos.

Governo prostituto e traidor

“Empresas ligadas a offshores sem restrições nos apoios da covid-19 – Governo defende que impor limitações a empresas controladas a partir de paraísos fiscais ou donas de empresas aí sediadas colocaria “constrangimentos” na resposta à crise.”

Mais uma prova cabal da flexibilidade de encaixe no que toca a falta de ética, em troca de chegar às uvas. PS, PSD, CDS-PP e Iniciativa Liberal juntinhos para nos lixarem e lamberem as botas aos aldrabões.

França, Bélgica, Itália, Áustria e Polónia e Dinamarca tiveram coluna vertebral. Os outros oferecem-se a quem lhes passa umas notas à frente do nariz.

Com que moralidade exige este governo que lhe paguemos impostos???

40 mil mortes no Brasil.

O Brasil ultrapassou a marca dos 40 mil mortos pela covid19.

Dia de Portugal

13339656_1727132170893326_8944005229948290680_nMais importante do que nos orgulharmos da nossa História e das nossas gentes é refletirmos no que podemos fazer para melhorar sempre este país.

Viva Portugal!

Privilégio Branco?

Há umas quantas coisas de que me orgulho. Sou português, portuense, portista, liberal e gosto bastante de salmão. Sou sincero, nunca senti muito orgulho em ser branco, porque nunca pensei nisso sequer. No máximo, posso dizer que me orgulho de ser europeu.

No sábado, realizou-se, por toda a Europa, o protesto contra o racismo. Tudo isto começou pelo assassinato bárbaro numa cena de abuso policial, nos EUA. Tudo isto originou uma enorme revolta e que se baseou em chavões como “privilégio branco”. Lamento informar os mais ativos nesta luta, mas esse tal privilégio branco não existe. E também lamento informar que não existe racismo estrutural em países como Portugal ou os EUA.

[Read more…]

Donald Trump, o wannabe Xi Jinping, arraçado de ayatollah

Especado em frente a uma igreja como um espantalho, o devasso presidente norte-americano segura na mão uma Bíblia, logo após ter ameaçado colocar o exército nas ruas para conter os “terroristas”, termo que, por estes dias, serve para classificar manifestantes pacíficos e grunhos infiltrados, ou pouco à imagem daquilo que a China está a fazer com quem se atreve a protestar em Hong Kong. Donald Trump é um aspirante a Xi Jinping, que usa uma Bíblia em vez do livro vermelho do Mao. Um arraçado de ayatollah, portanto.

Floyd e a América racista

Copwatch (also Cop Watch) is a network of activist organizations, typically autonomous and focused in local areas, in the United States and Canada (and to a lesser extent Europe) that observe and document police activity while looking for signs of police misconduct and police brutality. They believe that monitoring police activity on the streets is a way to prevent police brutality. [Wikipedia]

Grupos de pessoas organizam-se, nos EUA, para filmar a acção policial porque já sabem que a probabilidade de esta ser violenta e injusta é elevada. Esperam pela reacção da polícia quando essa violência acontece e depois publicam os vídeos se o caso começa por ser abafado.

Foi o que aconteceu com Floyd.

Há assim tanto para investigar?

[Read more…]

28 de Maio? Vale pela inauguração do Estádio das Antas

Acordam com o despertador num telemóvel fabricado na China ou nos EUA. Vão tomar banho num chuveiro que pode ser da Roca ou da Grohe, enquanto ouvem música comercial. Vestem-se de marcas francesas, alemãs, entre outras. Vão almoçar ao Mc Donalds e depois, aproveitando o calor, vão beber algo ao Starbucks ou comer um gelado à Haagen Dazs. Depois enfiam-se no seu Renault, Peugeot, Porsche, ou lá o que quiserem para ir até à praia. Voltam antes do fim de tarde, pois precisam de cortar o cabelo num cabeleireiro Jean Louis David. Metem uma foto no facebook, no Instagram, no Twitter e pedem opinião a alguém no Whatsapp. À noite, vão sair com os amigos, e como não está nada aberto, para comprar umas bebidas para levar para casa, têm de ir a alguma lojinha de asiáticos. Com sorte, pelo caminho, encontram um restaurante turco aberto para comer um belo kebab.
Esta gente também é a que chega o dia 28 de Maio e dá viva a Salazar e exalta o amor à nação.

Celebremos o 28 de Maio apenas pela inauguração do Estádio das Antas.

Este Governo é o ópio do Povo

Desde o 25 de Novembro de 1975 que, em Portugal, a Democracia nunca esteve tão comprometida. Não estamos a falar de indícios ou de teorias da conspiração. Já passámos essa fase. Estamos a falar de factos públicos e notórios. O que já era muito bem perceptivel antes da pandemia, teve uma evolução exponencial e, neste momento, estamos quase num regime de partido único.

Relembrei algumas coisas que escrevi há uns anos e duas delas pareceram ganhar uma gritante actualidade. Numa afirmava que Costa, em termos políticos, era bem mais desonesto que Sócrates. E noutra, sobre a eleição de Rio para Presidente do PSD, constatava que estava criada a “tempestade perfeita”.

E não venham com a história que se não houvesse democracia, eu não podia escrever isto. O despotismo nestes tempos não precisa de cercear liberdades como a de expressão. Não precisa de impedir algumas pessoas de falar. Basta-lhe conseguir que as pessoas não liguem ao que lêem e ao que ouvem.

O truque não está no autoritarismo desenfreado, mas no fomentar do torpor generalizado. E temos um Governo e um PR (o putativo líder da oposição além de alinhado, é quase insignificante) que compreendem como ninguém o poder da comunicação e do entretenimento. E fazem disso a sua principal actividade.

Ora num País de “brandos costumes”, pois, ou seja, num País de indolentes e de fracos em que o marasmo é um objectivo de vida, basta algum ilusionismo com a informação para que este Povo fique completamente sedado. É quase como dar “valium” a quem está a morrer de sono.

A isto junte-se o sequestro do Estado de Direito e “voilà”. E se por acaso alguma dúvida subsistir sobre o definhar do primado da lei, lembrem-se da PGR que foi nomeada para acabar com as investigações a políticos, o número (zero) de condenados por corrupção, a passividade perante transgressões que passam a ser entendidas como privilégios aceitáveis ou excepções naturais, a descarada impunidade do benf… dos coisos (fazem lembrar aqueles cartéis colombianos que cometiam os mais hediondos crimes à frente de toda a gente, mas que ninguém tinha a coragem de afrontar), etc.

O que mais me espanta, o que mais me choca, não é um governo socialista comportar-se desta forma. Nunca tive grandes dúvidas acerca da ética democrática da esquerda. Pior que muita parra e pouca uva, é muitíssima parra e esquecer a pouca uva. Para o que não estava, definitivamente, preparado era para esta indiferença. Para esta indolência.

“Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.”

Berthold Brecht (Intertexto, versão de um original de Martin Niemöller)

Vírus para uns, amigo para outros

Neste fim-de-semana, apesar das regras mais rígidas, os portugueses começaram a ir à praia e fazer outras atividades. No entanto, as medidas continuam a ser pouco claras e das duas uma: ou não há coerência ou o vírus é muito seletivo. Este vírus, segundo a DGS, parece que escolheu horas para atacar e tem sítios preferidos. Por exemplo, este vírus detesta Fátima, mas tem um apreço especial por manifestações da CGTP. O vírus detesta pessoas na praia que não façam desporto, mas adora quem faz surf. O vírus detesta o português médio que quer ir ao centro comercial, mas adora membros do governo que se juntam em tascas. O vírus detesta música pop e festivais, menos se houver t-shirts do Che Guevara a cada tenda. O vírus, até há umas semanas, não via as máscaras como obstáculo. Agora, é das maiores barreiras que tem. O vírus detestava médicos, hipertensos e diabéticos. De repente, devem ter feito todos um jantar e já ficaram amigos outra vez.

[Read more…]

Dia contra a homofobia

Hoje é o dia contra a homofobia. Um dia importante para refletirmos sobre a importância das liberdades individuais. Sem fanatismos, sem ressentimentos. Sem identitarismos bacocos, sem tribalismos.

O dia de hoje não deve ser dedicado só aos LGBT, mas sim a todos aqueles que acreditam que todos temos o direito de amar quem queremos sem ser sujeito a qualquer tipo de repressão.

A pandemia neofascista

JB

Cartoon: Carlos Latuff

Nelson Teich, apesar do apelido que rima com Reich, não sobreviveu um mês no Ministério da Saúde de Bolsonaro. Entrou a 17 de Abril, para substituir Luiz Henrique Mandetta, demitiu-se a 15 de Maio, para ser substituído por (mais) um militar. O anterior foi corrido por insistir na importância do distanciamento social. Este demitiu-se por se recusar a recomendar a cloroquina, e por discordar da equiparação de salões de beleza e ginásios a serviços essenciais. Pobre Ministério da Saúde brasileiro, onde o conhecimento científico é enxovalhado e espezinhado, e o autoritarismo ignorante de Bolsonaro é quem mais ordena.

O senhor que se segue é o general Eduardo Pazuello, um militar de carreira sem qualquer tipo de formação na área da saúde. Contudo, Pazuello é detentor da melhor das qualidade para integrar o actual governo brasileiro: é amigo pessoal de Bolsonaro. Tão amigo que afirmou mesmo estar disponível para acatar qualquer medida imposta directamente pela presidente para a área da saúde. Com obediência cega e sem levantar questões. [Read more…]

O bicho já não mexe

Por esta hora, em dia de semana, começaria mais um direto do Bruno Nogueira no Instagram. Não poderemos ver mais, pois acabou. Foram dois meses de momentos únicos. Com isto, o Bruno conseguiu a proeza de fazer as pessoas esquecerem o mau momento que atravessamos e, durante aquelas duas horinhas, fazer dezenas de milhares de pessoas rir. Ali, num pequeno ecrã e, na maioria das vezes, dividido com outras personalidades, o Bruno Nogueira fez com que as pessoas celebrassem o Natal em Maio. A magia disto tudo está na simplicidade. Desde as embirrações com o Markl até aos momentos de loucura com o louco Quadros. Desde Cristiano Ronaldo em direto à briga entre Ljubomir e Manzarra. Desde o piano de Maria João Pires à obra de Vhils ao som da Grândola Vila Morena. Eu não acompanhei religiosamente toda esta aventura, mas sempre que lá estive, senti-me em casa.
Obrigado por isto, Bruno.

Repensar, defender e reforçar o SNS

SNS

Umas das lições que (já) podemos tirar desta pandemia, e que para muitos não é novidade nenhuma, tem a ver com o carácter imprescindível e vital do Serviço Nacional de Saúde no nosso modelo de sociedade. Como dizia Ricardo Araújo Pereira, numa recente intervenção no Governo Sombra, “não há ateus na cova do lobo e também não há grandes críticos do SNS em tempos de pandemia”.

O SNS, na minha opinião, e na de muitos portugueses, é o maior avanço civilizacional do pós-25 de Abril, a par da Educação e das liberdades a garantias fundamentais conquistadas. E, por muito que o critiquem, ele está entre os melhores. O Euro Health Consumer Index 2018 (não encontrei o de 2019, presumo que ainda não tenha sido publicado), o ranking de SNSs europeus elaborado pelo think tank sueco Health Consumer Powerhouse, coloca Portugal no 13° posto, entre 35 serviços nacionais de saúde analisados no continente europeu, atrás dos óbvios mas à frente de países como o Reino Unido, Espanha, Itália ou Irlanda. [Read more…]

Um português, um indiano e um cigano…

O título deste texto parece o início de uma anedota, mas também se adapta a um dos últimos episódios da política portuguesa e tiveram como protagonistas André Ventura, António Costa e Ricardo Quaresma. Achei melhor dizer, pois há quem se dê mal ao brincar com estereótipos. Ai se os Gato Fedorento fossem dos dias de hoje…

[Read more…]

André Ventura acha que André Ventura não tem razão

André Ventura, como Trump e Bolsonaro, é exímio na arte da mentira, da deturpação de factos e da instigação do ódio, do medo e da divisão. E, como bom demagogo que é, contradiz-se quase todos os dias. O que verão os seus eleitores neste político, que tem todos os defeitos dos restantes, não acrescenta nada de novo e ainda vem acompanhado por uma horda de neo-nazis, determinados em derrubar a democracia?

A burocratização dos adeptos

Hoje vamos falar de JPR. Infelizmente, não é João Paulo Rodrigues, mas sim João Paulo Rebelo. Se fosse o primeiro, podíamos rir por competência do próprio nas suas funções. Quer dizer, com o segundo também podemos rir, mas por incompetência do próprio nas suas funções.

João Paulo Rebelo é Secretário de Estado do Desporto. Depois de uma breve pesquisa, vim a saber que o deputado socialista é licenciado em Gestão. Bem, isto é o mesmo que ser muçulmano e trabalhar numa rulote de bifanas. João Paulo Rebelo, na verdade, pode ser excelente a gestão, no entanto, não faz a mínima ideia do que é melhor para o desporto. Na sua entrevista ao Record sobre a implementação do Cartão do Adepto para membros de claques, JPR diz que vem em linha com o que são as melhores experiências a nível internacional. O típico “lá fora é que é bom”, não apresentando qualquer argumento concreto. Mas o melhor é ir a factos, visto que o Secretário de Estado do Desporto não pode ter falado sem a certeza absoluta.

[Read more…]

Feminismo vs Liberdade Individual

Há certezas absolutas que ninguém pode refutar quando falamos nas desigualdades entre homens e mulheres. Temos o exemplo dos salários ganhos por cada género, sendo que por cada euro ganho por um homem, uma mulher recebe 84 cêntimos. O problema coloca-se quando nos questionamos pela razão desta desigualdade factual. O movimento feminista fala de uma sociedade patriarcal, uma sociedade em que o homem tem predominância apenas pelo género. As feministas, que tanto criticam o capitalismo e aqueles que têm o lucro como algo positivo, são as primeiras a falar das diferenças salariais. Pelos vistos, o dinheiro não é assim tão irrelevante quanto isso. O movimento feminista, que não podemos confundir com as mulheres, não defende a igualdade de oportunidades para os indivíduos de ambos os géneros, mas sim uma igualdade de resultados. Se antes, as pessoas viviam numa ditadura pela ordem, agora vivem numa obsessão pela igualdade. Colocaram essa obsessão à frente da liberdade individual, não permitindo que as mulheres sigam o seu caminho, mas impondo uma luta identitária contra os homens.

[Read more…]

Roda livre

A empresa QUILABAN – Química Laboratorial Analítica, SA, cujo Presidente do Conselho de Administração é João Carlos Lombo da Silva Cordeiro, Presidente da  ANF – Associação Nacional das Farmácias durante 32 anos e ex-candidato à Câmara Municipal de Cascais pelo PS, celebrou, desde o início do Estado de Emergência, 46 contratos com o Estado. Estes contratos diferem de todos os outros que anteriormente já tinha celebrado, principalmente, pelo aumento exponencial dos valores envolvidos. 
Um deles, chama particular atenção. Trata-se de um ajuste directo em que a entidade adjudicante é a DGS – Direcção-Geral da Saúde e o valor do contrato maus de 9 (nove) milhões de euros (9.030.000,00€). Para além do valor, há um pormenor muito interessante: a razão apontada para o recurso ao ajuste directo é a URGÊNCIA IMPERIOSA (em maiúsculas no Base) de fornecimento de equipamento médico, mas concede-se um prazo de execução de… 268 (duzentos e sessenta e oito) dias! 
Quando um governo funciona em roda livre sem qualquer escrutínio porque quem o devia assegurar, demitiu-se há muito dessas funções (principal partido da oposição, comunicação social, tribunais e também o PR), tudo se consegue.

[Read more…]

Porto Invicto

tviContinua a campanha centralista por parte dos órgãos de comunicação. Continuamos a ter Lisboa considerada o arquétipo da perfeição e o resto do país como paisagem. Do Norte a Sul, os portugueses merecem respeito. O Porto também merece. Um Porto exemplar nesta luta que devia ser de todos. Uma luta contra as mentalidades mesquinhas que tentam diminuir o resto do país.

Ao contrário de muitas regiões que já se renderam à capital, o Porto diz não.

Obrigado aos Professores

Ninguém estava à espera de uma pandemia, mas ela chegou e tivemos de reagir. Os estudantes e os professores não são exceção. Por um lado, os professores tiveram de se adaptar a maneiras de ensinar que nunca tinham testado. Do outro, alunos tiveram de mudar radicalmente o modo de aprender. Em semanas, passaram de salas de aula para um ecrã. A situação já não é fácil para ninguém, mas ainda ficou mais difícil com as soluções arranjadas. Com o prosseguimento das aulas, ficaram alunos para trás. Tanto os que têm computador como aqueles que têm e não se sentem confortáveis a aprender assim. Sim, porque nenhum aluno (ou professor) aceitou, em qualquer altura, ter aulas por vídeo-chamada. Logo, qualquer aluno que tenha mais dificuldades em aulas deste género está prejudicado.

[Read more…]

15 minutos de Big Brother: Reação alérgica, homofobia e racismo

Hoje, acordei com vontade de falar de um tema. As hipóteses eram o Big Brother ou o Covid-19. Como não gosto de falar de coisas tristes, vou falar do Covid-19. Não, estou a brincar. Os flagelos mundiais são para ser enfrentados com coragem e aqui estarei para vos falar do Big Brother. Toda a minha análise será sobre os 15 minutos finais que vi após um zapping acidental. Como é óbvio, apanhei aquilo a meio e nunca puxei para trás, por isso não garanto rigor em pormenores. Não aconselho. Pode dar sensações de náuseas e afins. Se forem sensíveis, não leiam isto. Ou então leiam, que será uma análise profunda. Profunda a um nível que nem os concorrentes compreenderiam em certos pontos. Vá, isto foi puro preconceito com concorrentes de reality shows, admito.

[Read more…]

Futebol sem adeptos? Não!

A perseguição aos adeptos dos mais variados clubes e a culpabilização destes por todos os males no futebol não são de agora. Mas, ultimamente, tem sido intensificada a ideia de que os adeptos fazem mal ao futebol. Seja pela comunicação social ou até pelos órgãos responsáveis pelo desporto. Paira uma ideia de que quem segue um clube é um fanático e nada tem de positivo, enquanto quem fica em casa é responsável. Esta ideia é transmitida até à exaustão. Os adeptos não podem continuar a ser tratados como criminosos, quando na verdade são eles que dão vida aos estádios. A alma dos clubes está nas bancadas, naqueles que ali dedicam uns instantes de vida a apoiar algo importante para eles. Do jovem que gosta de cantar no meio da claque ao senhor que não dispensa as pipocas na central. É nestes que reside o verdadeiro espírito da bola. Isto é assim para quem vai ao futebol, para quem assiste de perto a esta realidade. Infelizmente, em Portugal, é notícia qualquer má atitude de um adepto, mas não se condena um polícia que cega um adepto, um adepto do Boavista. Por outro lado, houve uma onda de solidariedade. Adeptos de todo o país ergueram frases de apoio ao Jota. Isto prova como há lutas que são de todos. Lutas que não têm cor, lutas que apenas têm como objetivo exigir respeito à massa adepta.

Frases de adeptos do FC Porto e Benfica em solidariedade ao Jota

Desta vez, a Liga quer continuar o Campeonato sem adeptos. Futebol sem adeptos não é futebol. Querer terminar o campeonato nacional nestas condições é matar a essência do desporto. Ver os estádios vazios vai ser o mesmo que comer uma francesinha sem molho, perde o sentido. A Liga, a Federação e até mesmo os clubes ignorarem isto é ignorar quem sustenta verdadeiramente o futebol. Quem está lá semana após semana, e por vezes a pagar mais por jogos médios do que na Liga Europa (Moreirense – FC Porto, 19 euros. Bayer 04 – FC Porto, 15 euros). Aqueles que continuam a ser desrespeitados e tratados como marginais. As condições para ir ao futebol continuam a piorar para aqueles que gostam de viver o jogo. Este é o país em que a corrupção é adiada e adeptos são julgados num dia. É o país em que adeptos comuns não têm direito a cerveja com álcool, mas os de camarote já têm. Em França, claques de todos os clubes já se uniram.

eveqfqvxyaqmgez

Façamos o mesmo pelo futebol português.
Pelos adeptos de futebol de todas as cores:
Não matem o futebol, o nosso futebol!

EPzt3O4WsAErB8uFrase de adeptos leixonenses contra o estado do futebol

ESmfi1AXgAQHUqyMensagem solidária de adeptos do Bayern München

Música de uma banda de adeptos sportinguistas contra o futebol moderno

Crónicas do Rochedo 38 – Tempos de Excepção, medidas de Excepção

economiaacair

O que acontece se o sector da Restauração e similares (restaurantes, bares, cafés, confeitarias, etc) não recupera rapidamente?

Nenhum problema, eu sou agricultor e produtor de fruta e legumes, continuo a plantar e a mãe natureza encarrega-se do resto”. Errado: o sector da Restauração e Similares é o principal consumidor de frutas e legumes. Sem ele o agricultor terá de fazer como já se vê em muitos dos países atingidos pela pandemia: deixar na terra a maioria da sua produção por não ter quem compre. O mesmo no caso dos produtores de gado.

Nenhum problema, eu sou produtor de vinhos e as uvas continuam a nascer e o vinho a produzir-se”. Errado: o sector da Restauração e Similares é o principal comprador de vinhos a nível mundial. Sem restaurantes e bares bem que os produtores de vinho terão de reduzir em 75% a sua produção.

[Read more…]