Somos Todos Burros, Meo?

salve-meo

 Eu ainda sou do tempo da PT-monopólio, do tempo em que aquela empresa (pública então) não fornecia factura sobre o dinheiro que lhe apetecia cobrar, do tempo em que se esperava dois anos pelo acesso a uma linha telefónica, do tempo em que se pagava uma chamada regional ao telefonar-se para a rua ao lado só porque aquela era noutra freguesia, noutro indicativo telefónico. Eu ainda sou do tempo em que a PT queria, podia e mandava, incontestada.

O tempo passou e as coisas mudaram. Não tanto como se desejava. O caso – esquizofrénico? – é mais ou menos este:
– de entre “um milhão de clientes” do serviço MEO surge um cliente que pretende abdicar dos serviços da Portugal Telecom. Pretende abdicar porque é livre de o pretender e, nada devendo a ninguém, é livre de o pretender. O cliente pretende abdicar do serviço MEO e contacta a linha telefónica de atendimento a clientes. Chama a pagar, claro, pelo ainda-cliente. O cliente telefona e quase se lhe esgota o saldo, de um telemóvel ainda-TMN.
De um moderno call center, os tais que produzem dezenas-centenas de postos de trabalho para jovens, vem o procedimento a seguir: ir ao site dos cliente PT e seguir este menu e aquele, imprimir, preencher, digitalizar, enviar. Parece fácil deixar a PT da mão!
Finda a chamada, o cliente vai ao site e descobre que a estrutura de menus não condiz com o que lhe disseram ao telefone; aliás, não condiz também com o que está explanado nas Perguntas Frequentes. Já mais pessoas quiseram saber como abdicar dos serviços da PT…
De todo, não é mesmo possível enviar qualquer formulário de quitação online, apesar de termos gasto o saldo para nos dizerem que é possível.

O cliente quer mesmo desistir do serviço. E vai à Loja do Cidadão de Braga onde existe um balcão MEO-PT. Deve ser aqui. O cliente tira a senha, é atendido por um jovem que manuseia, acto contínuo, um telemóvel branco, muito coçado. Liga para alguém, explica o caso do cliente ali defronte. O cliente quer desistir do serviço. O funcionário quer passar o telemóvel ao cliente. O cliente frisa que só quer assinar um papel, desistir do serviço e ir-se embora. O funcionário insiste: tem que falar com a minha colega. Ora foda-se, mas eu não quero falar com mais ninguém, já estou a gastar muito tempo com isto!

A chamada cai. Repete-se a chamada e o ritual satânico de entregarem o telemóvel a um cliente que não quer falar ao telemóvel, só quer assinar um papel e deixar de ser cliente. Acede ao zeloso funcionário. Sim? – “E o senhor quer desistir porquê?” – “E nunca lhe apresentaram outra proposta de preços?” – E isto, e aquilo. Foda-se. A minha senhora, vai-me desculpar, teria muito gosto em falar consigo noutras circunstâncias mas eu só quero assinar um papel, deixar de ser cliente, já estou a perder muito tempo com uma coisa tão simples. Obrigado.

Finda a incursão no reino da demência, o cliente informa novamente o funcionário que não quer falar ao telefone com ninguém, com mais ninguém, só quer assinar um papel e ir-se embora. Mas que respeita os rituais da PT para com os seus clientes mas que não está interessado em permanecer naquele religião, naquela seita. O cliente tem o máximo respeito por quem trabalha e tem ainda maior admiração porque quem cumpre ordens imbecis, como estas, que tornam imbecis os clientes da PT. Ex-clientes. Adeus.

Comments

  1. nightwishpt says:

    Imagino que baste mandar carta registada, mas penso que posso descobrir se alguém quiser saber.

  2. João Paz says:

    A mim aconteceu-me precisamente isto mas com a zon. Uma amiga minha teve de arcar com várias ameaças de tribunal para se ver livre da Optimus.
    Parece estar na moda massacrar quem quer sair.


  3. entreguem uma carta devidamente assinada numa loja a dizer que serviços pretendem desativar e a partir de que data o pretendem, e a partir dessa momento deixem de pagar. foi assim que fiz. andaram cerca de 1 ano a ameaçar que tinha de pagar o resto dos meses que seguiram ate a carta dar entrada oficial nos serviços deles, sim porque eles acham que a data de entrega na loja não tem validade, para eles a data valida de cancelamento é no dia em que se lembram que vão olhar para a carta, ou seja uns meses depois.

  4. Álvaro says:

    Aconteceu-me a mesma história, mas pior – tive de ir a três lojas diferentes do Meo, perder horas a fio (não é exagero retórico, foi mesmo horas) até finalmente me permitirem abandonar a seita.

    E isto em vésperas de emigrar… Quando me dá saudades, lembro-me desta história ou de como é ter de ir tratar alguma coisas às finanças ou, deus me livre, à segurança social.

  5. Catarina Figueira says:

    Todas as operadoras tem um departamento chamado de “retenção” que existe para convencer o cliente a manter-se. Sempre que um cliente quer desistir é a esse departamento que vai parar.

    • João Paz says:

      Só que esse “departamento” de todas elas maltrata de facto quem expressa a sua livre vontade de mostrar o seu desagrado pela saída Cristina Figueira.


  6. +1. Aconteceu-me exatamente o mesmo. Não se poderia chamar a isto “bulling comercial”?


  7. foi só de raspão mas foi referido uma das maiores canalhisses desta pt/meo =obrigar o cliente a pagar chamada para falar com os serviços, seja de que telefone for. caozoada

  8. antonio paulo loureiro martins says:

    eu estive meia hora a ouvir um funcionario da MEO com perguntas infantis para continuar a pagar o dobro de outra operadora.
    não haverá neste pais alguém com HUEVOS como dizem os espanhoes para meter estes reçaibiados na ordem? Disse ao
    homem da meo dezenas de vezes que não queria mais meo e o gajo se fazia de idiota para voltar a carga com baixa de preços…
    como e possível? essa gente vende o produto mais caro da EUROPA.

  9. Sou M4O fibra says:

    Você vá-se tratar ao manicômio pois a MEO é o melhor que há, e quem quer desistir não se pode queixar das consequências que têm de sofrer por deixar!
    Além disso os funcionários fazem muito bem em não dar logo o papel, porque há pessoas que estão com álcool no intestino e discutem com a mulher ou com a filha e dizem que vão desistir do MEO, e chegavam lá pediam a folha e assinavam, era de loucos.
    E não é com mal-criação que vai conseguir desistir do MEO!


    • ah ah ah ah, genial!

    • caralho says:

      vai-te foder ó burro. tu não sabes o k é a verdadeira MEO…só pk tás numa zona PRIVILEGIADA dessa merda vens com a puta da mania k és o maior tu e a tua merda de MEO !! Este país não é igual pa todos por isso cala-te ó BURRo do caralho !

Trackbacks


  1. […] Em boa hora, deixei de ser cliente MEO. Posto isto – e tendo eu pedido por três vezes o grato favor de não mais me importunarem – qual a razão válida para a PT Empresas me continuar a assediar? É que… no caso de hoje, usando o insuspeito número de telefone 21 358 7700, obrigaram-me a gastar a recepção de uma chamada em roaming… para vos dizer outra vez… não me liguem mais. A sério, não liguem… […]


  2. […] NOS é que somos burros em tolerar isto. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.