Henrique Granadeiro

Passeou-se pelos salões políticos do fascismo, fez a transição pacífica para a democracia, durante a qual somou nomeações social-democratas e socialistas, foi embaixador, chefe da Casa Civil de Ramalho Eanes, gestor, conselheiro, administrador e CEO de empresas públicas e privadas, e era um dos homens fortes da PT, quando aquela que já foi uma das maiores empresas nacionais decidiu torrar 900 milhões de euros na Rioforte.

Hoje é arguido na Operação Marquês, lado a lado com gente tão recomendável como José Sócrates ou Ricardo Salgado, acusado de crimes de corrupção passiva, branqueamento de capitais e fraude fiscal. Acusado de ser um mero capacho, ao serviço do Dono Disto Tudo, de quem terá recebido milhões para gerir a PT em função dos apetites do Grupo Espírito Santo, arrastando-a para a ruína.

Parte desse dinheiro terá sido usado na compra de um apartamento em Lisboa, cuja história, relatada pelo Expresso, daria um belo argumento para o grande ecrã. Tudo bons rapazes.

SIRESP

Mas afinal contrataram exactamente o quê? Ninguém desmente a PT?

Uma questão de liberdade de mercado, ou falta dela…

A aquisição do grupo Media capital, pelo Altice group é um negócio entre privados, no qual o Estado não tem que se imiscuir. Bem sei que o socialismo reinante em Portugal tem uma série de regras, observadas por entidades reguladores, que condicionam um mercado que deveria ser livre. Entretanto vão empregando uns quantos boys do partido na coisa, que é como quem diz, essas entidades públicas de escassa utilidade, mas bem caras ao bolso do contribuinte. Quando alguma coisa corre mal, culpam o mercado. Já estamos habituados à conversa da treta…
O Primeiro-Ministro chega ao ponto de fazer uma pausa na intervenção política no parlamento, para afirmar estados de alma, que apenas importam ao próprio, enquanto a pantomineira do partido que suporta a geringonça clama por legislação imediata para este caso concreto, porque ao que parece existem problemas laborais na PT, empresa pertencente aos novos donos da Media capital. Como se fosse possível legislar á là carte, tipo sai um decreto-lei para o grupo parlamentar do BE. [Read more…]

Para quê criar um novo banco quando podem usar a TVI para destruir um já existente e comprá-lo a preço de saldo?

Em 2015, o grupo Altice passou pela quermesse de Passos Coelho e levou a PT, por um simpático valor que rumou, na sua quase totalidade, para o Brasil. Para isso e para pagar dívidas que a meritocracia capitalista – leia-se boys & girls do regime – nos deixou de herança, como forma de agradecimentos pelos milhões em bónus que lhes pagamos ao longo dos anos. Maravilhas da boa nova liberal.

Dois anos volvidos, a Altice adquiriu hoje uma posição maioritária na Media Capital, acumulando assim o controle da MEO com o da TVI, o canal português que se encontra no patamar de sensacionalismo e parolice imediatamente anterior ao do Correio da Manha. [Read more…]

Onde estava na OPA da Sonaecom?

À época alinhavam todos, sindicatos, Bava, Salgado, Sócrates & ca. Agora aguentem…

Acho muito bem!

PCP quer que o Governo explique escolhas para a Anacom“. Há coisas que têm que ser como água e azeite.

Ligações perigosas entre governo e economia…

É tempo de recordar a opa da Sonae à PT.