Mentiras em tom menor

O Tenor desafinou. Escolheu o cânone directo do aumento da receita seguido da fuga da mentira do não aumento de impostos. Desde a primeira decisão de mais  impostos que o tom estava dado. Agora segue-se uma segunda aumentada,  com o descaramento de afirmar que não optou pela subida generalizada dos impostos. De certa forma é verdade, já que as empresas pagarão menos. Mas é sobretudo mentira, pois o Tenor pretendia referir-se aos contribuintes em nome individual. Agradeça-se a coda ao Tribunal Constitucional e à habilidade do artista que conseguiu manter (ou aumentar) o nível fiscal na função pública ao mesmo tempo que aumentava o do privado.

PS: a pauta trauteia-se  com o Frère Jacques

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Ao que eu acrescento que se foi hoje dito que só há “saque de um subìdio”, o outro (subsídio) não será dado nem nas férias nem natal – ou seja nunca haverá dois ordenados ao mesmo tempo, mas sim UM subsídio apenas dividido por 12 meses, ou seja, uma esmola por mês que ninguém NOTARÀ e gastará sem dar por isso
    Quantos euros mais por M~es seria bom +para cada nível de ordenado ??
    Para quem ganha 500 euros/mês por exemplo divido por 12 e dá ++ 41 euros mês ??
    O que sigifica para quem tem 500 euros – mais 41 por mês ?’ 41 euros compram o quê para quem já nada tem ?’
    não sei – gostava de saber relacionar este mês aos pinguinhos
    Eu preferia o mês “oferecido” numa altura mais crucial e um deles é com certeza o NATAL

  2. maria celeste ramos says:

    Tobis Portuguesa – domingo 09 setembro às 22:30 na RTP2 – mais uma jóia da corôa a deitar ao lodaçal pedropassiano
    o inventário das maiores riquezas nacionais e identitárias de um país e capital, a abater, parece estar completo mas a criatividade é tão grande que não vai ficar por aqui
    Interessante foi na TV2-as pessoas que me pareciam dizer coisas interessantes sobre a Felicaidade Bruta Nacional, acabaram em vulgaridades e rematando dizendo que Lisboa, Israel e Auchwitz, são as 3 cidades mundiais do Mal de que 1975 é o cerne da questão e que o FADO é isso – a infelicidade – e também reforçaram a sua ideia com o terramoto do Japão
    Pois eu tenho outra interpretação bem diferente – Lisboa é uma cidade de LUZ até para o mundo e o terramoto pode ser apenas um grande símbolo do oposto e que se a eternidade e felicidade e beleza existem, não pensem que é infinita e que na terra o homem é como as coisas e não há totomilhões para todos – não era bem isto que queria dizer mas chega agora – perdi o pensamento da “ansia do sublime” do fado, da beleza e luz de Lisboa que um tsunami derrotou para não nos esquecermos do falível de todas as coisas, que que e que etc mas que afinal a LUZ existe – é preciso é saber apreciá-la mesmo em dias de escuridão (FPessoa que o disse tão bem)


  3. Isto ainda é o menos. Aquilo que nos deve preocupar é a violência de Tózé Seguro, se no orçamento de 2012, foi o que se viu., fomos confrontados com horrorosas cenas dignas da guerra do Kony , em 2013 será o país a fogo e ferro e alguma pirite.
    É que o que Passos anunciou foram as boas notícias, as más serão anunciadas pelo Gaspar na cerimónia de entrega de prémios da 5ª avaliação da troika. Suponho, que na segunda-feira, serão anunciados aumentos de impostos, perdão, reestruturação dos impostos, que os portugueses já não suportam mais impostos – serão anunciadas mudanças nos escalões do IRS, no IVA, no IMI e todos os acrónimos que por aqui temos. (Dentro em breve saberemos as medidas de austeridade para 2014, então será a explosão termonuclear de Seguro).

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.