Acusações gratuitas de plágio

Do lado esquerdo: Melbourne e Google. Do lado direito: Gaia

O presidente da Câmara de Gaia queixou-se, recentemente, de ter sido injustamente acusado de plagiar a cidade australiana de Melbourne, quando decidiu mandar criar a nova identidade visual, vulgo City Branding, do município de Vila Nova de Gaia. O edil gaiense parece ter toda a razão. Como pode verificar-se pela imagem anexa, a nova identidade visual da cidade de Gaia – todo um mundo, sublinhe-se -, pela qual os munícipes pagaram a Vítor Tito a módica quantia de 46.125,00 euros, tem um aspecto indiscutivelmente original. Mesmo a comparação com a Google se afigura abusiva, uma vez que, embora a marca Gaia utilize exactamente as mesmas cores e os mesmos princípios gráficos, os tons são diferentes e a letra G só é a mesma por coincidência irreprimível da toponímia local. Tito chegou a ser acusado de usar falsos desempregados em cartazes. Uma ofensa, evidentemente.

 

O insustentável

Vila Nova de Gaia, Ponte do Infante. 28 de Agosto de 2018. Clique para ampliar.

Parece que Vila Nova de Gaia vai proximamente organizar (mais) um ”fórum internacional” sobre “desenvolvimento inteligente e sustentável”, chamado “Gaia, todo um mundo”. A imagem acima, a qual retrata uma das principais vias de acesso à cidade, a Ponte do Infante, tal como se encontrava a 28 de Agosto de 2018, representa tudo menos desenvolvimento, inteligência ou sustentabilidade. É, precisamente, o contrário disso tudo e o contrário do mundo em que, certamente, queremos viver. É desejável que o município tenha tempo para limpar a zona, antes de receber os seus ilustres convidados.

%d bloggers like this: