Mulas, Parvoiçadas de um Craque em Charla

Carlos Mulas-GranadoAcho que foi Câncio quem, por cá, pela primeira vez destapou no DN a asquerosa careca do ex-assessor de Zapateiro, Carlos Mulas-Granados, honra lhe seja a Câncio, digo. O PSOE tal como o PS português, tal como o PP espanhol e o PSD dos Dias Loureiro, espelham bem uma casta de cabrões gananciosos, sem qualquer civismo, decência, sentido comunitário, os quais rapam para si o que podem no tempo oportuno para eles, esgueirando-se na vida partidária e depois empresarial como ténias à boleia da imunidade dos cargos e da conivência de uma Justiça partidarizada, muito dada a ajustes e a quotas. Não dá vontade nem de trabalhar apaixonadamente nem de dar o litro no seio de um sistema distorcido, injusto e escravocrata assim, incapaz de premiar e dar valor a quem o tenha. Prefiro morrer de fome!

Ferreira Fernandes, que é um crânio sensível e nada arqueológico, considera elogiosamente que Câncio lê relatórios por mania até ao pentelho das assinaturas e por isso mesmo coou este marmanjo ganancioso e repleto de esquemas do Mulas. Eu tenho a certeza que Câncio, à força de tanto errar por cega associação íntima ou intelectual a um mulas português como o conas parisiense, alguma vez teria de acertar. E acertou. Por osmose diferida.

Mas quem é o horroroso e desalmado Carlos Mulas-Granados? É uma besta gananciosa, repito. Por acaso espanhol. Um dos autores do estudo do FMI sobre Portugal, onde manifesta o seu dualismo maniqueu de conveniência, prescrevendo para o nosso País o que não prescreve para o seu nem para si, austeridade e o corte assassino como modo de correcção dos desequilíbrios em Portugal, mas não em Espanha.

Para além da sua obscena desonestidade intelectual, inventou um pseudónimo feminino para receber umas dezenas de milhares de euros extra da Fundación que ele próprio dirigia, cinquenta mil euros/peça. Não há perdão para mulas como este Mulas da mesmíssima maneira que não a há para parisienses ladrões, chico-espertos, agarrados aos seus milhões ganhos escandalosamente.

Comments

  1. Maquiavel says:

    Enganaste-te, palavrossauro: o Mulas-Granado prescreveu para o nosso País o que prescreve para o seui, austeridade e o corte assassino como modo de correcção dos desequilíbrios tanto em Portugal como em Espanha. E depois, sob pseudónimo, criticou o plano austeritário de sua própria lavra (mas só aquele para Espanha)!
    Um refinado FDP (como de resto o Ferreira Fernandes).

  2. João Paz says:

    Gostei deste seu artigo Palavrossavsvr.
    Ligeiro, talvez até algo superficial mas, pela primeira vez vejo-o a denunciar PS e PSD (as duas faces da mesma moeda) e esse “jeitoso” que fez o frete ao desgoverno sob a capa do FMI.

  3. Fernando says:

    Ainda vamos ver o palavrossavrvs a chamar “grande filho da puta” a Passos Coelho!
    Por enquanto, parece que o palavrossavrvs ainda acha que o PPC é vítima do Socras…
    Tenham fé!!

  4. jose dias fernandes says:

    palavrossauros, deve ser um destes “especialistas” que abundam por aí no desgoverno “Passos de Coelho” . pra confundir a malta e lavar a sujeira da desgovernação

  5. graciete oliveira says:

    Eis em palavrossaurus o retrato da maioria da direita portuguesa: ignorante, bronca e bruta a zurrar palavrões

  6. graciete oliveira says:

    pelos vistos o último comentário não agradou aos “defensores da liberdade de imprensa” que só conta quando é a favor deles pois apagaram-no logo. mas não se aflijam porque a verdade vem sempre ao de cima de água.

  7. graciete oliveira says:

    A propósito do trio maravilha Passos, Gaspar e Relvas deviam explicar para que é que querem os 4 mil milhões. É para meter ao bolso? Para os amigos? Para os bancos?… Têm de explicar pois apesar da destruição isto ainda não é o país do sr. Mobutu nem a casa da mãe Joana !

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.