Desta é que vai ser

madoff

A equipa que julgou Madoff foi convidada para fazer idêntico trabalho em Portugal com o caso BPN. A Ministra da Justiça informou que é uma medida integrante do quadro de cooperação União Europeia – Estados Unidos da América, sendo o projecto piloto esta iniciativa lusitana.

Agentes do sector, que pediram reserva de identidade, manifestaram profundo desagrado por esta desautorização e perda de soberania, sobretudo num caso que está a correr nos normais trâmites da justiça portuguesa. Confrontada com esta tomada de posição, Paula Teixeira da Cruz desvalorizou, frisando que, mais do que nacionalismos, importa o bem maior de se “acabar o estado de impunidade” nesta classe profissional.

O líder do Partido Socialista, António Costa, mostrou-se igualmente atónito com esta medida, especialmente devido a ter sido realizada por ajuste directo. “Com o Partido Socialista teríamos um concurso público internacional; ajustes directos não são tradição de governos PS”, esclareceu Costa.

Em declarações à Lusa, Duarte Marques, que recentemente questionou o Banco de Portugal quanto aos avisos de Barroso sobre BPN, considerou que é uma iniciativa inovadora e com potencial para se repetir em outras áreas, dando como exemplos a possibilidade da NSA dar formação na área de escutas estratégicas no contexto partidário e do CSI Miami apoiar a Polícia Judiciária na investigação de branqueamento de capitais.

Comments


  1. Só mesmo no primeiro de abril é que os neoliberais portugueses iriam querer um sistema de justiça “tipo” USA, esses comunistas!… O “neo” tuga manda umas bocas, escreve umas barbaridades, contra o estado, e tal, mostra a matéria humana vil de que é feito, mas abriga-se na sombrinha amena do “bandido” estado, a mamar!!…

  2. Maria Elisa says:

    Feliz 1 de Abril, equipa Aventar!


  3. Que pena a notícia ter saído hoje.


  4. Só falta o encenador.

  5. portela says:

    Sobre Madoff e o seu comportamento moral e social, com implicações universais, sei o que escreveu Machael Sandel.
    Mas seria interessante saber o que teriam para dizer, sobre o mesmo caso, Nietzsche e Ayn Rand.

  6. João Silva says:

    Como hoje é dia das mentiras (para os amadores), os políticos (os profissionais) vão excecionalmente falar verdade para que não os julguem amadores.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.