Vila Nova de Gaia e a China

Numa altura em que Portugal recebe, em visita oficial, o Presidente da República Popular da China, vale a pena recordar o que pensa sobre o assunto o mais alto responsável do Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, precisamente o chefe de gabinete de Eduardo Vítor Rodrigues. São dele as seguintes tiradas, plenas de sentido diplomático:

Na China nem os mortos (e nem os vivos…) são respeitados. Só o lucro capitalista merece respeitinho”, como se pode verificar no exemplo seguinte:

[Read more…]

Os métodos do PS Porto e a memória da PIDE II

Declaração de voto de Cláudia Soutinho, membro da Comissão Federativa de Jurisdição do PS Porto

“Não me revendo na argumentação, na conclusão e na proposta de decisão relativa ao processo disciplinar instaurado contra o militante Bruno Santos na sequência de queixa apresentada pelo camarada Eduardo Vítor Rodrigues, voto contra a proposta de expulsão. 

Na verdade, entendo que os factos relatados consubstanciam um delito de opinião e não uma violação dos deveres de militância em sentido estrito plasmados, quer nos Estatutos, quer no Regulamento Processual e Disciplinar do Partido Socialista. Ainda que algumas declarações do Arguido possam ser passíveis de procedimento criminal pela forma como foram proferidas, julgo que é nessa sede que devem ser avaliadas e não em sede disciplinar de militância. O Arguido emitiu opiniões sobre decisões do camarada Eduardo Vítor Rodrigues enquanto Presidente da Câmara o que não é inédito dentro de um partido plural e democrático como o PS. Por outro lado, as testemunhas relatam como sendo factos ocorrências que carecem de prova e que não são, por nenhum outro meio de prova que não a testemunhal, confirmadas ao longo de todo o processo.

[Read more…]

Sobre o comportamento de cidadãos investidos em funções públicas

A política externa é uma das mais importantes vertentes do governo de qualquer Estado. É assim desde que há Estado e era assim mesmo antes de o Estado existir. A sua importância releva não apenas da evidência do mundo, lugar plural onde a humanidade evolui de acordo com as características do tempo, do lugar e do modo, mas também da necessidade de partilha, comunicação e construção que essa experiência traz, sendo isso, afinal, que toma o nome de civilização.
Depois de a política externa nascer de uma necessidade primária de convivência e conhecimento, ela dirige igualmente a troca, os momentos diversos onde se manifesta a influência que uns povos exercem sobre os outros e o modo como, necessariamente, defendem em face deles a sua própria visão do mundo e a estratégia de crescimento nele.

[Read more…]

Nemo iudex in causa sua

A Associação Portuguesa de Mulheres Juristas (APMJ), a cuja Assembleia Geral preside a Procuradora-Geral Adjunta, a Exma. Sra. Dra. Maria Cândida Almeida, instituiu o prémio Teresa Rosmaninho, destinado a premiar trabalhos realizados por estudantes de Direito, cujo tema se insira na área dos Direitos Humanos das Mulheres.

O valor pecuniário do prémio, segundo o seu Regulamento, é de mil euros, doados por António Rocha, herdeiro de Teresa Rosmaninho e actualmente a exercer funções de chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, funções essas que acumula com as de vogal da direcção da Cooperativa Sol Maior.

O júri que decide a atribuição do prémio Teresa Rosmaninho é composto por três elementos, um dos quais é o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e também fundador da Cooperativa Sol Maior, o Dr. Eduardo Vítor Rodrigues. Da direcção da Cooperativa Sol Maior fazem parte a esposa do Dr. Eduardo Vítor Rodrigues e a irmã do Sr. António Rocha.

O prémio Teresa Rosmaninho do ano 2017 foi atribuído à Cooperativa Sol Maior.

A Câmara de Gaia ainda é do PS ?

Não é a primeira vez que António Rocha, um sombrio desconhecido, mas actual Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara de Gaia, ataca publicamente, no seu Facebook, o Partido Socialista e o seu Governo.
Escreveu António Rocha no dia 31 de Julho de 2016:

“A propaganda anda com o nome pelas ruas da amargura. A comunicação política, um elemento central da relação entre eleitos e eleitores, ou seja, da democracia, pode ter muitos nomes. Claro que para os grandes teóricos puristas da democracia, que estão sempre preocupados com a manipulação dos eleitores (devem pensar que são crianças influenciáveis) há sempre o superior exemplo chinês, com tantos admiradores em Portugal.
Ter um ministro da propaganda, no caso concreto da China, é virtuoso porque assim o povo, quando um dia o deixarem votar, se encontrará completamente esclarecido.”

[Read more…]

Morreu o Rocha do Duarte e Companhia

antonio_rocha_duarte_companhiaHá dois dias

%d bloggers like this: