Revivendo o passado em Portugal

É uma verdadeira euforia que atravessa o país, uma onda revivalista que nos leva até às vinícolas memórias de Salazar. Já sabíamos do regresso da fome, da impunidade das grandes fortunas e seus crimes, da boa e velha carga policial, da informação controlada pela ideologia do poder, da deterioração do acesso à saúde. Descobre-se agora que o tempo do candeeiro a petróleo também voltou.

Acho que ainda se vão arrepender de ter transformado um certo edifício da  R. António Maria Cardoso em condomínio privado. Arranja-se sempre outro, mas simbolicamente aquele sempre era mais adequado.