Revivendo o passado em Portugal

É uma verdadeira euforia que atravessa o país, uma onda revivalista que nos leva até às vinícolas memórias de Salazar. Já sabíamos do regresso da fome, da impunidade das grandes fortunas e seus crimes, da boa e velha carga policial, da informação controlada pela ideologia do poder, da deterioração do acesso à saúde. Descobre-se agora que o tempo do candeeiro a petróleo também voltou.

Acho que ainda se vão arrepender de ter transformado um certo edifício da  R. António Maria Cardoso em condomínio privado. Arranja-se sempre outro, mas simbolicamente aquele sempre era mais adequado.

Comments

  1. Fernando says:

    Os “Lords” que se aproveitam da actual estrutura de poder estão tentar conservar o poder, e para isso, têm que o aumentar. Têm ganho as batalhas mais recentes, mas como a corrupção é-lhes inerente a vertiginosa queda é inevitável.

  2. MAGRIÇO says:

    Pelo menos um dos mais mediáticos ministros também já insinuou que o pastel de nata poderá vir a dar de comer a um milhão de portugueses…

  3. Tito Lívio Santos Mota says:

    só que agora a senhora, em vez de ler, iria ver a telenovela para o café da esquina.

  4. Pentesiléia says:

    Esta sanha legislativa contra os trabalhadores não é por acaso. Sempre achei que o PPD foi o refúgio de salazaristas mais ou menos envergonhados, e agora estes noviços do PSD – a maioria com ligações às ex-“províncias ultramarinas” – estão a concretizar os sonhos desses saudosistas inconformados. O que mais me dói é que têm o apoio de muitos dos que mais vão sofrer na pele, por ignorância ou excesso de partidarite estúpida, a opressão que, inevitavelmente, se seguirá.

  5. maria celeste ramos says:

    Vamos ver – eu que guardei o candeeiro a petróleo como património histórioco e cultural do tempo em que a EDP ainda não roubava (hoje recebi pelo consumo diário de uma lâmpada de 60 watts 3453.51 euros, pois que uso uma lâmpada de cada vez em cada divisão) Guardei o candeeiro a petróleo que em Lisboa já só servia quando a EDP fazia apagões (como também guardei uma garrafa de petróleo quando até era avermelhado e ainda não deitei fora – que ironia pois que pensava que só se andava para a frente e melhoraria por pouco que fosse)Mas estou a ver que tenho de o voltar a usar – como guardei, e usava-se para cozinhar, um lindíssimo fogão de latão – marca Hipólito, que já é objecto de museu – Por enquanto uso gas natural e lâmpada de fio de tunsgsténio, porque recuso as “modernas” brancas e baças e de baixo consumo (dizem !!) – Ora como eu sou previdente ! – Sóque agora não tenho que estudar latim e outras coisas à luz do petróleo e levantar-me com o nascer do sol e deitar com o pôr do sol – Ao menos o computador tem o écran iluminado já que não tenho olhos de gato Mas hoje na AG da junta de Freguesia julgava eu mais uma vez idiotamente que valeria a pena ouvor os sábios – tive de os deixar a falar para as parêdes pois que os “habitantes” pelo menos deste bairro já nem vão lá mais – só os teimosos e esperançados – Inútil – mas ao chegar a casa nada melhorou pois estou a ouvir o primeiro ministro a debitar a sua cassette à Judite de Sousa que, impaciente, nem o deixa responder minimamente, embora ele não tenha nada para dizer que não o tenha dito desde sempre – Pois vamos ter, segundo ele, déficit de 3.3 % até dez 2012 – vamos ver – como o meu fogão de lata ele é de “latão” – como eu perco o meu precioso tempo – ah vou mudar para o Hermano Saraiva a falar nem sei mas parece a Casa Bordalo Pinehiro – belíssima – boas recordações da terra onde fui adolescente e estudava já com a “iluminaçao” da EDP

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.