No governo Bolsonaro indígenas brasileiros passam fome

Cerca de  64 famílias da etnia guarani-kaiowá que moram no Mato Grosso do Sul  não recebem mais as cestas de alimentos que eram entregues com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai). A noticia foi dada pela BBC News Brasil.

Varias etnias indígenas brasileiras estão sofrendo com o atual governo classificado como anti-indígena e que só atende as demandas de fazendeiros e grileiros. Bolsonaro chegou a declarar que durante seu governo não demarcaria novas terras a indígenas, mesmo as que já estão em processo como é o caso da aldeia  Pyelito Kue ocupada pelos indígenas em 2011.

_110694973_foto7-marceloaugustoxavier_mariovilela-funai

Presidente da Funai Marcelo Augusto Xavier, é ligado a bancada do agronegócio no Congresso.

Como parte de uma política agressiva aos indígenas o presidente brasileiro designou para presidir a  FUNAI ( Fundação Nacional do Índio),  Marcelo Augusto Xavier que é ligado à bancada do agronegócio no Congresso ,  e que obviamente, atua pelos interesses desse setor.

A media soma-se a outras ações do governo como incentivar a evangelização de tribos isoladas como denunciam vários indígenas e indigenistas.  O massacre de indígena continua.

A Constituição de 1988 garante aos indígenas o direito de manter sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições — e também os direitos sobre as terras em que sempre viveram. É papel da União demarcar essas terras e protegê-las, segundo a atual Constituição brasileira (art. 231).

Fonte. BBC News Brasil, Brasil de Fato.