Mandaram-no vir, agora aturem-no

O anterior mentia, o actual também mente. No final, Sócrates ou Passos Coelho usam, apenas, estilos diferentes; todavia, as pesadas consequências do logro, de um ou de outro, são idênticas para os portugueses

A ler no novo blogue do meu amigo Carlos Fonseca, agora em Solos sem Ensaio