Mas Antes

Há textos que não consigo só deixar aqui em forma de endereço quando leio o último ponto final.  Acontece uma ou duas vezes por ano, e é regra desta casa não republicar textos a torto e direito. Este é um deles, do Gregório Duvivier (esse, o actor e argumentista da Porta dos Fundos), roubado na Folha de S. Paulo.  Como escreveu a Clarice Falcão, com quem Gregorio partilha os dias, “O maldito escreve muito bem, esse maldito.”

Ela saiu de casa batendo a porta. Mas antes, ele tinha mandado ela tomar no cu. Mas antes, ela tinha pedido que ele pelo menos limpasse a merda que fez. Mas antes, ele tinha derramado vinho no tapete. Mas antes, ela tinha duvidado de que ele derramaria o vinho todo no tapete. Mas antes, ele tinha dito que derramaria o vinho todo no tapete. [Read more…]