Entrevista a Alípio Dias

Entrevista, no jornal i, a Alípio Dias. Algumas passagens:

Fui alertado [do golpe militar do 25 de Abril] às quatro menos um quarto da manhã por dois tipos de pessoas.(…) Foi o meu correspondente de Santarém que me ligou a dizer: “Sôtor, os tanques estão a sair de Santarém e vai acontecer uma revolução.”

Eu nunca quis jotas. É o maior erro que os partidos estão a fazer. Mas já havia jotas com Sá Carneiro. Eu dizia sempre: Francisco, é um erro que se está a fazer. Ele achava que era o futuro. O futuro, Francisco, é estudar, é obrigá-los a conhecer as pessoas, a passar por algumas dificuldades. Mas em vez disso estamos a criar meninos e meninas que vão para os gabinetes, que metem cunhas, que querem ter carrinhos, que dormem com ministros, uma bagunçada, e daqui a uns anos vamos ter gente incompetente a governar-nos.

[Read more…]