O sexo é bom, más são as religiões

the_ecstasy_of_saint_teresa_[detail]-large

Disse Jorge Bergoglio uma evidência, quem não tem dinheiro não pode fazer filhos à desgarrada, e soltou-se a mais mentecapta e doentia visão do mundo que ainda caracteriza muito catolicismo, falo da contracepção dita natural e do culto da castidade no próprio matrimónio. Como Anselmo Borges explicou aos idiotas, tudo o que advém do conhecimento humano já tem a sua artificialidade, ou trocando por miúdos: se sabemos do ciclo menstrual e do período fértil, e só se truca-truca no infértil, há artifício.

Tenho um fetiche pela História da sexualidade, e delicie-me (ok, foi um orgasmo) com o raciocínio que levou os historiadores a concluírem ter a contracepção passado a prática corrente nos séc. XVII/XVIII, por via dos manuais para os confessores que a partir dessa altura instigam a padralhada a inquirir bastas e agressivas vezes com a senhoras se pecaram truca-trucando com ardis pelo meio que evitassem a reprodução da espécie. Faz-me isto lembrar as tolices actuais sobre a crise da natalidade, mas esse é outro assunto. [Read more…]