Suas finas Excelências, os deputados da nação

São muito sensíveis, pobres coitados, não podem beber água da torneira. Felizmente, já que assim ao consumirem água engarrafada, poupam dinheiro aos contribuintes. Dizem que a água da torneira fica 30 vezes mais cara do que engarrafada porque foram incluídos os custos de pessoal “para o enchimento, limpeza, colocação e arrumo dos vasilhames”.

Vamos fazer de conta que levamos a sério a justificação apresentada. Acontece que na última vez que estive reunido com representantes dos grupos parlamentares serviram-me a tal garrafinha de água mas também tive direito a um copo. Lá se vai o argumento da “limpeza, colocação e arrumo dos vasilhames”. Sobra o trabalho de enchimento, mas aí este é bem menor do que o trabalho de encomendar, armazenar, distribuir e remover, depois de usadas, as garrafas de água (terá este trabalho também sido contabilizado?).

Mas já que andam com tantas preocupações de custos, façam como os restantes trabalhadores – sim, o deputados são trabalhadores – deste país: peguem no copinho e encham-no eles mesmos, ó finezas.

PS: ó deputados, lembram-se da lei que a AR aprovou, lá por 2000, a proibir a restauração de servir água em garrafa de plástico? Perguntem ao Guterres que ele esclarece-vos. Mas claro, o Parlamento não é uma casa de pasto, logo a lei não se lhe aplica…

Pagar impostos para ser despedido?

image

Dizem que a inteligência é limitada mas que a estupidez pode ser infinita. A esta última acrescento a cretinice.

[Read more…]