Carta de um Mineiro

Trabalhei 25 anos na mina. Desci a um poço, quando tinha 18 anos, e gostaria de vos dizer que me surpreendem muitos comentários que leio sobre a atividade mineira e as reformas antecipadas, neste grupo e noutros. Dói-vos o meu parecer, mas vou ver se consigo dissipar várias dúvidas que vejo que existem sobre este sector.

1º A luta que estão a fazer os companheiros, neste momento, não é para pedir dinheiro, mas para que se respeite o acordo assinado no ano passado entre o Ministério da Industria e os sindicatos mineiros. A assinatura deste acordo tinha umas acordadas até 2018. Este dinheiro foi dado pela Comunidade Europeia e não os Governos Espanhóis. Com isto quero dizer que não foi nenhum espanhol a ajudar-nos, como pensa muita da gente que tanto nos critica….

Quanto a este dinheiro, o que eu pergunto, como quase todas as famílias mineiras, é: onde está a parte dos Fundos Mineiros que supostamente seria destinada à criação de industrias alternativas ao carvão nas bacias mineiras, depois do encerramento das minas. Pois bem, como em muitos outros sectores, o dinheiro foi utilizado por políticos e sindicatos. Com parte deste dinheiro, poder-vos-ia dizer, por exemplo, que o Senhor Gabino de Lorenzo (ex-alcaide de Oviedo) pagou a iluminação pública da sua cidade, o novo Palácio de Exposições e Congressos e muitas outras obras. A ex-alcaide de Gijón (a Senhora Felgeroso) investiu-o na Universidade Laboral e, tal como o primeiro, noutras obras. [Read more…]