Portugal – querido faroeste 

Foto: Expresso

Cinco dias depois de o Tribunal Administrativo de Beja ter aceitado uma providência cautelar para suspender a execução das obras de urbanização do projeto “Na Praia”, nas dunas de Troia, as máquinas continuam a trabalhar no terreno.”

“O Município de Grândola informa que até à presente data não recebeu notificações sobre o assunto. A decisão do tribunal fala na necessidade de tomar as medidas necessárias para impedir “com urgência” o prosseguimento das obras de urbanização mas a mensagem não chegou aos destinatários.”

É caso para cantar “Grândola, vila neoliberal”. São umas atrás das outras as situações em que os “promotores” por este país fora passam por cima de disposições e decisões legais e avançam com o seu negócio perante a criminosa bonomia das entidades portuguesas. A propriedade privada é o valor mais elevado da hierarquia de todos os valores e o imenso carinho pelo dinheiro, a par do desprezo pela preservação da natureza sentido por câmaras, APAs e governo hão de chupar até ao tutano este país que acabará por sucumbir às suas mãos. Toda uma geração de cínicos no poder e também nas ruas.

Portugal à venda

Turismo de luxo tem sempre prioridade sobre preservação ambiental.