O dia em que o treinador do Benfica agrediu um polícia com duas bofetadas

 

 

 

 

O dia em que o treinador do Benfica agrediu um polícia com duas bofetadas foi o mesmo dia em que um adepto do Benfica matou outro do Sporting, primeiro com um very-light (sucessivamente simulado nos últimos anos) e depois passando-lhe por cima com o automóvel. Um dia de violência incessante, consecutiva e impune dos No Name Boys, a principal claque do Benfica. Quer dizer, o principal grupo de adeptos não organizados. Peço desculpa. Nunca sube.
Foi o mesmo dia em que um adepto do Benfica partiu a cara ao jornalista Rui Santos no parque de estacionamento da SIC. Foi o mesmo dia em que um adepto do Benfica partiu os dentes ao árbitro Pedro Proença. Foi o mesmo dia em que Luís Filipe Vieira torceu o pescoço a um sócio em plena Assembleia Geral, seguindo o exemplo de um outro sócio que agarrara o pescoço de um árbitro em pleno jogo no Estádio da Luz.
Foi o mesmo dia em que um autocarro de adeptos do FC Porto foi incendiado junto ao Estádio da Luz durante um jogo de hóquei. Um jogo, esse ou outro, no qual o próprio autocarro do FC Porto foi alvo de uma emboscada e os jogadores agredidos com tacos de baseball e outros.
O mesmo dia em que o autocarro do Benfica foi atingido por pedradas dos próprios adeptos.

Nesse mesmo dia, do outro lado da segunda circular, [Read more…]